Cinema

Colossal é processado pela Toho, criadora do Godzilla

De acordo com a companhia japonesa, o novo projeto de Nacho Vigalondo é um filme do Godzilla não autorizado

oi

Toho entrou com um processo contra a Voltage Pictures

Na semana passada falamos sobre Colossal, novo longa de Nacho Vigalondo estrelado por Anne Hathaway, descrito como uma bizarra mistura de Godzilla e Quero Ser John Malkovich. Acontece que a Toho, criadora do Godzilla, não gostou muito da ideia de ter seu monstro roubado e entrou com um processo contra a Voltage Pictures.

A Toho acusa a produtora de “produzir, promover e vender descaradamente um filme do Godzilla próprio e não autorizado”. Os proprietários dos direitos do monstro destacam uma entrevista que Vigalondo deu no ano passado em que ele comenta sobre o roteiro: “Será o filme do Godzilla mais barato já feito, eu prometo. Será um filme sério do Godzilla, mas eu tenho uma ideia que irá fazê-lo ser tão barato que vocês se sentirão traídos”.

O processo é focado na publicidade de Colossal, que, de acordo com a Toho, utilizou conteúdo infringido. Os cineastas teriam enviado a possíveis investidores um e-mail contendo uma foto do reboot de Godzilla e um documento com várias imagens dos trabalhos da Toho.

Em Colossal, Hathaway viverá Gloria, uma mulher comum que, depois de perder seu emprego e seu noivo, decide abandonar sua vida em Nova York e se mudar de volta para sua cidade natal. Mas, quando começam a surgir testemunhos de um lagarto gigante destruindo a cidade de Tóquio, Gloria percebe, aos poucos, que está estranhamente ligada a estes eventos distantes pela força de sua mente. Para prevenir mais destruição, ela deve determinar por que sua existência aparentemente insignificante tem um efeito tão colossal no destino do mundo.

Leia também:

Silvana Perez

Silvana Perez

Escolheu alguns caminhos errados e acabou vindo parar na Boca do Inferno. Contato: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *