Martin (1976)

Martin (1976)
Vampirismo a la Romero!
Martin
Original:Martin
Ano:1976•País:EUA
Direção:George A. Romero
Roteiro:George A. Romero
Produção:Richard P. Rubinstein, Ben Barenholtz
Elenco:John Amplas, Lincoln Maazel, Christine Forrest, Elyane Nadeau, Tom Savini, Sara Venable, Francine Middleton, Roger Caine, George A. Romero, James Roy, J. Clifford Forrest Jr., Robert Ogden, Donaldo Soviero

George A. Romero vai ser sempre associado a sua trilogia de zumbis (Night of The Living Dead, Dawn of The Dead e Day of The Dead), mas se você cavar mais fundo em sua carreira vai descobrir que ele já fez outros filmes com temas variados (não tão vangloriados, mas dignos de nota) como Season of the Witch, de 1972 (conhecido também como Hungry Wifes no qual Romero conheceu a atriz Christine Forrest com quem é casado até hoje) e que conta sobre uma dona de casa que se vê envolvida numa trama sobre bruxaria e assassinato, e Bruiser (A Máscara do Terror, de 2000). O que poucos sabem é que o velho “padrinho dos zumbis” também já se aventurou no vale dos vampiros produzindo o obscuro Martin.

Martin (1976) (1)

O velho Romero deu a este filme de vampiro o mesmo tratamento que ele já havia feito (e ainda faz!) aos zumbis – um tratamento intenso e realista. A trama segue as aventuras de Martin, um rapaz que afirma ter 84 anos, apesar de sua aparência jovial, e que bebe sangue humano para sobreviver crendo ser um vampiro. O jovem rapaz chega a Pittsburg para tentar viver uma vida normal entre seus familiares. Mas mesmo entre parentes, Martin não é bem visto, principalmente porque sua necessidade por sangue deve ser saciada periodicamente. Mesmo sem compartilhar da mesma maldição que acomete a família de Martin, seu tio é, contra sua própria vontade, obrigado a lhe dar suporte. Uma única condição é imposta: não importam quais sejam as circunstâncias, Martin não deve, jamais, atacar alguém da comunidade.

Martin (1976) (2)

Tecnicamente, o filme se mostra superior ao que seu orçamento permitiria, mas isso se dá ao excelente roteiro, que despreza a necessidade de efeitos especiais mirabolantes sendo o que realmente conta é a mão segura de Romero na direção. John Amplas (numa impressionante estreia), como Martin, e Lincoln Maazel formam uma parceria indispensável no filme, mas não significa que as interpretações sejam dignas de um Oscar, mas isso não vem ao caso, pois estamos falando de filmes da década de 70, uma época de deboche e liberalismo cultural. Em Martin não há ninguém que passe a ideia de herói ou referencial moral. Mesmo o padre (interpretado pelo próprio Romero) aparece bebendo e enfrenta uma saia justa com o tio de Martin justamente por tentar omitir uma opinião mais… humana! Uma outra curiosidade da produção é que ela foi a primeira colaboração entre o grande Tom Savini e George Romero, algo que mais tarde se estenderia com Despertar dos Mortos, Creepshow, Dois Olhos Satânicos

Martin (1976) (4)

Martin consegue ser, ao mesmo tempo, um perturbador drama psicológico e um filme de terror genuíno que apresenta um discurso sobre a intolerância e o preconceito, já trabalhados por George Romero em seus filmes anteriores. Martin é um vampiro como jamais fora apresentado no cinema: uma criatura com mais sede de humanidade do que do sangue propriamente dito e mesmo o personagem flerta ironicamente com o estereotipo do vampiro tradicional em algumas cenas. Em suma, o velho Romero gosta mesmo é de falar do maior e mais temível monstro de todos: aquele que guardamos dentro de nós mesmos.

Leia também:

Iam Godoy

Iam Godoy

Editor-chefe do site Gore Boulevard e um dos membros fundadores do grupo Ravens House Brasil. Assina também as colunas Sangue Tôsko e Sangria.

2 comentários em “Martin (1976)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien