Incubus (1966)

Incubus (1966)
Um filme maldito!
Incubus
Original:Incubus
Ano:1966•País:EUA
Direção:Leslie Stevens
Roteiro:Leslie Stevens
Produção:Anthony M. Taylor
Elenco:William Shatner, Allyson Ames, Eloise Hardt, Robert Fortier, Ann Atmar, Milos Milos

Incubus tem a fama de ser o filme mais amaldiçoado da história! A quantidade de tragédias relacionadas a esta produção é impressionante. Li sobre ele há alguns anos, mas, até então, era praticamente impossível achar uma cópia. Esqueci-me do mesmo por um tempo, e este ano, pesquisando alguns filmes para um curso, eu me lembrei da produção – para minha surpresa, uma cópia foi encontrada em uma cinemateca na França, o filme foi restaurado e lançado e DVD, e toda sua áurea maldita veio a tona novamente.

O diretor Leslie Stevens, criador da famosa série A Quinta Dimensão, ao lado de Willian Shatner (o eterno Capitão Kirk de Star Trek), se envolveram nessa produção, que para alguns pesquisadores, é um filme feito de ocultista para ocultista. O mesmo foi rodado em Esperanto, língua criada por L.L.Zamenhof no final do século XIX, com o objetivo de se tornar uma linguagem internacional, funcionando como segunda língua para pessoas de qualquer nacionalidade (o que nunca aconteceu) – essa opção, segundo o diretor é artística, porém foi criada uma atmosfera surreal e sombria, que só contribuiu para toda a fama que o filme leva.

Incubus (1966) (2)

Na história, Kia é um Súcubo: devota ao “Deus da Escuridão”, encarregando-se de encomendar almas desvirtuadas e corruptas para o Inferno. Porém ela é ambiciosa, e busca por uma alma pura e bondosa, para corromper e entregá-la a seu Deus, uma espécie de prêmio. Procura em vão por figuras religiosas, mas só encontra maldade e perversão nas mesmas – seu desafio acaba sendo um soldado, Marc (Shatner), que vive com sua irmã em uma casa isolada no deserto vilarejo. Mesmo alertada que os poderes da bondade e do amor podem ser perigosos, Kia tentará seduzir Marc a fim de realizar sua vontade.

O filme intercala a bela fotografia em P&B, com o cenário deserto em meio a grandes campos e construções quase que abandonadas. O Esperanto usado como a língua dos personagens só contribuiu realmente para esse clima sombrio. Algumas das cenas são realmente perturbadoras e fazem jus à fama do filme. A cena onde Kia e sua protetora vão invocar o Incubus é assustadora: silhuetas de um corpo em uma forca além de uma criatura com asas – o tipo de terror usado é mais sugestivo do que explícito, forma essa que em minha opinião é mais aterrorizante. Isto é, além do Súbuco, uma espécie de demônio que se materializa na forma feminina e se alimenta da energia sexual do homem, há o Incubus, na forma masculina desse demônio.

Incubus (1966) (5)

Incubus funcionou como um excelente filme de Horror e alcançou um status cult. Mesmo sendo cético, não pretendo aprofundar mais na pesquisa de todo o ocultismo envolto do mesmo. Demorei um tempo para tomar coragem em vê-lo, não acredito que ele vá exercer ou atrair alguma coisa ruim para minha vida, mas sei que se deixar ele de lado, nunca vou correr esse risco. E vocês, tem coragem?

As Maldições de Incubus

Incubus (1966) (3)

– A cópia exibida na pré-estreia não tinha som – outra teve que ser providenciada às pressas, enquanto os convidados esperavam impacientes;
– A atriz Ann Atmar, que fez o papel da irmã de Willian Shatner, cometeu suicídio doze dias antes da estreia do filme nos cinemas;
– A filha da atriz Eloise Hardt, que fez o papel da súcubo chefe, foi sequestrada e morta por um psicopata, dois anos depois da realização de Incubus;
– O ator Milos Milos, que interpreta o Incubus da história, matou sua namorada, a ex-mulher do renomado ator Mickey Rooney, e se suicidou seis meses depois;
– Os cenários onde foram rodadas muitas das cenas do filme incendiaram-se meses depois;
– O diretor divorciou-se de sua esposa Allyson Ames na época do lançamento do filme;
– A empresa de produção, Daystar Productions, de propriedade do próprio Leslie Stevens, foi à falência;
– os produtores não conseguiram distribuir o filme comercialmente até 30 anos após o terem completado; os arquivos foram perdidos na Universidade da Califórnia e só foi recuperado graças a uma cópia contida na Cinemateca Francesa, que foi restaurada em 1996 para VHS e posteriormente em DVD.
– A terceira esposa de William Shatner, Nerine Kidd-Shatner, se afogou em uma piscina na semana em que o filme foi lançado em DVD.
– Ninguém envolvido na produção ousa falar sobre o filme, nem mesmo William Shatner.

(Visited 293 times, 2 visits today)
Ivo Costa

Ivo Costa

Estudante de Cinema, fez parte do Juri Popular do Cinefantasy em 2011. Além de crítico do Boca do Inferno, atua como diretor e roteirista de curtas-metragens.

18 comentários em “Incubus (1966)

  • 07/12/2017 em 03:43
    Permalink

    Acabei de ver, tem no YouTube, é um filme muito interessante e sombrio. Gostei.

    Resposta
  • Pingback:Incubus - Scarytorrent Scarytorrent

  • 03/03/2015 em 01:39
    Permalink

    Estou procurando em todos os lugares por esse filme. Até para baixar. Tenso que os unicos lugares que achei, um ta com link quebrado e outro está com um torrent ruim.

    Resposta
    • 08/05/2015 em 02:15
      Permalink

      Acabei (06-05-15) de baixá-lo de um torrent. Desculpe-me mas não lembro exatamente qual foi o site que tem o torrent. Além do torrent você pode baixá-lo do Youtube que também tem e está com ótima imagem. Depois pegue a legenda no Opensubtitles

      Resposta
  • 15/01/2014 em 14:17
    Permalink

    Taí um filme qu’eu gostaria de ver… Shatner fez alguns trabalhos bastante interessantes neste período da carreira, e a Fotografia parece fantástica.

    Resposta
    • 24/06/2014 em 15:48
      Permalink

      Alguma idéia d’onde consigo um?

      Resposta
      • 21/09/2015 em 10:42
        Permalink

        Assisti (em esperanto: deu até vontade de aprender) e achei fantástico. Cheio de simbolismos e passível de muitas interpretações. Pena que não fazem mais filmes assim…

        Resposta
        • 21/07/2016 em 10:42
          Permalink

          Um de meus filmes favoritos, hoje em dia. Este é do tempo em que Cinema era Arte, e não produto.

          Resposta
  • 02/09/2013 em 16:53
    Permalink

    Nossa que aura ruim o filme tem pior que o exorcita! Vi o filme e nem achei que era tudo isso.

    Resposta
  • 30/08/2013 em 23:33
    Permalink

    Parece me que a atriz Sharon Tate,, que foi morta pelos seguidores de Charles Manson, esteve na estreia do filme.

    Resposta
  • 30/08/2013 em 23:12
    Permalink

    Nossa, nem lembrava desse filme. Lembro que em alguma das revistas Cine Monstro lançadas há 10 anos o filme foi abordado em uma carta de um leitor, que levantou essas “maldições” também. É interessante o filme, mas concordo com a parte de apenas assistir e deixar de lado, mesmo sendo descrente hahaha.

    Resposta
    • 04/09/2013 em 00:19
      Permalink

      Dava pra ter dado os créditos à revista porque a parte das maldições do filme foram ctrl c + ctrl v…

      Resposta
  • 30/08/2013 em 20:24
    Permalink

    Não é o filme que Hannibal King assiste em Blade Trinity?

    Resposta
    • 31/08/2013 em 12:37
      Permalink

      Eu tenho essa “Cine Monstro”, Pablo. É isso mesmo.

      Resposta
      • 31/08/2013 em 12:38
        Permalink

        Pablo, não; Ramone. Desculpas pela confusão.

        Resposta
  • 30/08/2013 em 12:11
    Permalink

    muito interessante,queria assistir.

    Resposta
  • 30/08/2013 em 11:07
    Permalink

    Milos Milos e a namorada foram encontrados mortos no mesmo dia, ele não se suicidou 6 meses depois…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien