Artigos, Críticas

Terror que Ladra: “Cão do Diabo” e “Rastros de Vingança”

Um cão demoníaco e um motivador de uma vingança sangrenta são exemplos da presença canina nos filmes de Horror!

Dog

Nós somos loucos por cachorros” era o slogan daquela interessante campanha da Pedigree que mostrava cães dos mais variados tipos e tamanhos em momentos divertidos com crianças, adolescentes e adultos. Faz muito sentido. Por mais que a pessoa não goste desses animais domésticos que expressam sua alegria ao ver o dono que simplesmente volta do supermercado, ela ainda assim acaba se comovendo ao ver um filhote tentando andar todo desengonçado ou simplesmente fazendo suas bobagens de costume. Cães não se importam com a cor da pele, com a beleza física ou com a condição econômica e social de seu dono – basta uma volta no centro da cidade para ver esses fiéis companheiros seguindo mendigos e crianças em condições miseráveis, não dando importância para aquele rapaz que oferece um biscoito ou uma possibilidade de conforto.

Assim, para o cinema fazer uso dessas criaturas que abanam o rabo foi apenas “uma pata“. São tantas produções memoráveis que poderiam fazer desta análise uma enciclopédia canina, mas, o foco aqui são os filmes de terror. Os cães sempre marcaram território no gênero, seja através de pequenas participações, ou como o plot principal. Quantos filmes você já viu em que um família com cachorro se muda para um casarão até começar a ser aterrorizada por fantasmas? Ou películas que trazem cachorros salvando seus donos do perigo, ainda que tenham que se sacrificar para o ato heroico? No entanto, as que se destacam no estilo são aquelas que apresentam histórias diferentes (Os Dobermann Atacam, Red, Zoltan, Cães Assassinos, Max – Fidelidade Assassina), ousadas (Cão do Diabo, Cão Branco) ou que utilizam o animal numa participação marcante (Bala de Prata, A Profecia, Lua Negra, The Beyond).

Cão Branco (1982)

Cão Branco (1982)

Podemos citar dezenas de exemplos da participação fundamental canina em filmes do gênero, como em À Espera de um Milagre na história narrada sobre um cachorro que simplesmente resolveu atacar uma criança deixando-a cega de um olho e serviu como forma de ensinar o personagem de Tom Hanks, Paul Edgecomb, a se convencer da possibilidade de John Coffey ter mesmo realizado aquele violento crime que o levou à cadeira elétrica; em outro filme baseado em Stephen King (não é necessário citar Cujo, é?), o espetacular Cemitério Maldito, temos um exemplo de um cão que retorna dos mortos para não fazer festa; no interessante Madrugada dos Mortos (remake de Despertar dos Mortos, de Romero), quem não se lembra de Chips, aquele Collie preto-e-branco que tem a missão de levar comida para Andy, aquele rapaz que mora em frente ao shopping e se comunica com placas? Em outro remake, o ótimo Enigma do Outro Mundo, toda a violência e as cenas angustiantes acontecem depois que um cão da raça husky foge de caçadores pelo ártico e acaba parando nas mãos do personagem de Kurt Russell e sua equipe de cientistas. Outro husky conseguiu destaque no clássico Garotos Perdidos – lembra dos latidos de Nanook que percebe que Michael está diferente e que acaba tendo um ato heroico na sequência final? Em Sinais, aquele controverso filme do diretor indiano sobre ETs, um dos momentos mais tensos acontece quando um cachorro simplesmente para de latir, enquanto a família de Mel Gibson se tranca na casa rural. Poderíamos citar também os cães Beast and Beauty, do clássico Quadrilha de Sádicos e que tem até um flashback na continuação; o Rottweiler que traz a mutação para o vilão de Alien 3, e também está presente em Criaturas Atrás da Parede

Cães modificados de Resident Evil

Cães modificados de Resident Evil

Como podemos ver, esses animais são sempre fiéis ao seu dono e aos filmes de terror, com participação pequena ou com muito destaque. Veremos agora os dois lados: um exemplo de filme com um cachorro como vilão e outro com o animal apenas como vítima. Duas produções excelentes que você pode assistir sem medo de levar uma mordida!

Cão do Diabo
Original:Devil Dog: The Hound of Hell
Ano:1978•País:EUA, Canadá
Direção:Curtis Harrington
Roteiro:Steven Karpf, Elinor Karpf
Produção:Lou Morheim
Elenco:Richard Crenna, Yvette Mimieux, Kim Richards, Ike Eisenmann, Victor Jory, Lou Frizzell, Ken Kercheval, R.G. Armstrong, Martine Beswick, Bob Navarro, Lois Ursone, Warren MunsonShelley Curtis

Mil anos a humanidade tem esperado, mil anos desde que foi trancado nas entranhas do inferno e desapareceu da terra. Mil anos desde que aquele a quem chamam de abençoado derrotou vocês. E agora, novamente, tua hora chegou e estamos preparados. Temos seguido a lei. Nós adoramos você, nós ansiamos por você, Pai das Trevas. Envie o seu demônio, seu filho, sua semente, sua besta…e toma seu devido lugar como mestre da terra, através de nós. Envie agora aquele a quem invocamos. Envie a besta..Barghest! Barghest!

Presente constante na Sessão Coruja, trata-se de uma produção made-for-tv, dirigida por Curtis Harrington (conhecido pelos diversos trabalhos na TV em séries clássicas, e falecido em 2007), que traz todo aquele clima sombrio dos filmes setentistas que marcaram e assustaram a infância de muita gente. Com uma trama simples (cão satânico aterroriza família) e efeitos medianos, Devil Dog se destaca pelo elenco bem escolhido, pela atmosfera aterrorizante e por cenas que se tornaram clássicas e que são sempre lembradas em fóruns do gênero.

Cão do Diabo (1978) (1)

Um grupo de satanistas vai a um canil comprar um filhote especial, um procriador nato, não se importando com os valores altos da aquisição. Momentos depois, enquanto rolam os créditos iniciais, acompanhamos um culto satânico bem realista (a imagem do demônio, com velas, pessoas encapuzadas que repetem o que é dito pela líder – e que se encontra no início deste texto), tendo como foco um animalzinho, um filhote de pastor alemão, acorrentado sobre um pentagrama. Em efeitos no estilo The Evil Dead, acompanhamos a visão avermelhada e os movimentos de algo que se aproxima rapidamente pelos campos próximos, até o local do culto, onde acontece a fecundação.

Na cena seguinte, vemos o casal Mike (o ótimo Richard Crenna, conhecido como o tenente Samuel Trautman, dos três primeiros Rambo, falecido em 2003) e Betty Barry (Yvette Mimieux) retornando para casa depois de um dia de trabalho, pensando no aniversário de dez anos da filha Bonnie (Kim Richards, de A Montanha Enfeitiçada e A Volta da Montanha Enfeitiçada) que está próximo. Quando se aproximam de sua morada, encontram seu cachorro Skipper morto, vítima de atropelamento. De acordo com um vizinho, um furgão preto o atropelou de forma violenta, como se tivesse a intenção de cometer o ato. Sem ânimo para fazer festa, a jovem somente volta a sorrir quando um estranho vendedor de frutas e legumes mostra seus filhotes de pastor alemão e diz que procura um lar para eles. Convencida pelo irmão Charlie (Ike Eisenmann, que também atuou nos filmes da Montanha Enfeitiçada novamente como irmão de Kim Richards) e pela doçura do animalzinho, Bonnie aceita cuidar de um cãozinho, dando lhe o nome de Lucky. Se tivesse notado as atitudes suspeitas do vendedor, que somente parou para vender para as crianças e ainda ofereceu a elas uma maçã (típica atitude maléfica nas histórias infantis), nada de ruim teria acontecido.

Cão do Diabo (1978) (2)

Não demora muito para Lucky mostrar seus poderes. Depois de assustar o cão do vizinho, a empregada Maria até tenta alertar a família das influências negativas do animal, mas acaba sendo a primeira vítima fatal durante uma oração. Sinto cheiro de fumaça!, diz o pai quando chega em casa.  (Não, não é fumaça, é o cheiro do espetinho de uma empregada latina). É interessante notar que os tais poderes do animal se resumem ao olhar brilhante, ocasionado por uma luz apontada para seus olhos. Sempre que Curtis Harrington aproxima a câmera dos olhos do cachorro já imaginamos que algo ruim vai acontecer.

Um ano após a chegada de Lucky, agora um legítimo pastor alemão, o pai da família, Mike, estranha a relação pouco afetuosa que anda tendo com o animal. E para piorar, o cão do Diabo tenta sem sucesso usar seus poderes contra o pai forçando-o a colocar as mãos nas lâminas do cortador de grama – uma daquelas cenas clássicas que os fãs sempre lembram quando querem saber o nome do filme. A situação ainda se complica quando Mike começa a perceber que sua família está começando a agir de modo estranho. Começa com os rituais noturnos dos filhos – que passam a acender vela e realizar pequenos sacrifícios para uma imagem satânica -, depois afeta sua esposa Betty. O que você faria se visse seus filhos fazendo orações na madrugada para Satã? Mike dá uma bronca e pronto. Algo como Não quero mais ver vocês cultuando o Diabo aqui em casa, ok? Se continuarem com isso, vão ficar de castigo.

Cão do Diabo (1978) (3)

Mike não entende porque o cachorro não consegue influenciá-lo, principalmente quando ele começa a agir contra o animal – outros que tentaram o feito acabaram como vítimas de Lucky. Numa dessas ações do animal, acontece outra cena clássica: o cão visita sua próxima vítima e surge com um visual bem demoníaco de gelar a espinha, ainda que hoje a cena possa estar envelhecida para os mais exigentes.

Em outra cena memorável, Mike tenta se livrar do cachorro levando-o para um lugar deserto para abatê-lo com uma arma de fogo, mas as balas não ferem a criatura que ainda encontra um meio de retornar para sua família. Depois de ver na TV que outros cães da mesma raça andam exterminando famílias inteiras, Mike resolve procurar outras formas de ajuda, mesmo que para conseguir se livrar do cão seja preciso uma longa viagem e um sacrifício.

Cão do Diabo (1978) (4)

Com um roteiro dos irmãos Elinor e Steven Karpf, O Cão do Diabo é definitivamente um filme feito para a televisão, com efeitos simples e uma fotografia envelhecida. Ainda assim, consegue destaque pelo seu clima aterrorizante proporcionado pela influência satânica do animal, que lembra bastante o clássico A Profecia. Suas cenas inesquecíveis, principalmente a que involve o confronto entre Mike e Lucky, tornam toda a experiência em conferi-lo de modo ainda mais gratificante. Vale ainda mais a pena se você tentar assistir à noite, sozinho em seu quarto ou sala, tentando se levar pela magia de uma produção setentista fiel ao gênero que fez parte de uma época em que as histórias eram beneficiadas pela criatividade de seus realizadores.

Leia também:

Páginas: 1 2

11 Comentários

  1. É UM BOM CLÁSSICO DE ANOS 70, MAS NADA + QUE ISSO. ESSE FILME AI DOS CÃO DO INFERNO FEITO EM 1978, MERECE UMA NOTA 7, POR TANTO DE REGULAR PARA BOM.

  2. Ednelson pena de oliveira

    O filme muito bom. Gostei muito. Desse cão do diabo. Nota dez. Os filme de antigamente. Sempre foram os melhores.

  3. Tairine

    Muito bom seu post! Procurava o nome do filme que eu assistia de madrugada quando criança daquele cachorro modificado geneticamente, o Max-Fidelidade assassina. Cara aquele cachorro era perverso! Gostava demais daquele filme!

  4. MORCEGO

    O CÃO DO DIABO é um dos melhores telefilmes dos anos 70.
    Com sua fotografia típica e efeitos especiais de primeira, é um filme assustador, capaz de deixar qualquer que o vê pela primeira vez sem dormir.
    Foi o que aconteceu comigo quando vi as fotos do Cão com seu visual verdadeiro. Digo, era uma imagem em tom esverdeado e brilhante, o que a deixou assustadora! Desde então, procurar pelo filme passou a ser uma espécie de obsessão.
    Na primeira vez, fiquei satisfeito por tê-lo encontrado, mas, era um VHS-Rip e a imagem não era muito boa. Depois, resolvi procurá-lo em BRRip. Deu super certo! Em Blu-Ray, o filme consegue ser ainda mais impressionante, com a fotografia colorida, imagem digital e colorida.
    É um filme que vale a pena ser visto, independente da época em que foi feito – MENTIRA!!!!!!!!! – foi feito na época certa, pelas pessoas certas!!!!!!!!!
    Pena que hoje em dia, não existam mais filmes assim – capazes de assustar de verdade.
    O CÃO DO DIABO é um Clássico!!!!!!!!!!
    Altamente recomendado!!!!!!!!!!

    10/10

  5. adoro cachoros

  6. Natã De Araújo Saldanha

    Eu adoro filmes de terror também como resident eviel 1 2 3 4 5 6 e 7 ,pronto agora envolvendo cachorros zumbis e crianças zumbis o filme fica irado para mim além de eu ter apenas 12 anos tenho medo desses filmes assisto enrolado num lençol se tirar fico me tremendo tanto pelo nervorsismo tanto pelo ventilador e do medo!!!.Teve até um dia que estava assitindo um filme com meu irmão de zumbis tão legal rapaz mais meu pai me chamou para eu ir estudar e acabou a alegria que abitava em mim e foi isso que aconteceu blz… vlw aí que está lendo digo assim muito obrigado hahaha tchau tchau para você fuii!!.

  7. Natã De Araújo Saldanha

    Eu adoro filmes de terror também como resident eviel 1 2 3 4 5 6 e 7 ,pronto agora envolvendo cachorros zumbis e crianças zumbis o filme fica irado para mim além de eu ter apenas 12 anos tenho medo desses filmes assisto enrolado num lençol se tirar fico me tremendo tanto pelo nervorsismo tanto pelo ventilador e do medo!!!.Teve até um dia que estava assitindo um filme com meu irmão de zumbis tão legal rapaz mais meu pai me chamou para eu ir estudar e acabou a alegria que abitava em mim e foi isso que aconteceu blz… vlw aí que está lendo digo assim muito obrigado hahaha tchau tchau povo!!.

  8. Lázaro Luis Lucas

    Assisti ao “Cão do Diabo”, pela primeira vez, na sessão “Primeira Exibição”, sábado à noite, na TV Globo, há anos. Mesmo não tendo assistido ao filme novamente desde então, acredito que você esteja coberto de razão quanto a aspectos que envelheceram a obra. No entanto, creio que o filme ainda guarde seu charme, aquele característico às produções para o cinema e a tv nos anos 70. Gostaria que filmes assim fossem lançados no mercado de “home video” no Brasil, de maneira apropriada e respeitosa.

  9. Jeff

    Nada contra que gostas de cachorros mais animais e filme de terro eu na minha opinião não e muito bom

  10. vanessa vasconcelos

    adoro cachorros,e nos filmes é mais legal ainda.

    • Natã De Araújo Saldanha

      Eu adoro filmes de terror também como resident eviel 1 2 3 4 5 6 e 7 ,pronto agora envolvendo cachorros zumbis e crianças zumbis o filme fica irado para mim além de eu ter apenas 12 anos tenho medo desses filmes assisto enrolado num lençol se tirar fico me tremendo tanto pelo nervorsismo tanto pelo ventilador e do medo!!!.Teve até um dia que estava assitindo um filme com meu irmão de zumbis tão legal rapaz mais meu pai me chamou para eu ir estudar e acabou a alegria que abitava em mim e foi isso que aconteceu blz… vlw aí que está lendo digo assim muito obrigado hahaha tchau tchau para você fuii!!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *