Dissecando o Medo #3: A Verdade sobre o vídeo “Soup Torture.avi”

Histórias que inspiram o medo são as mais procuradas da internet. Um festival de cenas bizarras e imagens perturbadoras, a Deep Web se tornou a porta de entrada para o encontro com pesadelos reais, escondidos nos subterrâneos da navegação tradicional. É uma passagem só de ida para o Inferno virtual, com um passeio aterrorizante que ficará marcado eternamente em sua consciência, possivelmente fazendo-lhe visitas durante as noites insones. Um exemplo bastante assustador é conhecido oficialmente como Soup Torture.avi, uma cena em vídeo de menos de um minuto que boia tranquilamente nas águas turvas das esquisitices testemunhadas frequentemente online. Neste terceiro Dissecando o Medo, você descobrirá a verdade por trás de um dos vídeos mais estranhos que o Youtube já disponibilizou, um terror psicológico mais profundo do que muita produção do gênero. A continuação da leitura é por sua conta e risco!

Soup Torture (1)

Quando um furto é sopa

Em 2005, Raymond Persi, um grande nome da indústria de animação, tendo no currículo a direção de episódios dOs Simpsons e que depois faria o storyboard de Detona Ralph (2012), da Walt Disney, decidiu iniciar um projeto pessoal. Em seu canal Dailymotion, Persi desenvolveu um conceito que não pretendia apresentar para grandes estúdios, apenas exibi-lo na internet, como tradicionalmente os youtubers fazem, além de apresentações ao vivo em casas de espetáculo. Raymond criou os personagens RayRay, dando-lhes vida através de alguns vídeos realizados e a promoção de seus movimentos coreografados. “Eles começaram como um rabisco, depois pinturas, peças de arte até vocês finalmente vê-los em vídeo.“, disse Persi. “Para um projeto cujo objetivo central é o isolamento e as confusões, eu me encontrei e comecei a trabalhar com muitos atores e artistas. RayRay teve algumas performances em Los Angeles, e nós conseguimos levá-lo a todos os lugares da América e por alguns outros países. RayRay não têm a habilidade de se comunicar ou expressar seus pensamentos, mas ainda assim se destacou e chamou a atenção do outro lado do mundo, independente de sua vontade“.

Com muitos outros compromissos profissionais, como o próprio Detona Ralph, em processo de pré-produção, ele acabou deixando de lado sua criação pessoal. Não tinha sido tão fácil iniciá-lo. Para dar vida aos personagens, ele havia investido na caracterização deles, contratado atores para interpretá-los e ambientação específica. “Deixar de lado” significaria aceitar um grande prejuízo financeiro, algo que poderia ser contornado pelos cheques de possíveis novos envolvimentos na indústria de cinema. Para tornar ainda mais difícil qualquer possibilidade de retornar com seu projeto, após uma apresentação em um local pequeno os trajes de RayRay foram roubados. O que mais causou estranhamento é que os invasores não levaram dinheiro ou objetos de valor comuns em estúdios de gravação, apenas as roupas usadas pelos personagens. Qual seria o motivo? Algum fetiche?

Nas palavras do criador: “Uma vez nós nos apresentamos em um clube da Sunset Strip em Hollywood; eu acho que era o ‘The Key Club‘. Era um lugar com um pequeno backstage e com o local de troca de roupas bem sujo, e deixamos nosso veículo na parte de trás do clube. Nós nos apresentamos com uma trupe de circo que tinha dançarinos, percursionistas, engolidores de fogo etc. Essa trupe tinha uma base em LA em que muitas pessoas veneravam suas performances. Depois da apresentação, nós estávamos todos no clube vazio, organizando e guardando o equipamento (a parte não divertida de um show). Quando meu grupo retornou para o carro para guardar nossas coisas e comer alguma coisa, nós vimos que muitos dos nossos bonecos RayRay e roupas tinham sido roubadas. Nossa porta não tinha uma tranca e o beco dava direto para uma rua movimentada, então podia ser qualquer pessoa da plateia ou qualquer um. Nem é preciso dizer que fiquei muito muito arrasado. Por sorte, ainda tínhamos algumas roupas e conseguimos continuar nossa performance, mas isso abalou a todos nós.

Um ano depois, um misterioso vídeo despontou no Youtube. “Soup Torture” (pode-se traduzir como “tortura da sopa“) surgiu em um canal intitulado Adana, e teve apenas algumas poucas visualizações durante um bom tempo. O vídeo foi descoberto por um usuário em sua página Some Ordinary Games, viralizando-o. Várias histórias surgiram a partir dele, com algumas especulações assustadoras. O que teria esse vídeo de tão perturbador? O que poderia ser essa tal “Tortura da Sopa“? E qual a relação com os bonecos RayRay? Veja:

Persi já tinha visto o vídeo na época do roubo. “Algumas semanas depois, eu voltei a trabalhar no meu computador e tinha um e-mail com anexo.“, ele conta. “Era o vídeo que todo mundo agora está chamando de ‘Blank Room Soup’ – um cara com um babador, com seus olhos escondidos, comendo não sei o quê com uma grande colher e meus personagens ao lado dele. Coloquei no Youtube para mostrar para meu pessoal. Conversamos a respeito durante um tempo: o cara estava chorando? Rindo? Não sabíamos. Honestamente, a parte mais estranha para mim era que os RayRays no vídeo se moviam e agiam exatamente como é costume deles (é algo que os atores deviam treinar por semanas para fazer corretamente, quando chamávamos alguém novo. Eu não acho que tínhamos tantos vídeos online naquela época como referência. É um pouco estranho pensar que as pessoas que estavam fazendo aquilo havia nos assistido talvez algumas vezes.”

O usuário chamado ReignBotHorror mandou um e-mail para Raymond Persi a respeito do estranho vídeo em 2014 – muito do que foi respondido você está acompanhando nesta postagem. Ele ficou realmente assustado quando começaram a surgir rumores de que o cara do vídeo estava se alimentando de partes humanas. Depois a situação se tornou ainda mais perturbadora quando outras revelações vieram à tona: ele não estaria apenas comendo partes humanas, mas de sua própria esposa, sequestrada e morta pelos indivíduos vestidos de RayRay.

Todas essas histórias foram completadas com outros vídeos e edições, espalhados na Deep Web. “Soup Torture.avi” passou a ser um dos termos mais perseguidos na internet do submundo, com curiosos por todo o planeta querendo saber mais sobre o rapaz que, em lágrimas, se alimenta desesperadamente. Novas versões do vídeo, “Blank Room Soup” e “Freaky Soup Guy“, traziam mais do mesmo, mas com um movimento diferente do RayRay, desta vez acariciando o rapaz torturado. Diziam que ele havia sido sequestrado, juntamente com a esposa. Passados dias sem ser alimentado, ficou sabendo que sua esposa havia sido morta e que a única refeição que teria era proeminente de seu corpo, já em estado de decomposição.

Persi fez questão de deixar evidente que não tinha nada a ver com o vídeo. Teria provado o roubo ocorrido durante a apresentação, e afirmou que não entrou em contato com a policia na época porque não queria alimentar uma brincadeira. Ele não imaginava que seus personagens alegres poderiam inspirar mentes doentias na realização de um vídeo tão assustador como esse. Mas, ele tinha uma certeza: aqueles eram realmente os trajes usados em seu projeto pessoal. Declarou ainda que os atores contratados para encenar RayRay também não tinham nada a ver com os bonecos, apesar de achar estranho que o movimento dos personagens era perfeito como foram concebidos originalmente.

Você está me fazendo pensar se as pessoas que fizeram os vídeos estão querendo apenas chamar a atenção online. Então isso é o motivo pelo qual eu abandonei a ideia.“, concluiu Persi

Chamar a atenção

Para aqueles que duvidam do conteúdo suspeito dos vídeos envolvendo os RayRay, uma teoria basicamente alimenta a possibilidade de tudo se tratar de um meio de apenas chamar a atenção. Na mesma época em que Raymond Persi desenvolveu sua página no Dailymotion e a encheu de vídeos – deixando claro que os personagens eram de sua autoria -, seu canal também trazia um que apresentava a banda Stolen Babies com a música Push Button. Basta reparar no baterista da banda para depois visualizar um outro vídeo intitulado Gil is Missing, que traz o músico – aparentemente desaparecido – sendo trazido como prisioneiro pelo RayRay.

Com isso, pode-se perceber que Raymond queria brincar com seus personagens como se eles fossem entidades (ou sei lá) que sequestram e mantém em cativeiro e, ao mesmo tempo, promover a banda. No caso do Soup Torture, o homem que bebe sopa enquanto chora seria o próprio pai dos bonecos, como se tivesse à mercê de suas criações. Como o vídeo e suas versões foram parar na Deep Web e alimentaram teorias esquisitas, Raymond resolveu fingir que se tratava de algo real relacionado a um suposto roubo. Há um usuário de um fórum, inclusive, que relatou que o tal The Key Club, apontado por Persi como o local onde as roupas foram furtadas, nem sequer existia na época em que relatou a apresentação.

Bonecos do Mal

Também existem outras especulações sobre o conteúdo do vídeo, com base em algumas teorias comuns em creepypastas. Há quem acredite que os personagens adquiriram vida ou seriam pessoas deformadas, escondidas através da fantasia de RayRay. Um vídeo na internet que mostra a audição de um dos RayRay já seria uma base para comprovar sua natureza assustadora; e soma-se a diversos vídeos com apresentações dos personagens, com apenas a alteração do fundo, como se misteriosamente eles estivessem aparecendo nos lugares determinados. No caso, o vídeo da sopa seria uma ameaça a Raymond para que ele deixasse os bonecos de lado, mas jamais resolvesse tirar os vídeos do ar.

Sem a confissão de seu criador, o mistério em torno da relação entre os personagens macabros e o vídeo de tortura parece ainda um pouco distante de uma resposta. Enquanto isso, os vídeos continuam sendo analisados por diversos canais, cada um com a sua própria teoria. Tortura real? Meio de chamar a atenção? Uma brincadeira tola?

Qual é a sua teoria?

Quer ver outras esquisitices da Deep Web analisadas nesta coluna? Entre em contato e dissecaremos o conteúdo para você!

(Visited 6.075 times, 29 visits today)
Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. É autor do livro "Medo de Palhaço", além de ter participado de várias antologias de horror!

11 comentários em “Dissecando o Medo #3: A Verdade sobre o vídeo “Soup Torture.avi”

  • 21/08/2016 em 20:22
    Permalink

    SIM SIM!! A deep web e suas historias e videos poderiam ser mais bem explorados por aqui..

    Resposta
      • 24/08/2016 em 16:05
        Permalink

        caso falem sobre as “Lolita Slave Toys” ,digam se é real ou farsa! já me contaram essa estoria e nunca mais dormi direito!! kkkk

        Resposta
  • 21/08/2016 em 19:29
    Permalink

    Porra, eu acho que pode de boa ser uma brincadeira, mas de muito mau gosto…

    Resposta
  • 21/08/2016 em 14:05
    Permalink

    os teletubbies já eram sinistros,mas esses saíram do inferno!!! perturbador demais!!

    Resposta
      • 21/08/2016 em 19:59
        Permalink

        os os teletubbies ainda eram fofinho no jeito deles…mas esses carinhas ai !! caraca!! deve ser uma roupa vazia cheia de aranhas dentro!! kkkk!

        Resposta
        • Rodrigo Ramos
          24/08/2016 em 00:33
          Permalink

          Rapaz! Tu conseguiu deixar tudo muito mais bizarro agora!!! Brrrrrrrrrrr…

          Resposta
          • 24/08/2016 em 16:09
            Permalink

            rapaz! imagina acordar numa sala com uma câmera e esses bonequinhos? e ouvir uns barulhinhos de milhões de aranhinhas la dentro!! credo!! kkk!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien