Críticas

Convenção das Bruxas (1990)

Divertido e repleto de momentos cômicos, a película figura entre as melhores produções fantasiosas dos últimos 25 anos!

Convenção das Bruxas (1990)

Convenção das Bruxas
Original:The Witches
Ano:1990•País:UK, EUA
Direção:Nicolas Roeg
Roteiro:Roald Dahl, Allan Scott
Produção:Mark Shivas
Elenco:Anjelica Huston, Mai Zetterling, Jasen Fisher, Rowan Atkinson, Bill Paterson, Brenda Blethyn, Jane Horrocks, Anne Lambton, Sukie Smith, Rose English, Jenny Runacre, Annabel Brooks

Dos temas fantasiosos para crianças e adolescentes do final dos anos 80 e começo dos 90, como não lembrar de Convenções das Bruxas? Dirigido por Nicolas Roeg, produzido pelo pai dos Mupptes, Jim Henson, e estrelado por Anjelica Huston, o filme foi sucesso de bilheteria e a fita de vídeo não parava nas locadoras. O longa é uma envolvente mistura de aventura, suspense e comédia feito especialmente para crianças, mas que não incomoda em momento algum aos pais que acompanhavam os filhos para as salas de cinema. Mal sabem os fãs que de todos os envolvidos na obra, o autor do livro no qual o filme foi inspirado, Roald Dahl, detestou a adaptação cinematográfica e pediu inclusive que não incluíssem o seu nome nos créditos.

A ação do filme acontece na Inglaterra, onde conhecemos o jovem Luke (Jasen Fisher), que após perder os pais em um acidente de carro, vai morar com a avó Helga (Mai Zetterling). Entre as histórias que ela conta para o neto, a temática das bruxas está sempre presente, o que faz com que Luke saiba reconhecer os sinas que diferenciam uma bruxa de uma mulher normal. Os dois decidem passar alguns dias em um luxuoso hotel, que coincidentemente está recebendo uma convenção justamente de bruxas lideradas por Anjelica Huston.

É claro que a convenção não é feita de maneira aberta. As bruxas possuem aparência feminina como a de qualquer mulher. Uma vez trancadas no auditório do hotel, testemunhamos a transformação destas aparentemente inocentes senhoras nas mais feias criaturas. O encontro acontece ao melhor estilo de uma convenção de empresas que buscam motivar os funcionários para aumentarem o lucro através do lançamento de um novo produto. A diferença é que aqui a rainha bruxa apresenta uma fórmula capaz de transformar crianças em ratos. Não demora muito para Luke e um amigo gordinho chamado Bruno tomarem a poção e se transformarem em ratinhos.

Convenção das Bruxas (1990) (3)

Parte do sucesso da película se deu pelo roteiro ágil e repleto de situações divertidas para o público infanto-juvenil. Além disso, a caracterização das bruxas é realmente repugnante, fazendo desta uma das características mais marcantes do filme. Como exemplo, basta pensar na maquiagem de Anjelica Huston, que demorava cerca de oito horas para se transformar na rainha das bruxas. Como resultado, temos uma agradável mistura de infantilidade, terror e comédia.

Insatisfação

A temática do livro é basicamente a mesma, no entanto, existem algumas cenas que, caso incluídas, poderiam mudar a linguagem fílmica para um teor menos infantil. No romance, por exemplo, existe uma cena na qual Luke está no carro na hora do acidente no qual os pais dele morrem. A sua avó é bem chata e ranzinza. Os planos da rainha bruxa incluíam mostrar pais e professores matando as crianças transformadas em ratos e o final não era dos mais felizes.

Quando Dahl soube das mudanças, além de ter ficado furioso, jurou que jamais permitiria que nenhuma de suas obras fosse adaptada novamente para o cinema. Esta informação inclusive consta no testamento dele, que morreu em 1990. Dentre os títulos mais famosos de Dahl, destaque para A Fantástica Fábrica de Chocolate, que ganhou versão fílmica em 1972.

Além disso, na versão para teste de Convenção das Bruxas, Dahl considerou o filme vulgar e com cenas apelativas. Esta foi a gota d’água para o autor, que logo solicitou que o seu nome fosse retirado dos créditos e que o título fosse mudado. Foi necessário uma carta contendo um pedido de desculpas escrita pelo próprio Jim Henson para Dahl, mesmo sem estar feliz com o que viu na tela, concordar em manter seu nome e o título no projeto.

Convenção das Bruxas (1990) (2)

Mesmo com o desapontamento de Dahl para a versão final, Convenção das Bruxas é um daqueles filmes que provavelmente todas as crianças vão gostar de assistir. Divertido e repleto de momentos cômicos, a película figura entre as melhores produções fantasiosas dos últimos 25 anos.

Curiosidades:

– A cantora Cher foi cogitada para viver a rainha bruxa, mas o papel acabou com Anjelica Huston.

(SPOILER): Para completar a sua insatisfação com o filme, o escritor Dahl odiou o final feliz, no qual Luke volta a ser um garoto. No livro, ele continua como rato.

– A grande maioria das bruxas não são mulheres de verdade, mas sim homens fantasiados de mulher.

– Este foi o segundo filme do ator Jasen Fisher. Posteriormente ele trabalhou em Hook – A Volta do Capitão Gancho, de 1991, e nunca mais voltou a atuar.

Convenção das Bruxas (1990) (4)

– O ator Rowan Atkinson (Mr Bean) interpreta o gerente do hotel onde a convenção das bruxas acontece.

– O DVD de Convenção das Bruxas foi lançado em 2001, mas sem nenhum material extra.

Leia também:

10 Comentários

  1. Katarina

    Um filme excelente, sem dúvida! Anjelica Huston estava sensacional!

    • Eddy

      Eu assistia esse filme com os olhos bem abertos de espanto O_O kkk depois desse, assisti tbm o filme Hoccus Poccus das tres bruxas que voltam a vida no halloween e adorei.

  2. rafael rodrigues moraes

    quero compra filme da convencao das bruxas

  3. Superior Ruivo Hering

    Esse autor deve ter pedido uns conselhos pro Alan Moore.

  4. Débora

    Sem dúvidas um dos filmes que eu mais gostava na minha infância. Adorava a parte que a menina fica presa no quadro.

  5. Pedro Netto

    Excelente! Um marco na infância de muitas crianças da época. Difícil de ser esquecido e facilmente lembrado quando o assunto é filmes infantis. Destaque para Anjelica Huston, que ficou tão bem no papel que é quase impossível imaginar outra atriz interpretando o mesmo. Nota 10!

  6. Daniel

    “The film holds a rare 100% in the film critics site Rotten Tomatoes, out of 22 reviews.”

  7. Guilherme

    Não dá pra imaginar esse filme sem um final feliz, principalmente o livro, que parece muito infantil

  8. João Jr

    Muito legal!
    Assisti esse filme a exaustão quando pequeno.
    Passava direto no “Cinema em casa”!

    • vanessa vasconcelos

      eu tbm,sem falar que eu tinha um medo da porra desse filme quando era criança,mas adorava assisti-lo 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *