Críticas

Apartamento 143 (2011)

História de fantasma com algumas boas cenas de tensão, mas de uma forma geral é exagerado e fantasioso demais.

Apartamento 143 (2011)

Apartamento 143
Original:Emergo / Apartment 143
Ano:2011•País:Espanha
Direção:Carles Torrens
Roteiro:Rodrigo Cortés
Produção:Rodrigo Cortés, Adrián Guerra, Gregoire Melin
Elenco:Kai Lennox, Gia Mantegna, Michael O'Keefe, Francesc Garrido, Fiona Glascott, Rick Gonzalez, Damian Roman, Laura Martuscelli

Mais um filme explorando o já exaustivo subgênero do “found footage” – filmagens em primeira pessoa, na maioria das vezes, amadoras, com informações sobre o equipamento (câmeras, fitas, etc) ter sido encontrado posteriormente aos fatos.

Uma equipe com dois técnicos em equipamentos eletrônicos para captação de imagens – Ellen Keegan (Fiona Glascott, de Resident Evil – O Hóspede Maldito) e Paul Ortega (Rick Gonzalez, de Pulse) – e o parapsicologista Dr. Helzer (Michael O’Keefe, de Rio Congelado) é chamada para investigar a ocorrência de fenômenos não explicados no apartamento de uma família formada pelo pai, Alan White (Kai Lennox, de A Vida Secreta de Walter Mitty), seu filho de 4 anos, Benny (Damian Roman), e a filha adolescente, Caitlin (Gia Mantegna, de O Assassino do Alaska), cuja mãe, Cynthia (Laura Martuscelli), morreu tragicamente num acidente de carro, e que parece não estar em paz, ainda rondando o local.

Com roteiro de Rodrigo Cortés (Poder Paranormal e Enterrado Vivo) e direção de Carles Torrens, trata-se de uma história de fantasma com algumas boas cenas de tensão, mas de uma forma geral é exagerado e fantasioso demais.

Leia também:

1 Comentário

  1. vanessa vasconcelos

    deve ser bem fraco mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *