Artigos, Listas

Horror para os ouvidos: As melhores trilhas compostas para filmes do gênero

Gêneros dos mais famigerados, o horror e o suspense sempre encontraram um sábio uso das composições para ajudar na geração de medo!

Trilhas

Desde que o filme passou a contar com trilha de áudio sincronizado, um novo interesse passou a surgir no cinema, gerando novas discussões, problemas, críticas e possibilidades. Ou indo até mesmo antes disso, o assunto já era presente, uma vez que mesmo nas projeções mais antigas, onde não havia trilha incorporada à película, orquestrações já faziam parte dos espetáculos, com músicos acompanhando a exibição do filme (e às vezes, eles estavam presentes até mesmo durante as filmagens), ajudando a estabelecer a atmosfera para aquela obra.

Claro, muitos se lembrarão de filmes de horror e suspense clássicos, silenciosos. Mesmo assim uma rápida pesquisa nos mostra que o clássico Nosferatu (1922), por exemplo, teve uma trilha exclusivamente composta para ele, feita pelo músico alemão Hans Erdmann. Mas sem querer entrar no mérito de discutir se o cinema seria o que é hoje se não tivesse som ou trilha sonora, pretendo nesse artigo mostrar trilhas sonoras inesquecíveis para o cinema horrorífico, trilhas essas que geralmente ajudaram não somente a estabelecer o clima de um filme, mas também sua identidade e se tornaram indissociáveis dos personagens vilanescos, das vítimas, dos momentos de tensão e dos arrepios sentidos nas telas do cinema.

Gêneros dos mais famigerados, o horror e o suspense de horror sempre encontraram um sábio uso das composições para ajudar na geração de medo, pavor, angústia, sustos, calafrios. Eis aqui então uma lista que não pretende ser definitiva, uma vez que representam uma visão pessoal, mas em vez disso apresentar os belos acordes de composições que ajudaram o cinema de horror a se tornar ainda mais especial para nós fanáticos.

Para a lista não ficar muito extensa, aqui vai um TOP 25 com grandes trilhas de horror e suspense:

25. Premonição

Shirley Walker (falecida em 2006) foi uma das raríssimas compositoras mulheres no cinema. Frequentemente presente em filmes de horror e ficção científica, ela compôs para vários trabalhos da produtora New Line (A Vingança de Willard, a série Premonição) e também para filmes como Memórias de Um Homem Invisível e Fuga de Los Angeles, onde foi parceira de John Carpenter. No primeiro filme da popular cinesserie, Walker entrega uma trilha simplesinha, mas extremamente eficiente e onipresente na trama, que faz dos créditos iniciais e da sequência do acidente momentos ainda mais tensos e inesquecíveis.

24. Cabana do Inferno

Nathan Barr (True Blood e Hemlock Grove) trabalhou junto com Angelo Badalamenti (sim, ele mesmo, parceiro habitual de David Lynch) e fizeram com que o infame filme de estreia de Eli Roth ganhasse um charme ainda mais especial. Os destaques ficam para duas composições de Badalamenti, “Red Love” e “Good Kisser“. Mestre é mestre.

23. May – Obsessão Assassina

Sou suspeito para falar. Amo o filme de estreia de Lucky McKee. Inteligente, com aquele charme de filme indie, muito bem estruturado e atuado (Angela Bettis ❤), combina inteligentemente o drama com o horror psicológico (e às vezes gráfico). Tudo isso embalado pela trilha sonora alternativa dos Breeders e The Kelley Deal 6000. Mas o destaque na trilha fica mesmo por conta das composições originais de Jaye Barnes Luckett que exploram de maneira magnífica a mente perturbada e solitária da personagem-título.

22. Re-Animator

Livremente baseado na obra do mestre H. P. Lovecraft, o cult dirigido por Stuart Gordon ficou marcado pela perfeita combinação entre horror e humor. Essa mistura também está presente na ótima trilha de Richard Band (Do Além, Sonhos na Casa da Bruxa).

21. O Silêncio dos Inocentes

Um dos poucos filmes do gênero aclamado pelo Oscar, o thriller de Jonathan Demme, estrelado pelos grandes Jodie Foster e Anthony Hopkins, também contou com uma discreta, porém essencial trilha composta pelo talentoso músico Howard Shore (habitual parceiro de Peter Jackson, David Cronenberg e ganhador de 3 prêmios da Academia).

20. Hellraiser 2

O filme de estreia de Clive Barker, surreal e impactante, gerou um status cult e milhares de fãs para o universo da trama, gerando uma franquia gigante (até agora, com nove filmes). Se a trilha do primeiro filme já era diferenciada, composta pelo especialista no gênero, Christopher Young, o segundo capítulo mantém a estética onírica e a trilha é ainda melhor, com destaque para o poderoso main theme, Second Sight Séance

19. A Entidade

Novamente Chris Young na lista. Desta vez com um horror de 2012 estrelando Ethan Hawke, Young inova em suas composições, numa música sinistra e constantemente enervante, que combina harmonicamente sintetizadores, sussurros e instrumentos de percussão

18. O Massacre da Serra Elétrica

O título de horror talvez mais conhecido no mundo (embora a maioria nunca tenha visto o original) ficou marcado por sua crueza, também presente na trilha sonora original, composta por Wayne Bell e pelo próprio diretor, Tobe Hooper.
https://youtu.be/9Wd9MxlK9-w

17. Sexta-Feira 13

O primeiro exemplar da enorme franquia do assassino Jason Voorhees (até agora, com 12 filmes), claramente copiado/inspirado pelos slashers que vieram antes dele (notadamente Halloween), ficou marcado também pelo mais famoso “acidente musical” em trilhas de horror, quando o compositor Harry Manfredini usando seu Echoplex acabou criando o sinistro som “ki ki ki ma ma ma“, um eco derivado de “kill her mommy, kill her“, pronunciado no filme por uma demente Pamela Voorhees (Betsy Palmer). O som acabou virando uma das marcas da cinesserie.

16. O Homem de Palha

O perturbador exemplar do horror inglês estrelado por Christopher Lee conta com trilha composta pelo músico Paul Giovanni e que remete de certa forma a conspirações e ritos religiosos. Creeeeepppyyy!

15. Poltergeist

Os sintetizadores estão de volta à lista na trilha composta pelo ganhador do Oscar, Jerry Goldsmith (Alien, Jornada nas Estrelas) para o clássico de Tobe Hooper e Steven Spielberg.

14. Cannibal Holocaust

Não gosto do filme. Por várias razões. Os porquês ficam, talvez, para outro artigo. Entretanto, dentre as qualidades do polêmico longa, a trilha de Riz Ortolani se destaca com folga. Com composições melódicas que combinam perfeitamente à natureza selvagem e outras mais furiosas, Ortolani é um dos motivos pelos quais vale a pena assistir (ainda que somente uma vez) a esse exemplar mais famoso do ciclo do canibalismo no cinema italiano.

13. O Enigma do Mal (The Entity)

Neste obscuro exemplar de horror sobrenatural oitentista, uma mulher alega sofrer um constante assédio (sexual) de uma entidade demoníaca invisível, baseado em fatos reais e no romance de Frank De Felitta, que também assina o roteiro. O destaque, além dos perturbadores ataques da “entidade“, fica por conta da trilha composta por Charles Bernstein (A Hora do Pesadelo, A Noite das Brincadeiras Mortais)

12. Maníaco

Remake do slasher oitentista dirigido por William Lustig, o novo Maníaco não deixou de prestar as devidas homenagens à obra original e à época que aquele filme representava. Um dos pontos nos quais a homenagem se faz presente é na trilha sonora, composta pelo músico francês Robin Coudert (creditado como Rob), que aposta frequentemente em sintetizadores e guitarras distorcidas e presta homenagem ele mesmo à trilhas famosas como da banda Goblin, a de Philip Glass para Candyman (na faixa Wedding Maze) e Wendy Carlos de Laranja Mecânica.

11. Eraserhead

Composta por Alan Splet e pelo próprio diretor David Lynch, a trilha envolve o espectador no surrealismo da trama.

10. O Exorcista

Mais famosa por contar com a enervante faixa Tubular Bells (que faz parte na verdade de um álbum independente de Mike Oldfield), a trilha do clássico dos clássicos do horror é composta por vários artistas. A trilha inicial, de Lalo Schifrin, foi rejeitada pelos executivos da Warner e por William Friedkin, mas você pode acompanhar abaixo e decidir qual das duas (ótimas) trilhas se adequam melhor ao drama de horror.
https://youtu.be/04EShclPAa0

9. O Iluminado

O único filme de horror de Stanley Kubrick, conta com composições de Krzysztof Penderecki, Béla Bartók, Wendy Carlos, entre outros, a trilha sonora combina perfeitamente ao clima de horror psicológico da trama em suas composições.

Leia também:

Páginas: 1 2

9 Comentários

  1. Wladimir Bastos

    Em minha humílima opinião, faltou a trilha sonora de Dracula, de Bram Stocker. Muitas das trilhas citadas são apenas temas, mas é apenas a minha opinião e, como já foi dito, listas são listas… Parabéns pelo blog!

  2. Obviamente listas são sempre, listas. Mas deixar de fora a trilha de Evil Dead (1981 – Joseph LoDuca) demonstra um grande desconhecimento do tema proposto, e isso pra nem citar o maior dos equívocos, a trilha de Fabio Frizzi para The Beyond (1981), que deveria facilmente estar em primeiro, heresia!

    • Sem dúvida Jefferson, trilhas ótimas ficaram de fora, como a de A Profecia, já citada aqui nos comentários, mas se fosse incluir todas importantes para o gênero ultrapassaria facilmente o número 100, mas optei por deixá-la mais enxuta para o formato do site e do meu blog, até mesmo para os infernautas deixarem suas sugestões. Gosto muito do trabalho de LoDuca, inclusive de sua mais recente contribuição ao gênero no ignorado filme A Maldição de Chucky. No frigir dos ovos, preferi deixar a lista mais diversificada e de filmes com os quais tenho mais identificação, taí o motivo de algumas ausências. Perdoe a heresia 😉

  3. Cúzão

    Faltaram 28 years theme song,The omen theme song,the ring soundtrack,maniac cop theme song,phantasm theme song,cloverfield theme song,enfim muitos outros a próxima vez pesquise mais 😛

  4. Denis

    Bela lista! Mas cadê “The Omen” do Jerry Goldsmith?

  5. Hierofante1970

    Tem que ter muito sangue frio para escutar essas trilhas sozinho em casa a noite, só a do Exorcista é de gelar a espinha. Deus é pai.

  6. Murilo

    Bela lista!
    uma trilha sonora q nunca me esquecerei é a da Profecia (1976/2006) minha favorita ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *