Críticas

A Experiência III (2004)

Tirando todos os defeitos, o que sobra de interessante para ser visto no filme? Justamente a atriz Sunny Mabrey nua andando para lá e para cá!

A Experiência 3 (2004)

Nudez alienígena…

A Experiência III
Original:Species III
Ano:2004•País:EUA
Direção:Brad Turner
Roteiro:Ben Ripley, Dennis Feldman
Produção:David Dwiggins
Elenco:Robin Dunne, Robert Knepper, Amelia Cooke, John Paul Pitoc, Michael Warren, Christopher Neame, Patricia Bethune, Joel Stoffer, James Leo Ryan, Savanna Fields, Natasha Henstridge, Sunny Mabrey, Reed Frerichs

Basta ficar nua e andar para lá e para cá“. Foi com este conselho que a atriz Natasha Henstridge passou o cargo de alienígena gostosa para sua sucessora Sunny Mabrey no terceiro filme da série A Experiência. Conselho este que também serve para o telespectador saber exatamente o que vai assistir em A Experiência 3 (Species 3, 2004). Este filme, dirigido por Brad Turner (especialistas em séries de TV), resulta da combinação de roteiro fraco adicionado com atores ruins e efeitos especiais de quinta categoria. Resumindo, uma experiência mal realizada.

O primeiro filme (Species, 1995) fez relativo sucesso de público e crítica ao misturar elementos de ficção científica com cenas de nudez da então estreante Natasha Henstridge. O filme conta a história de um grupo de cientistas que recebeu uma seqüência de DNA vinda do espaço e o modo de como deveriam combiná-la. O resultado deste projeto recebeu o nome de Sil, um ser alienígena violento e agressivo, mas com aparência de uma bela mulher. Após fugir do laboratório, Sil parte para conhecer o mundo. Com crescimento acelerado, em poucos dias ela alcança fase adulta, chega o momento em que Sil vai buscar um parceiro para procriar sua espécie. Para isso, vai exterminar quem atrapalhar seus planos, sejam cientistas, militares ou outras mulheres que paquerem os homens nos quais ela está interessada.

Dirigido por Roger Donaldson (Cocktail), o filme teve um bom roteiro e também contou com atores experientes, como Ben Kingsley (Ghandi), Michael Madsen (Kill Bill vol. 1 e 2), Alfred Molina (Homem aranha 2), e Marg Helgenberger (da série de TV CSI). Para o papel da mulher alienígena, foi escolhida a então estreante Natasha Henstridge. O designer da versão alienígena de Sil ficou por conta do artista plástico H. R. Giger, responsável pelo desenho da criatura do Alien (1979), de Ridley Scott.

A Experiência 3 (2004) (1)

O relativo sucesso deixou aberta uma porta para uma sequência, que veio três anos depois. Sob o comando de Peter Medak (responsável por episódios de várias séries de TV dos EUA, incluindo The Twilight Zone e Tales from the Crypt), A Experiência 2 – A Mutação (Species 2, 1998) trouxe os sobreviventes do filme anterior, Michael Madsen e Marg Helgenberger, assim como a própria Natasha no papel de Eve, um clone da alienígena original. A produção mostra o envolvimento dela com o astronauta Patrick Ross (Justin Lazard, de Soldado Universal – O Retorno), recém chegado de uma missão no espaço, onde foi infectado pelo mesmo DNA que ajudou a criar a Sil original. O agora mutante Patrick começa a procriar com mulheres da Terra, gerando crianças híbridas com DNA humano e alienígena. Esses jovens aliens terão destaque maior no terceiro filme da franquia. Será uma questão de tempo para que Patrick e Eve se encontrem e tentem procriar seres como eles. Diferente do primeiro filme, este não agradou nem um pouco a crítica e menos ainda o público. A fórmula do primeiro já parecia esgotada e mesmo as poucas cenas de nudez da Natasha não foram suficientes para fazer do filme um pequeno sucesso, como havia sido o original.

Durante anos não se falou de uma terceira parte para a série. Os envolvidos nos filmes anteriores realizaram outros trabalhos. A própria Natasha que era, digamos, a marca da série, se afastou da ficção científica apostando em outros gêneros, como Meu Vizinho Mafioso 1 e 2 (2000 e 2004, respectivamente), e o romance brasileiro Bela Donna (1999), onde foi dirigida por Fábio Barreto. Até que no final de 2003 começaram a surgir rumores de que a série, então morta e enterrada, iria dar sinais de vida. Os primeiros rumores informavam de que o novo filme não teria qualquer ligação com os eventos e personagens anteriores, mas parece que de última hora os produtores e roteiristas resolveram mudar de ideia.

A Experiência 3 (2004) (2)

A Experiência 3 começa mostrando exatamente o que aconteceu após os eventos vistos na segunda película. Em uma ambulância militar, está sendo transportado para uma base do exército o corpo sem vida de Eve (Sim. Natasha Henstridge faz uma participação especial neste episódio). Ao lado dela, está um dos filhos que Patrick (astronauta infectado do episódio anterior) teve com mulheres humanas. Para que o espectador não se sinta muito perdido pelo filme começar desta forma, o motorista da ambulância faz mentalmente (!!!) um flashback narrando os acontecimentos anteriores.

Tudo vai muito bem até que o inesperado acontece. Eve simplesmente acorda completamente atordoada (!!) e entra em trabalho de parto (!!!) ao mesmo tempo em que é atacada pela criança alien que está ao seu lado (!!!!). Antes de ser finalmente morta, Eve dá a luz a uma garota que é resgatada pelo motorista da ambulância, este na verdade um cientista que vai estudar a filha de Eve, batizada de Sara (interpretada na fase adulta por Sunny Mabrey, de Triplo X).

Primeiro ponto a ser analisado é a participação da Natasha. Em uma entrevista referente ao filme, ela falou que estava na sua casa quando recebeu um telefonema sendo então informada sobre a produção. “Eles me ligaram e falaram que estavam fazendo A Experiência 3, que eu me mexesse e fosse para o estúdio gravar“. Brincadeiras à parte, fica a dúvida se a atriz foi convidada ou teve que participar do filme por exigência contratual. Lá pelas tantas, ela vai aparecer novamente morta em cima de uma maca hospitalar por míseros segundos.

Voltando ao filme, a jovem Sara cresce e se torna uma bela mulher, que nada fica devendo aos atributos físicos da falecida mãe. Assim como sua genitora, Sara também sente a necessidade de acasalar e procriar sua espécie. Vai ser nesta fase adulta que a jovem vai começar a ser procurada pelos filhos adultos de Patrick. Tratam-se de criaturas perigosas como ela, porém, sem qualquer resistência para vírus terrestres. Grande parte do filme vai se concentrar nesse confronto entre espécies diferentes. Vamos explicar o motivo disto: lembrando que estes filhos de Patrick foram gerados com humanas, sendo dessa forma uma espécie de anomalia e vulneráveis a doenças e vírus terrestres. Como Sara é filha da Eve com o Patrick, trata-se de um ser descendente de dois organismos alienígenas, ou seja, perfeito. Ela começa então a ser perseguida por estes “meio-irmãos” que querem capturar a maninha para buscar uma cura para a fraqueza que possuem.

Os problemas deste filme são vários. A começar pela própria história que em momento algum é capaz de prender a atenção de quem assiste. Não que o primeiro filme tenha sido um clássico da ficção científica, mas pelo menos contava de forma simples uma história que agradou. O problema é que o roteiro deste terceiro é muito fraco e mal desenvolvido. Se no primeiro filme tínhamos cientistas e aparatos militares, neste aqui temos jovens universitários com hormônios à flor da pele que não convencem ninguém. O elenco de tão fraco, dificulta ainda mais uma boa leitura do filme. No primeiro filme, a alienígena era fria e matava quem entrasse no seu caminho. Já a Sara fica amiguinha de um humano, que faz um favor para ela no final água com açúcar do filme.

Como A Experiência 3 foi lançado diretamente no mercado de vídeo, a produção também teve que ser bastante econômica. O primeiro filme teve orçamento de US$ 35 milhões, enquanto esta terceira parte custou apenas US$ 18 milhões. Essa curta verba é percebível principalmente nas cenas que contam com a participação de Sara transformada em alienígena. A falta de cuidados técnicos estraga a maior parte das sequências envolvendo as criaturas, que mais parecem bonecos de borracha mal feitos.

Tirando todos os defeitos que existem na produção, o que sobra de interessante para ser visto no filme? Justamente a atriz Sunny Mabrey nua andando para lá e para cá. Isso faz valer a locação do filme? Sim, vale, mas não espere ver mais nada de interessante além disso.

Leia também:

4 Comentários

  1. Fabiano

    Definição:
    Alien Porn

  2. GilsonBloch

    já vi esse filme no tele cine action , filme muito ruim…chega ser pior que o segundo..

  3. Danilo

    zuadão esse filme

  4. vanessa vasconcelos

    ainda não vi esse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *