Críticas

A Hora do Terror (1985)

Não é indicado para espectadores que esperam um horror mais visceral, mas continua uma ótima opção para ser visto no Halloween!

A Hora do Terror (1985)

A Hora do Terror
Original:The Midnight Hour
Ano:1985•País:EUA
Direção:Jack Bender
Roteiro:William Bleich
Produção:Ervin Zavada
Elenco:Lee Montgomery, Shari Belafonte, LeVar Burton,Peter DeLuise, Dedee Pfeiffer, Jonna Lee, Jonelle Allen, Kevin McCarthy, Cindy MorganDick Van Patten, Mark Blankfield

por Célio Soares

Alguns filmes, mesmo que não tenham uma qualidade acima da média, ficam marcados em algum momento de nossas vidas, geralmente entre a infância e a adolescência. Quando revisitamos estas obras quando adultos, acontece na maior parte dos casos de ficarmos decepcionados quando colocamos a memória afetiva frente a frente à nossa personalidade atual. A década de 80 e início da de 90 produziu vários destes casos, principalmente porque a televisão aberta era a principal oportunidade de assistir filmes, e também porque neste período a censura televisiva não era tão rígida, o que influenciou na geração de vários fãs de filmes de terror, que passavam com frequência em todos os horários. A Hora do Terror (The Midnight Hour, 1985) é uma destas obras que marcaram a adolescência de muita gente e, por mais obscura que pareça na memória, mantém um modesto grupo de apreciadores.

A Hora do Terror (1985) (2)

Em uma pequena cidade no interior da Nova Inglaterra, Cove Pitchford, cinco amigos de escola, após conhecerem a lenda local acerca de uma bruxa que foi capturada e condenada à morte por um caçador de bruxas, tem a ideia de invadir o museu da cidade e roubar as roupas das estátuas de cera que representam os personagens da lenda, para usarem na festa de Halloween à noite. No museu, encontram em uma espécie de porão um baú contendo um pergaminho lacrado e um anel. Resolvem, não se sabe exatamente porque, levar tudo para o cemitério da cidade. Acontece que Melissa (Shari Belafonte), uma das garotas do grupo, é descendente da tal bruxa da lenda, assim como Phil (Lee Montgomery) é descendente do caçador que a matou. Os outros três do grupo são Mitch (Peter DeLuise), o tipo playboy esportista, Vinnie (LeVar Burton), uma espécie de mistura de Eddie Murphy com Chris Tucker, e Mari (Dedee Pfeiffer), por quem Phil sente uma queda embora ela aparentemente apenas o vê como um amigo. Em um filme de horror convencional teríamos um grupo perfeito no qual já saberíamos quem estava na trama apenas para uma morte rápida, mas não é o caso aqui.

A Hora do Terror (1985) (5)

Sob os famosos protestos ao estilo “Gente, talvez seja melhor não fazer isso” de Phil, Melissa lê o que está escrito no pergaminho e o grupo sai do cemitério. Pouco depois, os túmulos começam a explodir e os mortos voltam à vida. A maldição da bruxa incluía a volta de “todos os demônios do inferno”, além dos mortos-vivos convencionais. Mas no máximo surgem alguns lobisomens. A própria bruxa da lenda também ressurge. Estranhamente apesar de ter amaldiçoado a cidade, a mulher foi enterrada no cemitério junto aos demais cristãos habitantes. Entre cadáveres putrefatos, surge Sandy (Jonna Lee), uma loira em trajes de líder de torcida que não apresentam nenhum sinal de decomposição, no máximo uma palidez que não seria suficiente para atrair nenhum necrófilo.

A Hora do Terror (1985) (1)

Logo, o exército de mortos-vivos começa a vagar pela cidade, sendo confundidos como pessoas fantasiadas para o Halloween. Enquanto isso, Phil se prepara para ir à festa na casa de Melissa fantasiado como uma espécie de mistura entre Drácula e o Kiss. Phil faz o tipo nerd tímido, com um visual que parece Peter Parker com um cabelo maior. No caminho, encontra com a simpática Sandy e tem uma breve conversa. Já na festa, Mary o ignora diversas vezes. Quando até um dos zumbis que entraram no local consegue uma garota, Phil resolve ir embora. É então que a magia do cinema acontece e o rapaz reencontra Sandy. Triste por ter percebido que sua casa não existe mais, a garota resolve reviver as coisas boas de quando era viva e o convence a dar uma volta pela cidade. Ironicamente, a garota morta mostra a Phil os prazeres de estar vivo, até serem atacados por um lobisomem e descobrirem que precisam refazer o encantamento de enclausuramento da bruxa, caso contrário todos que foram atacados pelo mal permanecerão amaldiçoados e os mortos continuarão vagando na terra.

A Hora do Terror (1985) (4)

Apesar do ótimo visual não é um filme de horror para ser levado a sério. Feito diretor para a TV especialmente para o Halloween, chega a ser até surpreendente a qualidade da produção. O diretor Jack Bender tem uma prolífica carreira como diretor de filmes e série de TV, com episódios de Lost, Família Soprano e Barrados no Baile no currículo. No horror, dirigiu também o descartável Brinquedo Assassino 3 (Child’s Play 3, 1991). As cenas no cemitério ornamentado por estátuas de anjos, tomado por lápides e chão esfumaçante forrado por folhas secas dão o clima ideal para o tema. Segue uma ótima sequência no momento do despertar dos mortos, com os cadáveres saindo das covas. Os efeitos especiais e maquiagem são simples mas convincentes. Apesar do tema, espere quase a mesma quantidade de sangue que você veria em um filme da Disney. Os ataques dos zumbis e lobisomens à população são amenizados e não há exatamente momentos de tensão. A Bruxa da lenda, além de feiticeira, é vampira, e transforma todo o pessoal que participa da festa na casa de Melissa, mas o ataques são caricatos como uma peça de teatro. Já os ataques dos lobisomens são um pouco mais sérios, embora nada de muito visual.

A Hora do Terror (1985) (6)

A Hora do Terror, que dá título ao filme, trata-se de um programa de rádio cujo áudio surge ao longo do filme, garantindo uma ótima trilha sonora calcada em classic rock trazendo Creedence, The Guess Who, The Smiths, Wilson Pickett e outros ainda mais antigos. Mais um ponto para marcar o filme na memória, exceto por uma constrangedora imitação de Thriller de Michael Jackson, quando todo mundo na festa, agora transformados em zumbis e vampiros, começam a dançar. Tudo bem. Neste ponto o carisma geral do roteiro já capturou o espectador e um pequeno número musical pode ser ignorado. Trata-se de uma produção modesta em todos os sentidos, com certo ar cômico e adolescente mas capaz de agradar aos espectadores a ponto de ainda ser lembrando quase três décadas depois. Ainda teve a coragem de inovar com um final melancólico e pouco otimista, fato que ajudou e muito a valorizar o filme. Não é indicado para espectadores que esperam um horror mais visceral e repleto de mortes horríveis, mas continua uma ótima opção para ser visto no Halloween por todas as idades.

Leia também:

20 Comentários

  1. Paulo Alves

    Gostei muito deste filme
    Mais tem uma continuação ou
    Tem filmes parecidos com este…. Me responde vlw

  2. Rivaldo

    O problema é: Quem era a loura Sandy! Este é o problema. Era aparece do nada, não diz nem de que época é, (a não ser quando desaparece e ele consegue ver a data em que ela viveu na lápide). Fica meio estranho mas….gostei do filme. Posso assistir ele no Youtube tranquilo quantas vezes quiser.

    Rivaldo

  3. Seu eu tivesse uma formatura de graduação em Cinema………….ia refazer esse filme, com mais monstros e otros tipos ( múmias, quem sab), mais sangue, mto mais, tripas escorrendo…………….e comoo já disseram em comentários anteriores: o final do longa
    metragem deixa indagações, que poderiam ser explicada à luz da magia mesmo, já que o filme fala de uma anátema de uma feiticeira, ou mesmo sob hipóteses espíritas (talvez tenha sido a alma de Sandy que tenha mandado a música para o Phill e escrito na lápide com baton), na minha, poderíamos chama releitura deste clássico, eu procuraria deixar essas questoes mais explicitas. Outro ponto meio intrigante, também relacionado ao final, se dá no fato de todos aqueles seres assustadores sumirem sem mais nem menos dpois do encantamento, quando seria mais racional se todos caiissem, e se formasse uma grande carnificina podre ( como ocorre no final de ´´A Volta dos mortos vivos 2) tal ponto realça ainda mais o aspecto místico do filme)…………..seria bom também alquém produzir a hora do terror- o início, o qual contaria a história remontando ao século 17, registrando o pastor Natanael, o qual condena à morte a bruxa Lucinda, mostraria também como se deu a dita maldição pela primeira vez e os possíveis motivos de Lucinda para lançar tamanha maldição, aí se daria sem dúvida uma verdadeira releitura como se deu no longa metragem Malévolo ( que conta a versão da bruxa que aparec no clássico A Bela Adormecida). Dpois quem saber dar-se-ia continuidade- A hora do terror 2, 3, numa verdadeira sequência de filmes, sempre inovando com muito sangue e ação………..mas isso se tornar mero sonho se pensarmos na dificuldade de se produzir filmes, ainda mais no Brasil, sobretudo um trabalho que seria o de pegar um filme norte americano e fazer sua versão brasileira, teriamos que fazer mts modificações para adapta-lo à brasileira, ficaria parecido com Incidente em Antares, de Jorge Amado, ou àquele seriado da Globo Amorteamo rsrsrsrsrs,,,,,,,,,,,seria uma rica produção, talvez sucesso, meio utópico,,,,para otra reencarnação!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. Ola para minha infância e pré-adolescencia foi 1 ótimo/super filme……….Principalmente porque fui criado meio que isolado do mundo, numa perifério ,,,,,,,e esse longa metragem era minha cia nas noites de sexta-feira,,,,,,,,,,,como o sbt nunca passou ele na Tela de Sucessos, tão somente no cinema em casa,,,,,,,,,,,resolvie em um dia que ele passou a tarde, gaziar a aula com a dsculpa de que stava duente e com febre, e aí gravei o filme numa fita cassete para assistie nas noites dos bons fins de smana…………………daí dpois perdie essa fita com esse filme 🙁 e dpois na era dos dvds e da informática em alta,,,,,só em 2011 conseguir baixá-lo p um DVD………….assisti algumas vzs ,,,,di noite…………….ae o stress perdir tbm esse dvd em meio a mts coisas que tem la em casa!!!!!!!!!!!!!

  5. Brunno França

    esse filme é ótimo, muito bom para a época. Quando vi a Sandy pela primeira vez , me apaixonei, agora revi o filme e baixei , a antiga paixão de infância bateu de novo HAHAHAHA , linda ela <3 , quando eles desfazem o encantamento e ela volta ao além e o Phil descobre, meu da pena dele, revi esses dias e quase choro vendo a cena, o filme realmente marcou a infância, bons tempos aquelas sessões de cinema em casa, do SBT . Mas vendo e revendo o filme, me ficou no ar duas duvidas sobre o final, e se alguém puder opinar . Primeiro, ao eles fazerem o encantamento e por os mortos para dormir, aparece escrito S.M + P.G , feito pela Sandy, como ela fez aquilo se após o rápido flash do encantamento ela se foi, e musica tocada no primeiro dia após o dia das bruxas, oferecida dela para ele, nao deu pra pegar isso no ar. Alguém tem uma ideia ai ? abraços

    • Esse filme deixar também outra questão: porque no final do filme todos aqueles cadaveres somem ? seria mais racional se caissem numa verdadeira carnificina podre, como ocorre em otros filmes de zumbis e vampiros,,,,,,,,,,,,,,,,e um final muito mágico que poderia ser explicado somente pelo viés do misticismo e de um espiritismo mágico…………..otro ponto do meio do filme é o fato da bruxa lucinda aparecer intact/imperecivel depois de morrer havia ja 300 anos………..seria mais lógico se ela fosse a mais putrefecada e que ao longo do filme desse um jeito de não aparece tão assustadora!

    • samuel ribeiro da silva

      Tambem fikei em duvida quanto a isso ,, mas há hipotese: recorrendo um pouco ao Espiritismo- a alma dela teria escrito aquilo ao se desencarnar de novo. Outro fator é que tds aqueles horripilantes criaturas desapareceram no ar, quando deveriam ter caído todos, formando uma carnificina podre típica de filmes de terror que recorrem a criaturas putrefas

    • Elizeide Marcio Da Silva

      bom…. seria o seguinte: (segundo algumas correntes espiritas) as Almas conseguem interagir no mundo após a morte só não fazem isso de forma escancarada Seria como vc tentar provar a existencia de Deus;não irá conseguir e sempre existirão ateus, nós teístas conseguimos ver a presença Dele da maneira como diz o Apostolo Paulo em uma de suas cartas; nós O vemos como que por espelho; ao que os céticos chamarão de cincidencias Dito isso, após ele ver escrito na lápide e ter ouvido a música no rádio ele poderia fazer duas escolhas acreditar que tudo aquilo aconteceu ou achar que foi algum delírio,afinal o teto do carro estava perfeitinho….<3

  6. Luís Fernando

    Filme que marcou a infância e adolescência de muitos (como a minha). Passou com certa regularidade no Cinema em Casa do SBT no começo da década de 90, pelo que me lembro, época boa para fãs de terror, sem muita censura. É dessa época também o lendário Cine Trash, com o também lendário Zé do Caixão.

  7. Bruno

    huahuahuhuahuahuahua o que eu ia falar, o paulo falou, A LIDER DE TORCIDA, A SANDY!!! RAPAZZZ APAIXONANTE rsrsr e triste ao mesmo tempo pq ela volta a dormir e o cara fica xonadao nela, ooo rapaz chega dava vontade de chorar nessa hora!!! galerinha, filme da minha infancia tbm!!! passava no sbt no cinema em casa! lutei pra conseguir achar o nome dele e baixar!!! mas achei e vivi a emoçao da infancia novamente hehe!!! recomendo!

  8. bons tempo quando a tv aberta passava bons filme de terror.

  9. rodrigo

    A verdade eh que hoje nao se fazem filmes bons como na decada de 80 e 90!!

  10. Matheus Duarte

    Ótima crítica.

  11. vanessa vasconcelos

    pena que nunca assisti,vou procurar pra ver.

  12. Vinicius

    Embora seja um filme que fica na dúvida se é Terror ou Comédia, ainda é um bom filme. Acho 3 estrelas uma nota merecida – O final realmente é inovador e é o que sempre me faz lembrar deste filme. Parabéns pela resenha.

  13. Ismael Monteiro

    Esse filme fez parte da minha infância,mesmo não sendo terror e sim um terrir,recomendo.

  14. Muito bom comentário e escolha de filme,que lembra a adolescência de muitas pessoas,além de ter uma história diferente dos filmes de terrores convencionais.
    Parabéns…

  15. elvira

    Esse filme realmente é muito bom,relembrando a adolescência de muita gente,além de ter alguns pontos que se diferencia de muitos filmes de terror.

  16. Vinnícius

    Assisti no Cinema em Casa quando criança e lembro de ter ficado com bastante medo da vampira, mas depois terminei calminho. Não é um filme de terror, tá mais para uma homenagem bem leve. Realmente marca a infância, como, no meu caso, Instinto Assassino (aquele do gatinho mesmo) tbm conseguiu, mas só isso.

  17. paulo

    Nossa como eu procurei saber o titulo desse filme, que como vc disse marcou infância principalmente no cinema em casa do SBT, eu era apaixonado pela líder de torcida, eu sonhava em ser o protagonista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *