Críticas

Contos do Dia das Bruxas (2007)

Essa mescla entre ingenuidade e brutalidade serve também para marcar a conotação leve, divertida e macabra, que permeia a obra!

Contos do Dia das Bruxas (2007)

Contos do Dia das Bruxas
Original:Trick 'r Treat
Ano:2007•País:EUA
Direção:Michael Dougherty
Roteiro:Michael Dougherty
Produção:Bryan Singer
Elenco:Anna Paquin, Brian Cox, Dylan Baker, Rochelle Aytes, Quinn Lord, Lauren Lee Smith, Moneca Delain, Tahmoh Penikett, Brett Kelly, Britt McKillip, Jean-Luc Bilodeau, Samm Todd

O Dia das Bruxas, ou Halloween, é uma festa comemorada no dia 31 de Outubro em diversos países, principalmente naqueles que possuem origem europeia, tendo se iniciado com o povo Celta e depois em países como Irlanda e Escócia, chegando finalmente nos Estados Unidos, sendo comum nesse país os desfiles, brincadeiras na rua, fantasias, comidas especiais e maratonas de filmes de horror, não demorando para que logo, o cinema americano explorasse o filão da data especial.
Entretanto, entre filmes pequenos e grandes, a maioria deles nunca explorou de fato o íntimo das tradições da data, mas alguns ficaram na memória dos fãs de horror por momentos especiais, como os bons A Noite dos Demônios (1988), Possuída (2000) e May – Obsessão Assassina (2002), que trataram o Halloween apenas como ‘parte do cenário’, ou em cenas específicas, não sendo o feriado o tema central dos filmes. Temos também filmes pequenos, como O Ajudante de Satã (2005), Jack-O (1995) e The Pumpkin Karver (2006), que, se por um lado, foram inteligentes ao abordar o Dia das Bruxas como seu tema central, por outro se entregaram a clichês batidos do gênero, além de possuírem orçamentos baixos e falhas técnicas que fizeram com que seus filmes nunca chegassem a um número grande de espectadores. Por último e como caso mais marcante, temos o ótimo clássico de John Carpenter, Halloween – A Noite do Terror (1978), que abordou o mal no cinema como nunca visto, através da figura do maníaco Michael Myers, que se tornou influência para nove entre dez slashers que surgiriam nos anos posteriores. Mas, ainda assim, o filme de Carpenter apenas utilizou as tradições como pano de fundo, exibindo toda a sua maestria no desenvolvimento do suspense e dos personagens.

Contos do Dia das Bruxas (2007) (6)

Com isso, chega a ser surpreendente que somente em 2007 um filme com grandes estrelas na produção e no elenco chegasse ao grande público. Esse filme é Contos do Dia das Bruxas, dirigido e escrito por Michael Dougherty (responsável pelos roteiros de X-Men 2 (2003), Superman – O Retorno (2006) e Lenda Urbana 3 (2005)), produzido por Bryan Singer (diretor de dois filmes da série X-Men) e estrelado por, entre outros, Anna Paquin (do seriado True Blood (2008-) e do filme Pânico 4 (2011)) e Brian Cox (veterano no cinema, presente em filmes como Rastros de Vingança (2008) e Zodíaco (2007)).

Contos do Dia das Bruxas (2007) (2)

O filme se apresenta como uma antologia de várias histórias, que possuem como fio condutor uma simpática, porém perigosa criatura. E podemos dizer que esse foi o primeiro grande acerto de Dougherty ao conceber o filme, já que o formato de narração (que, inclusive, adota uma montagem paralela com histórias em quadrinhos incorporadas às imagens que vemos entre uma história e outra) funciona maravilhosamente bem para o tema, já que o filme não aborrece ou cai no tédio em nenhum momento e ainda aproveita para criar histórias com variados temas entre si, que entretém ainda mais o espectador, que encontra temas comuns ao Dia das Bruxas, como maldições, lendas urbanas (entre elas, a das lâminas escondidas dentro de doces), vampirismo e lobisomens.
Produzido pela Legendary Pictures, Bad Hat Harry Productions e Warner Bros., o filme tem seus eventos iniciados na noite de Halloween, onde o casal Emma e Henry (Leslie Bibb e Tahmoh Penikett) voltam para casa após uma das festas que estão acontecendo na cidade, com ela visivelmente contrariada com a bagunça deixada pelas decorações do feriado. O que ela talvez não saiba é que, para o seu azar, há alguém disposto a não deixar que ninguém acabe com as tradições da data. A partir desse pequeno prólogo, somos apresentados aos personagens das quatro histórias que compõe o filme, e é bom avisar aos cinéfilos mais conservadores que o filme não adota uma cronologia rígida, nem um formato de narrativa clássica, fazendo idas e voltas no tempo para conduzir seu roteiro. Entre as quatro histórias, temos o assassino em série que pode ser o vizinho pacato da porta ao lado, um grupo de crianças que arma um trote que pode acabar mal, uma jovem virgem que pode ter sua “iniciação” em um ritual não menos que bizarro, e finalmente a história que encerra o filme, que nos mostra um Brian Cox perfeitamente encarnado em um velho rabujento e solitário, mas que esconde um segredo muito macabro em seu passado, e que agora tem que acertar as contas com aqueles que prejudicou.

Contos do Dia das Bruxas (2007) (4)

Demonstrando a boa utilização do humor negro em diversos pontos do longa, Dougherty confere uma certa leveza e um caráter cartunesco ao seu material, o que pode aparentar uma atenuação às diversas cenas de violência apresentadas no filme (que apresentam um bom trabalho de maquiagem de efeitos) porém, mais do que isso, essa mescla entre ingenuidade e brutalidade serve também para marcar a conotação leve, divertida e descompromissada, ainda que macabra, que o Halloween ganhou ao aportar nos Estados Unidos, e esse é o grande trunfo da obra. Servir como uma ode ao Dia das Bruxas, uma homenagem que com certeza entra para o rol de grandes filmes de horror lançados na última década.

Contos do Dia das Bruxas (2007) (3)

NOTA: O roteiro de Dougherty e o personagem Sam é baseado em um curta de animação dirigido e escrito por ele em 1996, Season’s Greetings. Para quem se interessar, ele está disponível no Youtube.

Contos do Dia das Bruxas (2007) (1)

Leia também:

11 Comentários

  1. Ryan Santos

    Adorei esse filme. Um dos melhores que já assisti. A única coisa que não entendi, foi o porquê daquelas crianças mortas terem ido na casa daquele velho ranzinza no final do filme.

    • raniere tadeu

      essas crianças eram do ônibus da qual o velho jogou no rio , ele escapol

  2. kamylla ketlen

    Adorei…..tou preparando uma pequena comemoração dia 31 de outubro..e esses filmes são uma boa dica…..

  3. sergio

    Um ótimo filme, mas para mim o ponto fraco foi a revelação do monstrinho espantalho. Ele não precisava tirar a máscara. Era mais assustador com ela.

  4. Fabio Rodriguez

    Um dos melhores filmes de horror que vi recentemente. Recomendadíssimo.

  5. Pena que têm final, é um ótimo filme.

  6. Daniel Lima

    Esse filme foi uma grata surpresa.

  7. vanessa vasconcelos

    esse filme é ótimo,sem falar que todos os contos são interligados.quem ainda não viu veja que vale a pena.

  8. Álvaro Leite

    Amo esse filme,ótima crítica. (:

  9. Guilherme

    Por algum motivo eu não gostei desse filme, tinha várias reviravoltas, mas eu achei meio chato, acho que é pq não gosto de filmes com contos.

  10. Ismael Monteiro

    Assisti a pouco tempo atras,confesso que não tinha grandes expectativas sobre o filme mas me surpreendeu muito,um excelente filme.Recomendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *