Críticas

Brain Damage (1988)

Se você é fã de filmes bagaceiros e recheados de bom humor (negro) Brain Damage é um filme super divertido e uma ótima pedida!

Brain Damage (1988)

Brain Damage / O Soro do Mal
Original:Brain Damage
Ano:1988•País:EUA
Direção:Frank Henenlotter
Roteiro:Frank Henenlotter
Produção:Andre Blay, Al Eicher, Edgar Ievins, Ray Sundlin
Elenco:Rick Hearst, Gordon MacDonald, Jennifer Lowry, Theo Barnes, Lucille Saint-Peter, Vicki Darnell, Joseph Gonzalez, Bradlee Rhodes, Michael Bishop, Beverly Bonner, Kevin Van Hentenryck

Como a maioria dos filmes de Henenlotter, Brain Damage leva a mesma fórmula que consagrou Basket Case (1982); mulheres peladas, drogas, guetos e jovens fodidos pela vida, que acabam descobrindo que ela pode ficar ainda pior. A sinopse é a seguinte. Um junkie chamado Brian (Rick Hearst), que vive em New York, se torna dependente de uma estranha criatura semelhante à uma grande lesma chamada Aylmer (que leva a voz – não creditada – de John Zacherle) que o alimenta com uma substância entorpecente em troca de sua ajuda na obtenção de cérebros frescos para seu sustento. Como todos os parasitas, Aylmer não dá para Brian o fluido psicotrópico porque ele é um cara legal – ele quer algo em troca, ou seja, os cérebros de todos os seres humanos que cruzarem seu caminho sejam eles amigos, namoradas, policiais, prostitutas ou mendigos.

Embora os efeitos especiais sejam um tanto obsoletos perto dos que a nova era nos oferece, o enlouquecido Henenlotter consegue nos mostrar que ainda consegue ser divertido (mesmo depois de todos esses anos!), e esse elemento é mais importante do que qualquer quantidade (ou qualidade) de efeitos especiais. Trabalhando a partir do mesmo enredo do hit Basket Case, Brain Damage retrata uma relação entre um jovem e uma criatura horrenda e da dependência mútua de ambos. As histórias são muito diferentes, mas é óbvio que as ligações entre os dois filmes são mais do que óbvias (principalmente porque o próprio Brian, momentos antes de atacar sua namorada no metrô senta no mesmo vagão com Duane Bradley e sua cesta macabra).

O fato é que o orçamento foi um grande constrangimento para este filme, mas isso pouco importou para que Brain Damage se tornasse um filme interessante e na maioria das vezes, com situações super engraçadas. Um bom exemplo disso tudo é a cena em que o parasita (que tem um vocabulário e inteligência bem superior que a do seu hospedeiro) o leva a seduzir uma groupie num show de rock para um cantinho escuro. Num momento de clímax a garota coloca a mão nas calças de Brian, onde a criatura se escondeu, e diz: Uau, você deve ter um monstro nas calças!.

Brain Damage (1988) (3)

O único problemas com os filmes de Henenlotter é que ele tem uma tendência a arrastar a trama um pouco mais que o necessário. Em Brain Damage vemos Aylmer abrir a boca, injetar a toxina no pescoço de Brian que passa por cima do cérebro (que dá uns choquinhos) em todas as vezes que o nóia precisa de uma dose, quando uma só vez teria sido suficiente. Um outro furo do roteiro é que a história da origem de Aylmer antes de ele fugir da casa do casal de velhinhos chapados não é muito bem explicada, ou completamente ignorada, mas existem alguns flashes sobre a história de Aylmer, e isso dá a Brain Damage uma boa dose de intriga que segura o espectador até o final do filme.

De resto, se você é fã de filmes bagaceiros e recheados de bom humor (negro) Brain Damage é um filme super divertido e uma ótima pedida para assistir com sua namorada ou aquele seu amigo nojentinho.

Brain Damage (1988) (2)

Curiosidades

No metrô, Brian vê um homem carregando uma grande cesta no colo. O personagem é Duane Bradley, do filme anterior de Frank Henenlotter, Basket Case.

Quando Brian acorda pela primeira vez em sua cama, com a cabeça coberta de sangue nota-se um pôster de “Reign In Blood” do Slayer.

O Horror Host Zacherley é o responsável pela voz de Aylmer, mas não é creditado.

Durante a cena do “boquete” a equipe saiu da produção enraivecida, recusando-se a trabalhar no local. Um incidente semelhante aconteceu durante as filmagens de Basket Case.

Brain Damage (1988) (4)

O personagem Rick tem um corte inexplicável no lábio durante todo o filme. Este detalhe era uma parte de uma subtrama envolvendo uma confusão uma noite antes de defender seu irmão em uma briga de bar. Mas devido a restrições de tempo e orçamento as cenas que explicariam o ocorrido nunca foram filmadas.

Leia também:

3 Comentários

  1. Cristina

    Que trash violento! hahahaha

  2. Papa Emeritus

    Brain Damage, Braindead (Dead Alive), Street Trash, Killer Klowns From Outer Space, Evil Dead 2, Army Of Darkness, Return Of The Living Dead…. são apenas alguns dos excelentes filmes com uma boa dose de humor negro que quem se diz fã de terror tem a obrigação de conhecer.

  3. vanessa vasconcelos

    hahahahahaha,rindo muito com a segunda foto,que porra é essa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *