Artigos, Listas

13 Lugares para Passar Longe na Black Friday

Seu guia reverso de compras para literalmente não pagar os olhos da cara nesta “Sexta Feira Negra”

Em uma nova tradição trazida dos Estados Unidos (como o Halloween), neste dia 25 de novembro o Boca do Inferno também está no clima da Black Friday! Venha gritando em hordas, porque vamos queimar o estoque, cortar seus preços no meio, parcelar bem picadinho até a concorrência sangrar! Leve o que quiser, você não precisa gastar dinheiro enquanto ainda possuir sua alma! Apenas tome cuidado com estes 13 filmes, pois eles são lugares bem mal-intencionados para suas compras de Natal. Confira!

13. Em Pânico (Hide and Go Shriek, 1988)

Nesta pequena produção, infelizmente pouco assistida e que precisa ser revisitado pelos fãs de slashers oitentistas, um grupo de casais adolescentes resolvem passar a noite na loja de móveis do pai de um deles para comemorar a graduação. Até que eles tem a ideia de brincar de esconde-esconde, porém um assassino não identificado também quer entrar na brincadeira e matar um a um. Em Pânico tem tudo o que um slasher da época pode apresentar, inclusive nas coisas bregas, então prepare-se para testemunhar muita mulher nua, diálogos toscos e atuações canastronas. Não se esqueça de ver uma clássica cena de decapitação, usando um elevador de carga, que é uma das maiores referências ao filme.

12.  Iniciação (The Initiation, 1984)

Kelly Fairchild (Daphne Zuniga, Melrose Place) está entrando em uma fraternidade e ela e algumas de suas “irmãs” precisam participar de uma iniciação, um processo que inclui passar a noite em um shopping vazio, pertencente ao pai de Daphne. Antes que você consiga gritar “slasher“, um maníaco está a solto no shopping, as meninas estão trancadas no lugar e o sangue começa a rolar solto. Apesar de ser também um filme de serial killer, Iniciação tenta colocar um ângulo diferente no começo, com a protagonista sofrendo de pesadelos e um de seus professores tentando ajudá-la a entender a situação, porém esta “fusão” de gêneros (psicológico e slasher) não corre muito bem e acaba caindo na mesma vala das produções pouco inspiradas dos anos 80. Contudo existe alguma qualidade e boas cenas brutais, incluindo machados na cabeça e esfaqueamentos.

11. Intruder (1989)

intruder-1989

Como slashers nunca são demais aqui vai mais um, mas este pelo menos tem excelentes motivos para ser visto (ou revisto). É tarde da noite no supermercado de Walnut Lake e a caixa Jennifer Ross (Elizabeth Cox) está sendo assediada por seu namorado obsessivo que acabou de sair da cadeia. Isto acaba gerando todo tipo de confusão com os demais empregados. Quando finalmente os clientes estão para fora e o mercado é fechado, a equipe continua lá dentro para marcar todo o estoque e descobrem que os donos do estabelecimento decidem vender tudo e passar o ponto até o fim do mês. A notícia só não é pior porque em breve alguém decide assassinar metodicamente cada um dos colaboradores que estão lá fazendo hora extra… Seria o namorado de Jennifer? Se o filme parece uma produção de serial killer bem tradicional, Intruder se destaca por trazer boa parte dos realizadores de Uma Noite Alucinante 2 (1987): da direção de Scott Spiegel (co-roteirista de Evil Dead 2), passando pelos eficientes efeitos especiais assinados pela KNB (de Greg Nicotero) e o elenco que inclui os irmãos Ted e Sam Raimi, Dan Hicks e uma ponta de Bruce Campbell.

10. Uma Noite Alucinante 3 (Army of Darkness, 1992)

Falando em The Evil Dead, como não lembrar da loja onde Ash Williams (Bruce Campbell) trabalha, a S-Mart? Após os eventos do filme anterior, transportado para o ano de 1300 A.C., Ash é capturado pelo Rei Artur e a muitas penas (e graças ao seu “Boomstick“) consegue seu respeito. Ash é considerado “o escolhido” e é colocado para procurar o Necronomicon, o livro proibido dos mortos, enquanto ele só quer voltar para casa. Contudo ele percebe que as tarefas estão interligadas e parte para a terra dos Deadites, entidades demoníacas liberadas pelo Necronomicon. Conseguindo o passe de volta para o presente, Ash reconta sua história para um colega na S-Mart quando uma Deadite sobrevivente se revela e ataca os clientes. Ash aproveita que a loja também vende rifles para destruir a ameaça, além de fazer uma propaganda… Certamente é uma péssima época para fazer compras por lá. Um clássico da era VHS, para quem não conhece é uma produção divertida, sangrenta e altamente recomendada.

9. Chopping Mall (1986)

chopping-mall-1986

Os administradores de um shopping center compram a tecnologia de segurança mais avançada disponível para proteger suas lojas: três robôs que parecem Daleks do Doctor Who. Um raio cai na rede de eletricidade e torna os robôs em máquinas psicóticas de matar e depois de vitimar seus programadores, as máquinas travam suas miras para um bando de adolescentes que estão fazendo uma festa na loja de móveis com o shopping fechado. Conhecido pelo seu fator guilty pleasure, Chopping Mall é de longe o melhor trabalho do prolífico diretor de bagaceiras Jim Wynorski (que também assina o roteiro). Baixo orçamento aliado com muito entretenimento, nudez e grandes nomes do cinema B como Barbara Crampton (Re-Animator), Russell Todd (Sexta-feira 13 parte 2) e Mary Woronov (Corrida da Morte – Ano 2000). Em todo caso são menos de 80 minutos, que mal pode te fazer? Agora se procura alguma coisa séria de verdade, o filme definitivo sobre terror no Shopping Center ainda está por vir.

8. A Noite do Cometa (Night of the Comet, 1984)

a-noite-do-cometa-1984

Falando em shoppings, este é um dos poucos lugares de refúgio de um grupo de sobreviventes que escapou acidentalmente da passagem de um cometa pelo planeta Terra, que deixou uma espécie de fumaça alienígena que ou destruiu os seres humanos ou os transformou em zumbis sedentos. Aparentemente apenas os que estavam dentro de prédios de metal foram o que escaparam deste destino fatídico. A Noite do Cometa é uma produção pouco conhecida, mas muito apreciada chegando ao status de cult. Infelizmente não aproveita todo o potencial da premissa e acaba caindo nos mesmos clichês e estereótipos oitentistas, porém é um bom registro de época que acho que até merece uma nova chance para ser refeito nos dias de hoje. Para fãs de Star Trek conta com um dos primeiros papéis de Robert Beltran, o comandante Chakotay de Star Trek: Voyager.

7. Natal Sangrento 5: O Horror na Loja de Brinquedos (Silent Night, Deadly Night 5: The Toy Maker, 1991)

Na quinta e última (até o momento) sequência da franquia “não tão popular, mas suficiente para tirar um troco fácil” de Natal Sangrento, Mickey Rooney (que curiosamente protestou contra o original na época do lançamento) interpreta um fabricante de brinquedos e pai abusivo que vende brinquedos com potencial de matar de verdade! Quando um garoto vê seu padrasto sucumbir ante a um destes artefatos malignos, ele renuncia completamente a vontade de brincar. Sua mãe, Sarah, tenta ajudar levando ele para a loja do artífice vilanesco…. Um péssimo lugar para comprar qualquer coisa e onde nenhum produto tem garantia, este é um filme como tantos outros da época, mas com cenas bizarras o suficiente para fazer passar o tempo e relembrar a bagunça que era o horror no começo dos anos 90.

6. Todo Mundo Quase Morto (Shawn of the Dead, 2004)

Todo Mundo Quase Morto (2004) (1)

Shaun (Simon Pegg) é um vendedor de eletrônicos sem ambições ou direção na vida. Segue seus problemas mundanos e sua vida corriqueira com os mesmos problemas de sempre. Um dia depois de perder a namorada Liz (Kate Ashfield) e tomar um porre com o melhor amigo Ed (Nick Frost), um apocalipse zumbi se instala, mas Shaun está de ressaca e demora a perceber que mortos-vivos dominaram o Reino Unido. Quando ele vê o tamanho da encrenca, procura se aliar a Ed, resgatar sua mãe e Liz e montar barricada no seu pub favorito, o Winchester. A estreia de Edgar Wright na direção de um longa-metragem é um clássico contemporâneo instantâneo. Suas críticas sutis ou mesmo escrachadas ao jeito britânico de ser, aliado a ação intensa e um roteiro inteligente faz com que Shawn, acima de qualquer rótulo, seja o herói mais crível do cinema de horror moderno. Se não viu, não sabe o que está perdendo.

5. Hellraiser – Renascido do Inferno (Hellraiser, 1987)

Hellraiser (1987) (8)

Outro clássico obrigatório do cinema fantástico, a obra prima de Clive Barker, Hellraiser, não se passa exatamente em um shopping, mas a saga jamais teria início se Tio Frank (Sean Chapman) não tivesse examinado com atenção uma loja de antiguidades e se deparado com uma estranha, linda e enigmática caixa de lamentos. Essa saidinha para fazer compras libertou seres ambíguos denominados cenobitas e criou um terror inexplicável para todos de sua família, pior até do que se ele tivesse comprado uma máquina de Karaokê.

4. Gremlins (1984)

Gremlins (1984)

Uma compra frustrada, mas desta vez com consequências menos extremas, também é o tema de Gremlins. Randall Peltzer (Hoyt Axton) visita uma loja de antiguidades com esperança de encontrar um presente para seu filho Billy (Zach Galligan). Randall encontra uma simpática e peluda criatura chamada de mogwai (“monstro” em Cantonês) e fica encantado por ela, porém o dono da loja se recusa a vendê-la. É o neto dele que faz a transação em segredo com Randall desde que ele respeite três regras básicas (que talvez você já conheça): Não exponha o monstrinho à luz forte, não o molhe e nunca o alimente depois da meia-noite… Provavelmente a obra de Joe Dante mais reconhecida, Gremlins é ainda um grande entretenimento e produção obrigatória para a época de Natal. Divertidas e carismáticas, as criaturinhas são perfeitamente manipuladas por animatronics evocando uma nostalgia e uma qualidade de efeitos que infelizmente anda se perdendo no cinema atual.

3. O Nevoeiro (The Mist, 2007)

O Nevoeiro (2007)

Esta adaptação de um conto de Stephen King é o total oposto das demais produções citadas neste artigo, pois neste caso você precisa vir correndo para dentro deste supermercado ou sua vida estará em risco quando um espesso nevoeiro que circunda toda uma pequena cidade esconde monstros assassinos. Uma obra pessimista e claustrofóbica dirigida por Frank Darabont (Um Sonho de Liberdade, À Espera de um Milagre), frequentemente listado como tendo um dos finais mais chocantes do cinema fantástico e uma das melhores adaptações do autor, o que não é pouco a se dizer.

2. Trocas Macabras (Needfull Things, 1993)

Stephen King também oferece a base literária para este filme dirigido por Fraser C. Heston que conta a história de um misterioso homem chamado Leland Gaunt (Max von Sydow), que abre uma loja de antiguidades chamada “Needful Things” em uma pequena cidade no Maine (onde mais?). A loja vende diversos itens de grande valor pessoal para os residentes, e para pagar é preciso somente um pouco de dinheiro e um “favor” exigido pelo proprietário… É como se todo dia fosse Black Friday, certo? Errado! Gaunt convence as pessoas a cometer “favores” cada vez mais malignos e as pessoas percebem que suas “coisas necessárias” estão sendo acompanhadas por um preço cada vez maior. Ainda que não tenha o brilhantismo de outros filmes desta lista e tenha seus diversos problemas de condução, Trocas Macabras é um estudo sobre até onde a ganância pode fazer as pessoas permitirem ser manipuladas e, se não for o suficiente, assista pelo menos a inspirada paródia do desenho “Rick and Morty” em “Something Ricked This Way Comes“, o episódio 9 da primeira temporada, que satiriza Needfull Things à perfeição.

1. Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead, 1978)

Despertar dos Mortos (1978)

No clássico definitivo sobre terror no Shopping Center, este filme de George A. Romero conta basicamente a história de um grupo de sobreviventes de uma crescente epidemia de zumbis que buscam refúgio em um centro de compras. Dispensando qualquer comentário sobre a qualidade da obra, já extensamente descrita em textos inclusive aqui no Boca do Inferno, Romero tece diversos comentários afiados sobre o terror do consumismo, pois os mortos-vivos aparecem no Shopping provavelmente levados por sua memória dos bons momentos que passavam lá enquanto eram pessoas normais e demonstra que nem com um prédio cheio de dinheiro e itens de consumo pode salvar sua vida quando ela é colocada em risco. Portanto vamos combinar com o titio Romero: nesta Black Friday não seja um Zumbi desmiolado atrás todas as boas ofertas que aparecerem na sua frente, aprecie os descontos e compre somente o que precisa, certo?

Leia também:

Gabriel Paixão

Gabriel Paixão

Colaborador e fã de bagaceiras de gosto duvidoso. Um Floydiano de carteirinha que tem em casa estantes repletas de vinis riscados e VHS's embolorados. Contato: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *