Críticas

Slumber Party Massacre (1982)

Mesmo sem um ponto de originalidade, ganhou algumas sequências e permanece até hoje como uma obra relembrada por fãs e odiada por críticos!

Slumber Party Massacre (1982)

O Massacre
Original:Slumber Party Massacre
Ano:1982•País:EUA
Direção:Amy Holden Jones
Roteiro:Rita Mae Brown, Amy Holden Jones
Produção:Amy Holden Jones
Elenco:Michelle Michaels, Robin Stille, Michael Villella. Debra De Liso, Andree Honore, Gina Smika Hunter, Jennifer Meyers, Joseph Alan Johnson, David Millbern, Pamela Roylance

O enredo é simples: os pais de uma jovem viajam e ela decide chamar as amigas para uma festa e não demora muito para alguns amigos do sexo masculino chegarem para animar o encontro. No entanto, um assassino psicopata que acabou de fugir de hospício está na vizinhança e decide passar na festa e matar todo mundo. Este tipo de roteiro era tão comum nas produções norte-americanas da década de 1980 que muitos fãs confundiam os nomes dos filmes, tamanha a semelhança entre as obras.

Das séries mais famosas, como Sexta-feira 13, até produções sofríveis, estes filmes conhecidos como slashers se especializaram em trazer mulheres gostosas e rapazes de porte atlético praticamente enfileirados para serem abatidos pelo assassino psicopata da vez. Dentro desta vertente fílmica, como não se lembrar da produção Slumber Party Massacre, conhecida no Brasil como O Massacre, cuja sinopse se enquadra perfeitamente no primeiro parágrafo deste texto?

Slumber Party Massacre (1982) (1)

Antes de qualquer debate sobre o filme, é necessário explicar um pouco sobre o seu título no Brasil. Na verdade Slumber Party Massacre, originalmente de 1982, permaneceu inédito em território nacional durante um bom tempo até que Slumber Party Massacre 2, de 1987, chegou por aqui. Como a obra original continuava inédita, a turma de tradutores decidiu lançar o segundo filme no país com o título de Massacre, o que confundiu a cabeça de muita gente, já que a parte 2 começa mostrando cenas do filme original. Quando Slumber Party Massacre foi finalmente lançado no Brasil, recebeu então a tradução de O Massacre. Feita esta explicação, vamos tratar Slumber Party Massacre pelo seu título original para evitar maiores confusões.

Slumber Party Massacre é um dos poucos filmes slashers dirigido e roteirizado por mulheres. A direção ficou por conta de Amy Jones e o roteiro foi assinado por Rita Mae Brown. A observação é válida uma vez que as produções deste subgênero costumam ser apontadas como sexistas por tratar a mulher como objeto de adoração masculina além de trabalhar com os clichês de que as virgens vão sobreviver e as promíscuas vão morrer. O roteiro original de Rita, que também é ativista da causa feminista, surgiu como uma paródia aos filmes do gênero vistos até então, mas os produtores decidiram fazer algo sério e deixar o lado cômico de lado.

Slumber Party Massacre (1982) (5)

A dupla então não apenas utiliza destas formatações, como parece querer potencializar a ideia de que mulheres sexualmente ativas são vagabundas e devem morrer pelas mãos do assassino. Na verdade uma das principais marcas dos filmes Slumber Party Massacre é justamente o excesso de nudez das suas personagens e violência.

Em Slumber Party Massacre, conhecemos Valerie (Robin Stille, que também esteve em Imp – O Invasor do Espaço, de 1988). Ela é a garota não popular do colégio. Sem namorado e se vestindo mal, não é um mistério a jovem não ter sido convidada para a festa do pijama que a sua vizinha Trish (Michele Michaels, de Desejo de Matar 4, de 1987) decide fazer já que os pais viajaram. Nenhuma das garotas parece se dar conta que um assassino psicopata chamado Ross Thurn (Michael Villella) fugiu do manicômio e está sendo procurado pela polícia. Como resultado, Trish vai festejar com as amigas e Valeria vai passar a noite com a irmã Courtney (Jennifer Meyers). Este é o enredo de Slumber Party Massacre e não precisa ser gênio para adivinhar o que vai acontecer durante o tempo de projeção.

Slumber Party Massacre (1982) (3)

Não demora muito para o psicopata Ross Thurner começar a fazer as suas vítimas. E ninguém é deixado de fora, já que até a bela moça que faz manutenção nos fios elétricos da escola acaba sendo abatida por Thurner. Sem motivo aparente, o assassino chega até a casa de Trish e logo começa a matar um a um do elenco do filme. Uma observação fica por conta da arma utilizada por ele. Facão? Machado? Serra-elétrica? Thurner usa uma furadeira para matar os jovens. Curioso que o roteiro não se preocupe em trazer detalhes que expliquem a motivação do assassino. E como tudo em Slumber Party Massacre é previsível, também logo fica claro como será o embate final do filme. Aqui não existem surpresas ou reviravoltas.

Mesmo sem um ponto de originalidade, Slumber Party Massacre ganhou algumas sequências e permanece até hoje como uma obra relembrada por fãs e odiada por críticos. Para quem nunca assistiu e gosta dos slashers dos anos 80, fica a dica.

Slumber Party Massacre (1982) (4)

CURIOSIDADES:

– O orçamento de Slumber Party Massacre foi de US$ 250 mil.
– Mesmo sendo tão sem criatividade e massacrado por críticos, Slumber Party Massacre é tido por muitos fãs como cult.
– A garota Courtney, irmã menor de Valerie, lê uma revista Playgirl, cuja capa é o ator Sylvester Stallone.
– Há uma citação à cultuada e popular série Além da Imaginação, quando as moças cantarolam a célebre música-tema de abertura da série.
Michael Villella não falava com outros membros do elenco durante as filmagens por acreditar que assim causaria mais medo para as garotas.
– Antes do título de Slumber Party Massacre, a produção foi chamada de Don’t Open the Door e Sleepless Nights.
– Apesar de não creditado, Roger Corman foi um dos produtores executivos do filme.

Leia também:

15 Comentários

  1. claytonmutante

    Slasher total! Todos os elementos necessários a um bom slasher estão ai…muito “peitinho” gratuito, personagens desinteressantes e descartáveis, falta de roteiro, atuação péssima dos atores, arma com significado fálico, heroina salvadora, assassino psicótico, etc…quem for sentar para assistir deve remeter-se aos anos 80, desligar a Luz, pegar uma pipoca e aproveitar a trilha sonora e a sequencia de assassinatos, mas não espere nada aprimorado no filme pois é tudo muito mal feito, o filme se resume a um entretenimento para os amantes do Slasher e filmes de terror antigo, mas nao deixará saudade ou irá ficar na memória de quem o assista…

  2. Ótima trilha sonora e bem cativante.
    Porém é um tipo de filme que pode levar a um leigo em terror abandonar o gênero. Mas para quem curte slash, isso não importa, os defeitos são compete com classicos. Interessante como sem uma mascara no rosto, o personagem psico consegue trazer um suspense.
    Também e um filme que enrola muito as partes e traz mortes do nada. pode ser um ponto positivo ou não, depende de quem ta assistindo, né.

  3. Ainda bem que é curto, porque só assim deu pra aturar hehe! Tudo que busquei nessa bomba eu fui atendido: as mortes onscreen. E o embate final com o assassino perto da piscina foi muito bacana MESMO! Ressalto uma cena em especial, antes disso:

    por mais que as atuações tenham sido péssimas, um momento me chamou bastante a atenção: é quando as garotas derrubam com um atiçador de brasas o assassino no chão da sala, e aí, em câmera lenta, uma guria surge do nada e entra correndo na sala com uma faca em punho, se ajoelha no chão e, com a mão trêmula, enfia a lâmina nas costas do assassino, retirando-a ensanguentada, e em prantos a guria segue tremendo descontrolada. O efeito da câmera lenta deixou bem convincente a cena!!

  4. Leon

    Muito bom, a noite e com pipoquinhas, é ótimo!

  5. Gilson Bloch

    esse é cult, de tão bom que é..

  6. Quando o assunto se trata de Slasher , não tem como esquecer Slumber Party Massacre né Filipe , também é referência no subgênero da inesquecível década de 80 .

  7. Barbara

    Não tinha outras imagens pra por não? Dificíl né… poderia colocar uns homens nus tambem

    • RG

      Não tem homens nus nesse filme, só T&A.

    • vanessa vasconcelos

      apoiado:)

      • vanessa vasconcelos

        tbm quero ver homem pelado,só tem mulher nessa porra 🙂

        • RG

          Como eu disse, não tem cenas assim nesse filme. A culpa é de quem escreveu a resenha agora?? As imagens escolhidas representam muito bem o que tem no filme: sangue e peitos.

          • Barbara

            entao é por isso que é uma merd*

          • RG

            Cite-me um filme de terror decente que tenha isso que você pediu, minha cara.

  8. vanessa vasconcelos

    queria ver,vou procurar 🙂

    • Barbara

      entao é por isso que é uma merd*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *