Críticas

O Homem das Sombras (2012)

O foco não está em sustos fáceis, mas no suspense que se desenrola devagar e de modo realista. É assombroso e tocante de diversas maneiras!

O Homem das Sombras (2012)

Não é o que parece…

O Homem das Sombras
Original:The Tall Man
Ano:2012•País:EUA, Canadá, França
Direção:Pascal Laugier
Roteiro:Pascal Laugier
Produção:Kevin DeWalt, Scott Kennedy, Jean-Charles Levy, Clément Miserez
Elenco:Jessica Biel, Jodelle Ferland, William B. Davis, Stephen McHattie, Samantha Ferris, Eve Harlow, Teach Grant, Jakob Davies

por Tiago Toy

O título de The Tall Man (2012) seria, originalmente, The Secret (O Segredo). Apesar de não ser tão impactante quanto, seria muito mais apropriado, pois não levaria o espectador a esperar por uma história arrepiante sobre um raptor de crianças baseado no mito de Slender Man. Também preveniria diversas referências a Phantasm e Jeepers Creepers. Ainda mais, cumpriria com a promessa. O filme é mais sobre um segredo (que obviamente não contarei qual é, seria um crime) do que o tal Homem Alto. Ele é apenas uma muleta.

Algumas vezes, a melhor maneira de se contar uma história é do jeito mais simples. The Tall Man até que começa simples o bastante. Uma criança é raptada e a mãe vai em sua busca. Há uma lenda local sobre o Homem Alto, uma figura misteriosa avistada algumas vezes em noites onde crianças desapareceram sem deixar rastro. O único xerife disponível (e que prefere ficar bebendo café na lanchonete, o point da cidade) é um velhote que pode cair com qualquer empurrão, os habitantes são os genuínos estereótipos, como alcoólatras, “mulheres de malandros”, pessoas sem estudos, e por aí vai.

Cold Rock, a cidadela onde se passa a história, é a típica cidade interiorana, mas com uma beleza sutil e fria, um lugar onde não há mais dinheiro ou perspectiva de crescimento. Abandonada pelos grandes e esquecida no tempo, nem mesmo uma sequência aterrorizante e ininterrupta de sequestros não resolvidos é o suficiente pra chamar atenção da mídia ou autoridades. Até que há um homem encarregado do caso, o tenente Dodd, interpretado por Stephen McHattie (Exit Humanity), mas como uma andorinha só não faz verão, não importa quanto ela se esforce…

O Homem das Sombras (2012) (1)

Jessica Biel (O Massacre da Serra Elétrica 2003) é Julia Denning, uma enfermeira viúva de um grande médico que ajudou muito a cidade em seus tempos dourados. Mais uma vez Jessica interpreta dignamente e nos encanta com seu rosto angelical. Ficamos com pena quando começa seu martírio e, se pudéssemos, a ajudaríamos, assim como ela tenta ajudar a comunidade como pode. Já no começo, sem instrumentos adequados e munida apenas dos conhecimentos e da coragem, ela realiza o parto em uma menina de 16 anos que foi “estuprada” por um cowboy alcoólatra – o próprio namorado. Fica claro que o bebê não é bem-vindo. O Homem Alto, afinal, não é uma lenda: é uma dura verdade. Mais uma criança significa mais um rapto em potencial. Ninguém interpreta como Biel. Temos aqui uma de suas melhores atuações.

Jodelle Ferland (Terror em Silent Hill, Caso 39) interpreta Jenny, uma garota com um não-explicado trauma, o que resultou em sua mudez. Ela se comunica através de um caderninho sempre pendurado como uma bolsa onde escreve e desenha todo o tipo de coisas, inclusive um desenho do raptor. Não um retrato falado, mas uma silhueta. Passa ano, entra ano e Jodelle continua com a mesma cara de quando fez Silent Hill. É perfeita para esse tipo de papel: uma garota misteriosa, reclusa ou apenas com cara de boba. Só que de boba ela não tem nada, e parece saber mais sobre o Homem Alto do que a cidade inteira junta.

O Homem Alto, finalmente! Como o filme foi vendido como terror, esperávamos descobrir um monstro debaixo daquela roupa toda. Considerando o que esperamos (pelo menos na primeira meia-hora de filme), não acredito que o visual tenha funcionado. Tudo bem que de terror não há nada, mas do mesmo jeito que o diretor criou tensão e estabeleceu um tom lúgubre na decadente cidade, acredito que o homem por baixo da roupa (e me refiro ao dublê, o ator por baixo da roupa mesmo, e não ao raptor-personagem) parecia mais um delinquente magricela do que um homem pra botar medo. Quando descobrimos quem é o fulano, continuamos com esse detalhe martelando. Não digo que todos pensarão assim, mas como eu sou detalhista pra car…

As reviravoltas. Há muitas! A primeira cena mostra Julia toda arrebentada recebendo cuidados médicos quando um homem aparece e diz que “ele não foi encontrado… nem os outros”. Já esperamos o obvio. Quando o filme começa a andar, um estalo diz “ele não estava se referindo ao fulano, e sim ao ciclano”. Então a primeira reviravolta joga tudo por água abaixo e você se perde, e tenta raciocinar. “Mas que porra tá acontecendo? Será uma seita com oferendas humanas?” E, logo em seguida, tudo, mas tudo mesmo em que você acreditava desmorona. Foda-se essa porra! Você desiste de tentar entender e espera a conclusão, moderadamente lenta. A atmosfera transmitida desde o início, as locações com tons frios e a trilha sonora agradabilíssima ajudam a conduzir sem que o interesse seja perdido. O elenco fez um bom trabalho e, talvez, se tivessem sido escolhidos outros atores, o resultado seria diferente. É uma história com tom de conto, bem conduzida, bem amarrada. Uma surpresa em todos os sentidos. Muito bem filmado e com uma bela fotografia (como as cenas em um prédio abandonado ou a corrida pela floresta), o foco não está em sustos fáceis, mas no suspense que se desenrola devagar e de modo realista. É assombroso e tocante de diversas maneiras.

O Homem das Sombras (2012) (2)

Pascal Laugier (Martyrs) dirige o elenco de veteranos do gênero com competência e prova que sabe contar uma grande história com ou sem sangue. Enquanto Martyrs foi uma obra de arte sádica com críticas à sociedade, The Tall Man sugere diversas perguntas difíceis de responder. Na verdade, o filme termina com uma cena melancólica, e ainda bonita, lançando uma pergunta sem resposta que fecha a história. Você se questiona se os fins justificam os meios, se aquilo realmente é o melhor, e até sente uma pontada de remorso ao concordar com os atos do Homem Alto. Não vou justificar meu pensamento, pois com certeza entregaria o tal segredo, e The Tall Man deve ser visto sem prévio conhecimento, mas concordo com a motivação por trás dos “crimes”. Afinal, Jenny não pediria para ser a próxima vítima se não fosse bom. Pediria?

The Tall Man é um bom filme. Não, melhor; É um filme brilhante. Original. Indiscutivelmente é o tipo de filme que gosto. Não está entre meus preferidos, mas é bastante interessante. Sem dúvida eu me surpreendi, o apreciei. Apesar do fato de que eu estava esperando para ser aterrorizado, tem seus momentos. Se você é fã de Laugier, ele está lá e isso é óbvio. A história é baseada em lendas reais que adquiriram novas roupagens com o passar dos anos. Impossível não lembrar do Homem do Saco. A história pode diferir dependendo de sua região, mas a ideia básica é sempre a mesma: cuide de seus filhos. Não apenas vigiá-los, mas realmente cuidar deles. Ter filhos não é pra qualquer um. Até hoje tenho certeza de que meu filho será um São Bernardo; isso quando eu estiver pronto para cuidar de um. Uma criança, nem pensar. O roteiro escuro e tenso talvez não te amedronte, mas vai te fazer pensar. Alguma emoção irá sentir. Se você é pai, sentirá medo.

Se também quer se surpreender, assista. Não dê ouvidos às críticas que estão o crucificando. São um bando de tapados que não entenderam, ou preferiram não entender a partir do momento em que o terror desapareceu. Temos aqui uma experiência completa. Não espere borrar as calças. Quem se importa? Está mais para o redemoinho de sensações, uma história maravilhosa. Mas também não espere chorar. É o tipo que te faz pensar, em que a cabeça continua girando e tentando compreender após os créditos. Vale a olhada por fãs do gênero que querem algo imprevisível. Haverá muito o que discutir.

Leia também:

8 Comentários

  1. Rosi

    O filme é ótimo. O roteiro é bom, a fotografia maravilhosa, atores sensacionais, mas a tentativa de adaptar a velha história do homem do saco para os sequestros de crianças de hoje em dia é de brochar qualquer um que goste de um bom filme de suspense ou terror.

  2. Paulinha

    Mto ruim, quiseram fazer algo diferente e dar uma virada no meio dele, resultado: decepcionou a grande maioria!!!!!!

  3. Teste

    O filme está mais pra drama. De 0 a 10, nota 6. De um terror se espera TERROR. E não drama. Pode até mixar os dois generos,, mas ali foi muito mais drama que terror. Isso frustra quem quer uma coisa quando assiste a um filme de terror: TERROR.

    A história pode ser bem contada. Tudo pode ser remontado no final. Beleza. Mas o filme pecou e muito no terror, visto que é (ou deveria ser) um filme de terror.

  4. gu

    não gostei… :s

  5. Deltandre

    Adorei o filme, senti exatamente as mesmas coisas que você, a confusão devido às reviravoltas, depois as peças se encaixando, nossa, que história incrível e bem contada. Recomendo para todos

  6. vanessa vasconcelos

    É BOM,MAS MUITO ESTRANHO.

    • LeanDark

      ãhn!??
      “Muito estranho” é você, filha.

      • vanessa vasconcelos

        mas um que implica com meu comentário,cara chato…….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *