Críticas

O Ataque das Sanguessugas Gigantes (1959)

A versão melodramática e tosca de O Monstro da Lagoa Negra produzido por Roger Corman!

O Ataque das Sanguessugas Gigantes (1959) (2)

O Ataque das Sanguessugas Gigantes
Original:Attack of the Giant Leeches / Demons of the Swamp
Ano:1959•País:EUA
Direção:Bernard L. Kowalski
Roteiro:Leo Gordon
Produção:Gene Corman
Elenco:Ken Clark, Yvette Vickers, Jan Shepard, Michael Emmet, Tyler McVey, Bruno VeSota, Gene Roth, Dan White, George Cisar, Guy Buccola, Joseph Hamilton, Walter Kelley, Ross Sturlin

Se você passasse na frente de um cinema e visse um pôster com um título deste, certamente atrairia sua atenção pelo potencial, especialmente se ainda soubesse que foi produzido por Roger Corman, um dos mais prolíficos diretores e produtores da história da sétima arte e especialista em pérolas de baixo orçamento. Porém quando você senta para assistir, a coisa muda de figura e o que deveria mostrar um Ataque de Sanguessugas Gigantes vira um festival de efeitos toscos (mesmo considerando o padrão) e uma história sem muito nexo, sugada sem pudor de O Monstro da Lagoa Negra (1954).

A primeira metade deste filme mal mostra qualquer sanguessuga. Ela fica quase presa ao drama de Dave Walker (Bruno VeSota), um obeso caipira dono de um estabelecimento na Flórida, um lugar repleto de pântanos e onde as pessoas adoram fabricar sua própria bebida alcoólica. Dave está encafifado que sua esposa (a linda Yvette Vickers de A Mulher de 15 Metros) o está traindo com alguém mais jovem e mais bonito.

O Ataque das Sanguessugas Gigantes (1959) (3)

Ao pegar os dois no flagra se amassando perto do pântano, Dave os ameaça com uma espingarda, fazendo-os entrar no lago próximo, conhecido pela infestação de sanguessugas gigantes (apenas duas, no caso) e acaba preso por isto. Depois que eles e mais alguns outros são levados pelas sanguessugas para uma caverna sob o lago, o relutante guarda florestal Steve Benton (Ken Clark) decide investigar e eliminar a ameaça.

Escrito por Leo Gordon (A Mulher Vespa, 1959), dirigido por Bernard L. Kowalski (Sssssss, 1973) e filmado para ser exibido nos cinemas junto com outra produção de Corman, o superior A Bucket of Blood (1959), O Ataque das Sanguessugas Gigantes tem apenas 62 minutos de duração, mas acredite, parecem muito mais por conta dos infinitos diálogos na primeira metade da produção.

Quando as sanguessugas aparecem a coisa melhora para o admirador de tranqueiras, pois elas nada mais são do que a cruza de um polvo com uma estrela marinha, representada por dois figurantes vestindo um saco de lixo… Como ridículas também são as cenas dos ataques, já que sem nenhuma mobilidade por causa da fantasia, as vítimas tem que praticamente se jogar em cima das “sanguessugas” para que exista qualquer cena de ataque que notadamente foram filmadas em uma piscina. O elenco também é bem ruinzinho, só salvam Vickers e VeSota ao trazerem um pouco de dignidade e diversão em seus papéis.Em suma, um filme de meia-noite com pouco a oferecer.

O Ataque das Sanguessugas Gigantes (1959)

Para quem se interessou, tanto O Ataque das Sanguessugas Gigantes quanto A Bucket of Blood caíram no limbo do domínio público e podem ser assistidos no Youtube sem preocupação com o FBI batendo em sua porta. O revés disto, porém é que as cópias disponíveis trazem a fotografia excessivamente escura e às vezes é preciso prestar muita atenção para ver as coisas na tela, bem como o áudio cheio de tiques. Estejam avisados!

Leia também:

2 Comentários

  1. Não vou perder meu tempo com isso !

  2. vanessa vasconcelos

    a nota não é muito animadora hein? passo…….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *