Críticas

O Cérebro (1988)

Filme bagaceiro que até lembra um pouco aquelas divertidas tranqueiras dos anos 50, com sua estética de produção barata e efeitos toscos!

O Cérebro (1988)

Controlando sua mente e devorando sua carne

O Cérebro
Original:The Brain
Ano:1988•País:Canadá, EUA
Direção:Ed Hunt
Roteiro:Barry Pearson
Produção:Anthony Kramreither
Elenco:Tom Bresnahan, Cynthia Preston, David Gale, George Buza, Christine Kossak, Bret Pearson, Bernice Quiggan, Susannah Hoffman, Justine Campbell, Robert King

Na pequena cidade americana de Meadowvale, existe um Instituto de Pesquisas Psicológicas (com uma arquitetura futurista que mais parece uma gigantesca nave espacial), que é dirigido pelo cientista louco Dr. Anthony Blakely (David Gale), auxiliado pelo violento enfermeiro Verna (George Buza). Ele tem um programa de TV chamado Pensamento Independente, com o suposto objetivo de ajudar as pessoas com seus conflitos interiores. Mas, o que interessa mesmo é a lavagem cerebral e o controle da mente de seus telespectadores, induzindo-os a cometer assassinatos e suicídios sob a influência de terríveis alucinações. Alimentando com suas ondas cerebrais e às vezes até literalmente com suas próprias carnes, uma criatura alienígena similar a um enorme cérebro, que pretende dominar o mundo. Porém, surge em seu caminho um casal de namorados adolescentes fúteis, o rebelde Jim Majelevski (Tom Breznahan), e a bela Janet (Cindy Preston), que resiste ao seu controle e tenta alertar as pessoas sobre sua existência ameaçadora.

O Cérebro (The Brain, EUA / Canadá, 1988) tem direção de Edward Hunt e roteiro de Barry Pearson, que fizeram juntos alguns outros filmes do gênero como Plague (1979), Aniversário Sangrento (1981) e Alien Warrior (1986). É um típico filme bagaceiro que até lembra um pouco aquelas divertidas tranqueiras dos anos 50 do século passado, com sua estética de produção barata, história bizarra, personagens patéticos e efeitos toscos.

O Cérebro (1988) (2)

Algumas cenas são tão ruins que até ficam hilárias, com direito a decapitação com um machado sem uma única gota de sangue, ou um ataque de motosserra rasgando a barriga de uma vítima, também sem a presença do líquido vermelho, que deveria jorrar em profusão, ou ainda uma cabeça sendo arrancada do corpo com um simples soco. Sem contar a total displicência do roteiro, totalmente desinteressado com detalhes ou coerência, citando como exemplo o simples fato do cérebro alienígena aparecer do nada e devorar suas vítimas, não esclarecendo como seria sua inverossímil locomoção.

Porém, por outro lado, a despeito do desfile de bobagens do roteiro, é interessante ressaltar uma pertinente crítica aos meios de comunicação, principalmente a televisão, pelos métodos utilizados para manipular as pessoas (nesse caso, incitando-as à violência e tornando-as marionetes sob o controle do Cérebro).

O Cérebro (1988) (3)

Por curiosidade, vale registrar que o ator inglês David Gale (1936 / 1991), fez o papel alguns anos antes do igualmente cientista louco Dr. Carl Hill, no sangrento e cultuado Re-Animator (1985), onde também perdeu literalmente a cabeça. E que o filme já foi lançado no Brasil em VHS pela Tec Home, porém aguarda ainda alguma distribuição em DVD.

Leia também:

Juvenatrix

Juvenatrix

Uma criatura da noite tão antiga quanto seu próprio poder sombrio. As palavras são suas servas e sua paixão pelo Horror é a sua motivação nesse Inferno Digital.

4 Comentários

  1. wladimir duarte sales

    Trasheira divertidíssima. Mesmo diante dos furos de roteiro que mais parecem buracos negros. Entre eles o papel do cientista maluco que alimenta o cérebro, quando ele é morto fica no ar a dúvida se ele era humano escravizado pelo monstro ou era parte deste. Sem mencionar o crescimento da coisa em progressão geométrica, as feições absurdamente horrendas e os rugidos da criatura.

  2. Emerson Silva Salgueiro

    Lixo total. Com um Ser Humano faz um filme como esse? Ridículo.

  3. Gilson Bloch

    Amo este filme. Desde que assisti no cine trash’, pra mim o melhor filme da sessao junto com shackman .

Trackbacks / Pings

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *