Críticas

Frankenstein: Entre Anjos e Demônios (2014)

É indicado apenas para quem aprecia histórias exageradas na fantasia, com excesso de lutas, correrias e barulheira desenfreada!

Frankenstein - Entre Anjos e Demônios (2014)

Frankenstein: Entre Anjos e Demônios
Original:I, Frankenstein
Ano:2014•País:EUA, Austrália
Direção:Stuart Beattie
Roteiro:Stuart Beattie, Kevin Grevioux, Stuart Beattie, Mary Shelley
Produção:Sidney Kimmel, Gary Lucchesi, Tom Rosenberg, Richard S. Wright
Elenco:Aaron Eckhart, Bill Nighy, Miranda Otto, Yvonne Strahovski, Jai Courtney, Socratis Otto, Aden Young, Caitlin Stasey, Mahesh Jadu, Steve Mouzakis

Com a opção de exibição em 3D, estreou em nossos cinemas em 24/01/14, mais um filme explorando o universo ficcional e os personagens criados pela escritora Mary Shelley em 1818 com sua cultuada obra Frankenstein, or a Modern Prometheus. A direção e roteiro são de Stuart Beattie, e a história teve inspiração também numa graphic novel de Kevin Grevioux.

No século XIX, o monstro formado por restos de cadáveres e criado pelo cientista Victor Frankenstein, depois de ter sido renegado pelo criador, assassinou sua esposa por vingança. Ele foi então perseguido pelo cientista até o polo norte e nessa batalha entre os dois, o homem das ciências morreu congelado. A criatura sem alma decidiu trazê-lo de volta e enterrá-lo no cemitério de sua família, e nesse momento foi atacado por demônios e resgatado por gárgulas, recebendo agora o nome Adam (Aaron Eckhart).

A criatura descobre que está no meio de uma batalha ancestral entre anjos, liderados pela Rainha Leonore (Miranda Otto), e demônios, sob o comando do Príncipe Naberius (Bill Nighy), travada nas sombras da humanidade. Duzentos anos depois, numa sociedade moderna, a criatura que ganhou a vida de forma artificial interessa aos planos dos demônios em erguer um exército de cadáveres sem almas possuídos por eles, contando com a ajuda da jovem e bela cientista Terra (Yvonne Strahovski).

Frankenstein (2014) (2)

O filme possui muitas similaridades com a franquia Anjos da Noite (Underworld), que teve quatro filmes, sobre a guerra entre vampiros e lobisomens, com a humanidade situada entre os inimigos. Curiosamente, o veterano ator Bill Nighy participou dos três primeiros filmes da série como um poderoso vampiro. Frankenstein – Entre Anjos e Demônios é indicado apenas para quem aprecia histórias exageradas na fantasia, com excesso de lutas, correrias e barulheira desenfreada, além de uma overdose de computação gráfica que torna tudo cansativo e entediante, deixando o verdadeiro horror de lado em detrimento de um filme de ação.

Não tem sangue nem aquela típica atmosfera sombria dos filmes situados no universo ficcional de Frankenstein. E claro, para encher os bolsos dos produtores gananciosos, temos um enorme gancho no desfecho para futuras continuações.

Leia também:

4 Comentários

  1. Pia Torres

    É um filme divertido, mas que consegue cativar e eu não gostei. No entanto me lembrou a nova série PennyDreadful cujo tema abordará a origem de alguns clássicos da literatura como o Dr. Frankenstein, Drácula e Dorian Gray.

  2. Guilherme

    Parece ser legal, mas bem longe da história original do personagem.

  3. Gilson bloch

    também não sou muito fã desse ator , por isso não me interessei pelo filme..

  4. vanessa vasconcelos

    se até aqui a galera tá metendo o pau nesse filme, é porque deve ser muito fraco mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *