10 Mentiras que os Filmes de Horror Contam

A Hora do Pesadelo 1

Os filmes de horror exploram o inimaginável, o indescritível e o improvável. Não há limites para a imaginação de seus realizadores, capazes de levar o público a encontros com seres de outros planetas e dimensões, tornar insetos gigantes da noite para o dia, levantar de suas tumbas mortos putrefatos, sem que a ausência de batimentos cardíacos ou a incapacidade de respiração impeça seus movimentos e voracidade. Roteiros absurdos que transformam vítimas indefesas em resistentes lutadoras e dão à imortalidade a vilões também fazem parte da diversão, conseguindo assustar os espectadores com demônios milenares, sugadores de sangue e almas, homens que se transformam em monstros, entre outros personagens desse gênero rico e criativo.

Apesar dessas possibilidades ousadas, há algumas bobagens que são tão difíceis de engolir quanto larvas extraterrestres em um filme B. O susto final do assassino, as vítimas que golpeiam o inimigo e nem concluem o serviço, a turma que se separa em momentos críticos, o carro que não funciona, o discurso do vilão…tudo isso é comum e facilmente aceitável, dentro da proposta “além da imaginação“. Jason ter vivido escondido anos num velho barraco ou a habilidade na direção de Michael Myers até incomodam, mas não agridem tanto quanto algumas mentiras, mais afiadas do que as lâminas da luva de Freddy Krueger.

Neste artigo, iremos abordar aquelas inverdades que o gênero tentou fazê-los engolir com seus títulos e taglines sensacionalistas, em capas que trazem cenas não vistas na tela. Confiram 10 Mentiras que os Filmes de Horror Contaram….e que faremos o favor de desmentir! Aproveitem os comentários para sugerir outras enganações para uma nova edição do mesmo tema.

10 – House of the Dead – O Filme

Alguém viu uma casa por aí?
Alguém viu uma casa por aí?

Este filme por si só já é uma mentira (ainda que apresente o subtítulo “o filme“, há várias cenas do game inseridas no longa). Um dia, há quem acredite que Uwe Boll deverá aparecer em público para assumir que fez este e vários outros de sua filmografia horrorosa apenas para tirar sarro do público e provar que qualquer coisa é vendável. Embora seja baseado num jogo de zumbis, ambientado numa mansão repleta de criaturas, o filme, lançado em 2003, traz seus personagens em confrontos numa ilha paradisíaca, com uma população imensa. Ok, há até algumas cenas num casarão, mas são poucas que justifiquem o título “casa dos mortos“! Depois, ainda seria feita uma continuação ainda mais fora do contexto, assim como outros trabalhos de Boll como Alone in the Dark, aquela bagaceira intragável que nunca permite que Christian Slater fique “sozinho no escuro“.

9 – Tagline de Todo Mundo em Pânico: “No Mercy. No Shame. No Sequel.”

Taglines são aquelas frases que aparecem no cartaz do filme, como uma forma de ampliar a sua divulgação. E há tantas propagandas enganosas por aí que vão além da brincadeira da série de humor negro Todo Mundo em Pânico e a sua promessa inicial de não haver uma continuação. Tâo mentirosa quanto aquela de Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith: “A Saga está completa” – ora, sabemos que este ano sairá o sétimo filme subtitulado O Despertar da Força; ou a de Prometheus, com “A procura da nossa origem pode ser o nosso fim“: ora, sabemos que não será o fim, pois ainda tivemos mais seis filmes com ambientações futurísticas! Deveria ser: “A procura da nossa origem traz efeitos melhores do que no futuro, com os objetivos não fazendo o menor sentido.” E aquela do Godzilla, de 1998? “Tamanho é documento.” Ué, boa parte dos confrontos acontecem com criaturas pequenas…e na batalha com os grandes quem vence são os humanos, os pequenos.

8 – Romasanta – A Casa da Besta (do distribuidor que não soube traduzir)

RomasantaA “besta” do filme não tem casa. Ele vive numa carroça velha viajando entre lugares, vendendo sabonete. Só que a distribuidora brasileira não soube traduzir o subtítulo “la caza de la bestia“, sendo que, em espanhol, “caza” significa “caça“. Assim, o espectador passa o filme inteiro nessa mentira, esperando uma casa que jamais irá aparecer. É como a tagline de Terra dos Lobos, “hungry. Vicious. Deadly“, com a tradução de “Vicious” para “Viciados“, sendo que, no contexto, deveria ser “perversos” ou até “cruéis“. Pelo menos, não vi nenhum lobo cheirando cocaína no filme…

7 – Bonecos em Guerra: O Capítulo Final

Não é equívoco da distribuidora: realmente o título original informa que o quinto Puppet Master, lançado em 1994, seria o Capítulo Final. Seria? Depois deste, tivemos A Maldição dos Brinquedos (1998), Retro Puppet Master (1999), Puppet Master: The Legacy (2003) e Puppet Master vs Demonic Toys (2004). E você realmente acredita nesses “últimos capítulos“? Você achava que X-Men: O Confronto Final, de 2006, seria o último?

6 – Halloween 6: A Última Vingança

O título original é “Halloween: The Curse of Michael Myers” (A Maldição de Michael Myers). Mas, nossa distribuidora antecipou um possível fim da série, sem pensar que, depois deste, Michael Myers apareceria em mais dois filmes e até num remake, e na continuação. Já o filme, um dos piores da série, traz teorias envolvendo maldição druida e adoradores do assassino de babás. Ah…se isso fosse uma mentira!

5 – A Hora do Pesadelo 6: Pesadelo Final – A Morte de Freddy

Na veia da mentira anterior, o sexto filme da série A Hora do Pesadelo também anuncia em seu título a despedida de Freddy Krueger, logo após a série com o personagem. Só que depois de sua morte, ele ainda mostraria seu rosto queimado em O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger (1994) e Freddy vs. Jason (2003), até o lançamento do remake em 2010, sem Robert Englund, o que, convenhamos, foi o verdadeiro sepultamento do personagem.

4 – Sexta-Feira 13: Parte 4 – O Capítulo Final

Sexta-Feira 13 - Parte 6 (1986)
Quem viveu os anos 80 deve ter lamentado o subtítulo anunciando o fim da franquia, com a morte definitiva de Jason Voorhees. E a mentira ainda continuaria no quinto filme, Um Novo Começo, já que o assassino não seria novamente Jason como no primeiro filme. Mas, o assassino imortal ainda seria visto em Crystal Lake com Jason Vive (1986) e A Matança Continua (1988), até partir para a cidade grande em Jason Ataca Nova Iorque (1989). Depois o nono filme também mentiria com A Última Sexta-Feira (1993), pois anos depois viria Jason X (2001). Isso sem contar o já mencionado Freddy Vs Jason, o remake de 2009…e o próximo, em breve nos cinemas.

3 – O Último Exorcismo

O Último Exorcismo 2 (2013) (3)
Quem dera se tivesse sido o último! Não só em relação ao próprio filme, pois o subgênero possessão (contorcionismo e gosmas) já não surpreende faz muito tempo. No entanto, em 2013, foi lançado o pavoroso O Último Exorcismo – Parte 2, de Ed Gass-Donnelly. É como se o Padre Karras resolvesse interromper o ritual praticado com Reagan e dissesse que voltaria no mês que vem, quando o próximo cheque caísse na conta. Além deste, há vários outros filmes que prometem ser o “último“: A Última Esperança Sobre a Terra (depois desta, tentaríamos em Júpiter); A Última Profecia (para evitar problemas, vamos pisar nesse homem-mariposa).

2 – Capas Mentirosas

Alucinação
Sabe aqueles filmes da The Asylum, que mostram cenas dantescas, mas que nunca aparecem no filme? Pois é, mas essa produtora picareta não é a única a tentar enganar o público, com imagens que não condizem com o que será visto. Muitos filmes exploram atores conhecidos, colocando-os em destaque, para atrair a atenção do espectador – que só irá descobrir que trocou gato por lebre depois de ter desembolsado a grana do aluguel ou compra. Lembra daquele filmeco Alucinação (Soul Survivors, 2001), que trazia em destaque na capa a personagem da Eliza Dushku (que faz uma pontinha) e escondia a protagonista Melissa Sagemiller atrás de Wes Bentley? Dushku fazia sucesso com Buffy, A Caça-Vampiros, mas não conseguiu tanto destaque na carreira quanto Bentley – provavelmente se fosse lançado hoje a formação seria diferente! O terror religioso Acampando no Inferno (Camp Hell, 2010) também coloca em letras garrafais o nome de Jesse Eisenberg e a foto do ator, sendo que a aparição dele não dura nem cinco minutos! Podemos também recordar daqueles filmes de terror que serviram de início para a carreira de vários atores e atrizes, colocando-os como chamariz: Amityville 3D (e a pontinha de Meg Ryan) e De Volta à Escola de Horrores (com um George Clooney piscou-dançou), entre outros

Acampando no Inferno

1 – A Morte do Demônio

Parece título português, daqueles que brincávamos ao dizer que um filme como O Sexto Sentido seria lançado em Portugal como “O Psiquiatra que Nâo Sabia que Estava Morto“. Na verdade, foi uma tradução equivocada de alguém que confundiu “Evil” com “Devil” e achou que “The Evil Dead” seria “O Diabo Morto” ou algo parecido. Mas, não deixa de ser engraçado você assistir um filme que já sabe que no final o vilão vai morrer (dá até um certo alívio, né?). Trata-se de um erro que se transformou numa mentira, pois o demônio não só não morre como volta no segundo filme, traduzido por aqui como Uma Noite Alucinante (ficaram com medo de ter que chamá-lo de A Morte do Demônio 2: Desta Vez é de Verdade!). Aliás, “Uma Noite Alucinante” parece aqueles filmes que passam no Sessão da Tarde sobre jovens que saem pela madrugada aprontando altas confusões!

A Morte do Demônio

Bônus: É melhor contar para evitar que vocês se decepcionem: A História Sem Fim acaba, ok? O filme 88 Minutos dura 108 minutos. A franquia Missão Impossível traz missões facilmente realizadas por Tom Cruise. Em A Bruxa de Blair não há bruxa.

(Visited 83 times, 1 visits today)
Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. É autor do livro "Medo de Palhaço", além de ter participado de várias antologias de horror!

6 comentários em “10 Mentiras que os Filmes de Horror Contam

  • 16/09/2015 em 11:29
    Permalink

    Sem falar em um que também já foi citado, Boa vs Python que mostrava a capa das cobras brigando na cidade e tipo, o filme não tem nada disso. Eu imagina elas subindo pelos prédios, brigando uma com a outra. Nem parecia um duelo esse filme

    Resposta
  • 03/04/2015 em 08:50
    Permalink

    … a maior enganação q já vi foi de Alien vs Predador, o slogan do filme era: não importa quem vença, nós perderemos.
    além de não perdermos, a garota fica amiguinha do Predador, é marcada como uma deles, é a única q sobrevive e qdo chega + deles, eles presenteiam ela com uma lembrança do mundo deles e a deixam viva …

    Resposta
  • 02/04/2015 em 21:32
    Permalink

    Que otimo artigo. abriu minha mente 🙂

    Resposta
  • 02/04/2015 em 02:04
    Permalink

    “ficaram com medo de ter que chamá-lo de A Morte do Demônio 2: Desta Vez é de Verdade!” -morri
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Ótimo artigo Marcelo!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien