Críticas

Equipe Caça Fantasma (2013)

Há momentos incômodos e convidativos a um fast foward, mas a paciência até o último e impagável ato vai valer a espera!

Equipe Caça Fantasma (2013)

Equipe Caça Fantasma
Original:Ghost Team One
Ano:2013•País:EUA
Direção:Ben Peyser, Scott Rutherford
Roteiro:Andrew Knauer, Arthur Pielli
Produção:Nate Parker, Adam Mutchler
Elenco:Carlos Santos, J.R. Villarreal, Fernanda Romero, Tony Cavalero, Meghan Falcone, James Babson, Scott MacArthur, Craig Stott, Damien Amey, Felicia Hom

Durante uma festa com os amigos, você sente uma presença a mais entre os convidados. Um som não identificado e o flagra de uma aparição numa filmagem confirmam suas suspeitas sobre a existência de uma força sobrenatural no lugar. O seu medo, compartilhado com seu melhor amigo, impede uma busca por mais informações a respeito até a garota mais gostosa do bairro se mostrar interessada em investigar as assombrações. Câmeras espalhadas pela casa, entrevista com alguém que estudou o passado do local e o uso da Tábua Ouija são as ferramentas necessárias para impressioná-la, mesmo que a vontade física por uma transa possa provocar essa entidade real a manifestações cada vez mais ousadas. Essa é a premissa básica da comédia com elementos de horror Equipe Caça Fantasma (Ghost Team One, 2013), lançada no Brasil pela Paramount em formato Digital HD no dia 07 de janeiro de 2014.

Sergio (Carlos Santos) e Brad (J.R. Villarreal, de A Vida e a Morte De Bobby Z) estão mais preocupados com bebidas e garotas. Depois que se apaixonam por Fernanda (Fernanda Romero, de Arraste-me para o Inferno), até mesmo uma presença sobrenatural na residência não é capaz de evitar que façam qualquer coisa para conquistá-la. Eles vivem em companhia do agressivo Chuck (Tony Cavalero), na namorada briguenta de Brad, Becky (Meghan Falcone), e do câmera Billy – filma tudo, mas nunca aparece, nem interage com os personagens. Com as manifestações estranhas no local, eles montam a equipe “Ghost Team One” e passam a filmar todos os eventos para a realização de um documentário, pesquisando sobre os antigos residentes.

Descobrem, então, que a casa havia sido um prostíbulo no passado, fechando as portas com a ocorrência de uma tragédia. A evidências os fazem crer que o espírito vingativo é o de uma antiga dona do local, conhecida como Madame Azalea (Felicia Hom). Mas, é óbvio que os rapazes não estão se importando com fantasmas, desde que as buscas facilitem a aproximação com a desejada Fernanda. A garota demonstra bastante interesse na investigação, principalmente por ser sensitiva e ter visto vários fantasmas durante toda a sua vida. Fernanda só não percebe que os homens não querem espíritos, apenas contatos íntimos com ela.

Equipe Caça Fantasma (2013) (2)

Equipe Caça Fantasma traz uma mistura de found footage com American Pie, mesmo sem cenas apelativas de nudez e sexo. Além dos elementos que satirizam produções com câmeras em primeira pessoa, o longa de Ben Peyser e Scott Rutherford é recheado de linguagens e insinuações sexuais, com piadas que talvez não funcionem com todos. Embora o estilo já esteja extremamente desgastado com filmes como Inatividade Paranormal e até mesmo com a franquia Todo Mundo em Pânico, o roteiro de Andrew Knauer (O Último Desafio) e Arthur Pielli consegue divertir com algumas boas ideias. A câmera colocada no pescoço de um cachorro, as investidas dos homens para conquistar Fernanda e toda a sequência final, envolvendo possessão e exorcismo, já valem uma conferida.

Como a maioria das produções desse subgênero, há pouca “atividade paranormal” na primeira metade, servindo apenas para o público se tornar mais próximo do elenco. Há momentos incômodos e convidativos a um fast foward, mas a paciência até o último e impagável ato vai valer a espera. Para os que não curtem essa técnica de filmagem e nem o humor quase escatológico, é preferível manter distância pois Equipe Caça Fantasma poderá soar apenas como um bobagem desnecessária, uma piada de mau gosto.

Leia também:

3 Comentários

  1. Marcos

    Muito ruim esse filme, quer dizer, para ser ruim tem que melhorar muito.

  2. Não concordei com sua conclusão. Foi uma das comedias mais estupidas e engraçadas que assisti. E ainda assisto com amigos quando vêem a minha casa. Vale a pena

  3. vanessa vasconcelos

    prefiro manter distância ,valeu por avisar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *