Críticas

Entity (2012)

Uma equipe de TV encontra um pesadelo real nesta produção que mistura found footage com filmagens normais, sem evitar o lugar-comum!

Entity (2012)

Buscar respostas pode levá-lo a fazer parte do mistério!

Entity
Original:Entity
Ano:2012•País:UK
Direção:Steve Stone
Roteiro:Steve Stone
Produção:Steve Stone, Rob Speranza
Elenco:Dervla Kirwan, Charlotte Riley, Branko Tomovic, Rupert Hill, Oliver Jackson, Michael David Worden, Steph Jones, Claire Leatherbarrow

Em 1998, trinta corpos não identificados foram encontrados em covas rasas numa remota floresta da Sibéria. Foram feitas várias investigações com autoridades russas, mas não houve nenhuma explicação concreta sobre as circunstâncias que levaram a esses assassinatos. O caso foi encerrado. Em 2010, uma pequena equipe de TV de um programa intitulado “Darkest Secrets” foi ao local com o apoio de uma psíquica – que teria resolvido vários casos a partir de suas conexões com o Além -, deixando como último contato apenas o fato de terem alcançado o lugar onde estavam os corpos. O filme Entity relata o que aconteceu com todos os envolvidos.

A sinopse pode fazer parecer mais um “found footage” picareta, imitando centenas de produções da última década que moldaram o estilo. No entanto, para surpresa do espectador, não é bem assim: há câmeras em primeira pessoa a partir das filmagens da equipe, mas 90% do longa de Steve Stone traz cenas de uma produção normal, sem aquele tom de falso documentário com os dizeres da polícia ou com a informação de que estão todos mortos. No entanto, se existe essa boa notícia sobre a estrutura não se pode dizer o mesmo do resultado final, evidenciando um filme de horror comum com os velhos clichês do gênero, alguns scare jumps e nada mais.

Entity (2012) (4)

A sequência inicial traz uma câmera mostrando os atos perturbadores do que parece ser um paciente de um sanatório. Ele se corta, se morde e até flutua com a câmera testemunhando sua degradação física e estado de loucura. A tal equipe de TV, comandada pela apresentadora Kate Hansen (Charlotte Riley), chega ao local dos corpos. A sensitiva Ruth Peacock (Dervla Kirwan) enxerga mais do que valas, como alguns fantasmas que a observam de longe, deixando-a fraca em alguns momentos. O grupo continua caminhando na região até o que parece ser uma velha fábrica abandonada, algo que os investigadores russos parecem ter ignorado – no primeiro furo do roteiro.

Enquanto investigam o ambiente mórbido, algumas pistas trazem uma revelação: um dos integrantes da equipe, Yuri Levkov (Branko Tomovic), já esteve lá e sugeriu a presença de Ruth porque quer se comunicar com sua amada, umas das ex-internas do local. Logo ele explica que o objetivo do prédio seria a realização de testes com videntes, sensitivos e psíquicos, pensando em usá-los como arma de guerra. Entre os fantasmas que vagueiam pelos corredores escuros, um parece não ter encontrado a paz sendo um internos mais poderosos: Mischka (Michael David Worden), o que protagonizou o vídeo do início.

Entity (2012) (2)

O restante do filme você já viu antes: David (Oliver Jackson), o mais medroso da equipe, irá desaparecer; Yuri se transformará num vilão físico; Kate e o cinegrafista Matt (Rupert Hill) correrão de um lado para outro; Ruth alternará momentos de “vamos embora” com “temos que convencê-lo a descansar“. Mortes, cenas confusas, algumas gotas de sangue completarão o menu, culminando num final pessimista sem evitar a obviedade.

Entity (2012) (1)

Apesar deste ser o primeiro trabalho de Steve Stone, ele faz um trabalho correto na parte técnica, sabendo alternar a câmera em primeira pessoa de uma produção comum adequadamente, sem cansar o espectador. O elenco é esforçado também, com boas atuações sem exagero. Contudo, o resultado trivial – que remete a outros trabalhos como Fenômenos Paranormais – e o roteiro falho são um convite ao esquecimento fácil do longa, o que é uma pena tendo em vista a distribuição por parte da Fangoria Films. Para os poucos habituados com o gênero, Entity pode até surpreender; já os calejados não verão nada mais do que fantasmas comuns e assombrações antigas, que já não assustam mais ninguém.

Leia também:

4 Comentários

  1. vanessa vasconcelos

    duas caveiras? me animei muito não.

  2. FELIPE

    Tem um filme com o mesmo nome, baseado na lendo do slander… alguem sabe quando sai no brasil?

  3. Saiu um filme com esse mesmo nome esse ano, só que muito inferior a esse ai. Tem também o Greystone Park que é idêntico a esse e Grave Encounters.

Trackbacks / Pings

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *