Morte Súbita (2007)

Morte Súbita (2007)

Morte Súbita
Original:Rogue
Ano:2007•País:Austrália, EUA, UK
Direção:Greg Mclean
Roteiro:Greg Mclean
Produção:Matt Hearn, David Lightfoot
Elenco:Radha Mitchell, Michael Vartan, Sam Worthington, Caroline Brazier, Stephen Curry, Celia Ireland, John Jarratt, Heather Mitchell, Geoff Morrell

Assim como Eli Roth, Greg Mclean tem um fetiche por colocar seus personagens/vítimas em situações de desespero e horror em diversas paisagens hostis a muitos e muitos quilômetros de casa. A diferença entre eles é sutil, mas marcante. Roth gosta de levar seus conterrâneos para longe de casa. Mclean traz estranhos para os cantos mais selvagens sua querida terra mãe, a Austrália. Foi assim em Wolf Creek – Viagem ao Inferno (2005), onde um grupo de jovens inocentes (muito mais do que a maioria das carnes de açougue do horror atual) vai parar na cratera de meteoro que dá título ao filme e acabam nas mãos de um serial killer. E foi assim também no seu segundo, e até o momento último, filme, o subestimado Morte Súbita (Rogue, 2007), raro bom exemplar do subgênero “filme de crocodilo”.

O conceito de um grupo de incautos turistas cercados por uma criatura assassina não é novo. Para atingir um resultado acima da média, Mclean poderia ir pelo caminho fácil, exagerando no sangue e nas mutilações, ou poderia se arriscar ao conter o gore, e focar na construção de personagens. Felizmente, optou pela segunda alternativa. Morte Súbita é estrelado por Radha Mitchell (A Epidemia), Michael Vartan (da série Alias) e Sam Worthington (muito antes da fama astronômica com Avatar), além de um excelente elenco de coadjuvantes entre os quais se destacam Jon Jarrat (que trabalhou com Mclean em Wolf Creek), Caroline Brazier (figura conhecida da TV australiana) e Mia Waskowska (a Alice de Tim Burton). Eles são mais do que suculentos pedaços de carne para o crocodilo gigante se banquetear: são personagens simpáticos e bem conduzidos, e, acima de tudo, que merecem viver. Por isso mesmo, sofremos quando morrem.

Morte Súbita (2007) (2)

O que quase estraga o primeiro ato Morte Súbita é a quantidade enorme de tomadas das paisagens australianas, que são, sim, belíssimas, mas que acabam prejudicando o ritmo – e felizmente somem lá pela meia-hora de projeção. Já o personagem de Sam Worthington parece que vai ter um papel decisivo na trama, mas é descartado de forma simplória e que deixa a imaginar para quê ele estava ali. Já a heroína interpretada por Radha Mitchell é fascinante, e não precisa entrar no estereótipo de “sou machona e não preciso de homem me ajudando”, que seria bem fácil de adotar. Felizmente também o roteiro evita que a relação entre o casal de protagonistas Mitchell e Vartan descambe pro romance (não, não temos o famigerado beijo aqui) que costuma ser regra nesse tipo de produção.

Morte Súbita (2007) (3)

O resultado satisfatório parece ser consequência do tempero australiano, misturado com as boas ideias de um diretor que ainda não foi tragado pela máquina de Hollywood. Mas no final das contas, o que vale é o fator humano. Mclean parece ter descoberto o segredo: ao fazer um filme de crocodilo comendo pessoas, foque nas pessoas, e não no maldito crocodilo.

(Visited 212 times, 1 visits today)
Matheus Ferraz

Matheus Ferraz

Mineiro, autor publicado e mestre em Biografia pela University of Buckingham

8 comentários em “Morte Súbita (2007)

  • 07/06/2016 em 16:56
    Permalink

    digo, lista da SEXTA FEIRA 13…

    Resposta
  • 07/06/2016 em 16:54
    Permalink

    Filme muito bom! O crocodilo realmente coloca medo, também nas situações que ele aparece ele é muito bonito de se ver. A História é a mais previsível possível e o titulo do filme entrega bastante, não vou comentar muito. Existem alguns atores conhecidos e a direção do filme é razoável. Quem gosta de filme de terror com animais é uma ótima pedida. Mais um acerto da lista do BOCA para o halloween desse ano. Recomendo!

    Resposta
  • 05/03/2015 em 19:42
    Permalink

    Ao lado de Pânico no lago (o primeiro) e Primitivo, esse é um (na minha opinião) dos melhores filmes de crocodilo q já vi!
    Bem filmado, bem pensado, com um suspense legal e efeitos muito bons!
    Pena é a morte seca de um dos personagens mais fofos…
    sorry, no spoiler, guys!

    P.S. Adoro tbm Alligator de 1980, mas esse nem vale pq é daqueles preferidos da infância…

    Resposta
  • 12/09/2014 em 00:57
    Permalink

    Eu acho que ele é o melhor filme de crocodilo que eu assisti, talvez só empatando com Primitivo (que eu vi já faz tempo, mas lembro que gostei). Os únicos pontos negativos foram a participação do Sam Worthington, que poderia ter sido infinitamente mais bem aproveitada e a falta de um pouco mais de gore, já que o filme tem muitos personagens, apesar de que esses dois fatores serviram para quebrar a expectativa de quem iria sobreviver ou não.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien