Críticas

Blade II – O Caçador de Vampiros (2002)

É um filme que agrada os fãs não muito exigentes de quadrinhos, horror, vampiros, lutas e sangue, bastante sangue!

Blade 2 (2002)

Blade II - O Caçador de Vampiros
Original:Blade II
Ano:2002•País:EUA, Alemanha
Direção:Guillermo del Toro
Roteiro:David S. Goyer
Produção:Peter Frankfurt, Patrick J. Palmer, Wesley Snipes
Elenco:Wesley Snipes, Kris Kristofferson, Ron Perlman, Leonor Varela, Norman Reedus, Thomas Kretschmann, Luke Goss, Matt Schulze, Danny John-Jules, Donnie Yen, Karel Roden, Marit Velle Kile, Tony Curran, Daz Crawford

Blade, mais um personagem das histórias em quadrinhos da Marvel, ganhou vida também no cinema, inicialmente em 1998 com Blade – Caçador de Vampiros, despertando o interesse do público tornando-se um sucesso, e depois com sua inevitável sequência, Blade II – O Caçador de Vampiros, que estreou nas telas gigantes brasileiras em 21/06/02. Particularmente acho na maioria das vezes desnecessário o uso de subtítulos como esse O Caçador de Vampiros, fato que só atrapalha sendo que o título nacional poderia ser somente a reprodução do original Blade, cujo nome tem força própria e mesmo para quem não conhece sua história num primeiro momento, mais cedo ou mais tarde a informação acaba chegando ao público e todos ficam sabendo tratar-se de um caçador de vampiros. Isso acontece em muitas outras situações também e seria muito mais fácil e adequado que se escolhessem com mais inteligência os títulos nacionais para os lançamentos em cinema. Quanto ao Blade II, o versátil ator Wesley Snipes retorna no mesmo papel título, numa produção filmada em Praga, capital da República Tcheca, e dirigida dessa vez por Guillermo Del Toro (do suspense sobrenatural A Espinha do Diabo), culminando num filme repleto de correrias, lutas, violência, sangue, corpos decepados e atrocidades em geral envolvendo humanos, vampiros e criaturas mutantes.

Blade 2 (2002) (1)

Blade (Snipes) nasceu meio humano e meio vampiro, pois sua mãe fora infectada por uma criatura da noite momentos antes do parto, e ele herdou os poderes dos vampiros porém sem as suas fraquezas como a oposição à prata, alho e luz do sol. Tanto que ele é chamado pelos outros vampiros de daywalker por sua capacidade de viver sob a luz do dia. Na idade adulta, Blade jurou vingança contra as criaturas que mataram sua mãe e uma vez os vampiros vivendo em sociedades secretas na Terra e alimentando-se dos humanos, ele tornou-se um caçador de vampiros, sendo seu maior e mais temido inimigo.

No primeiro filme de 1998, Blade, ajudado por seu veterano amigo e desenhista de armas Abraham Whistler (Kris Kristofferson, que apareceu também na versão de Tim Burton de Planeta dos Macacos), luta contra um jovem líder dos vampiros que pretendia dominar a humanidade, e na continuação de 2002, o herói agora, novamente auxiliado pelo experiente Whistler e dessa vez também pelo jovem auxiliar Scud (Norman Reedus), é solicitado para se unir aos seus habituais inimigos vampiros contra uma nova raça de mutantes, os reapers, liderados por Jared Nomak (Luke Gross), uma criatura gerada numa experiência genética fracassada.

Blade 2 (2002) (2)

Ele era fruto da tentativa de criar seres imunes às fraquezas dos vampiros tradicionais, porém apesar da nova resistência à prata e ao alho, a vulnerabilidade à luz solar ainda persistia. Rebelando-se contra seu criador, o líder dos vampiros Elis Damaskinos (Tchéky Karyo), Nomak foge e passa a devorar humanos e vampiros formando sua legião de mutantes e tornando-se uma nova ameaça à humanidade. Blade então aceita a aliança e passa a liderar um grupo de vampiros treinados para matar chamado de Bloodpack, tendo entre eles a filha do líder Damaskinos, Nyssa (a bela atriz chilena Leonor Varela), com quem Blade se afeiçoa e passa a proteger, e o traiçoeiro Reinhardt (Ron Perlman), com quem Blade acaba se confrontando violentamente.

Fazem parte ainda do Bloodpack os vampiros Lighthammer (Daz Crawford), Snowman (Donnie Yen), Kounen (Karel Roden), Asad (Danny John-Jules), Priest (Tony Curran) e Chupa, cujo nome ficou estranho para nós (interpretado por Matt Schulze). Juntos, eles caçam os reapers em violentas sequências de lutas sangrentas, como na boate House of Pain, frequentada somente por vampiros, que foi palco de uma brutal carnificina quando surgem os reapers. Porém, Blade precisará de todo o seu poder e habilidade para combater não só seus novos inimigos mutantes como também seus tradicionais e traiçoeiros oponentes vampiros, que preparam uma conspiração para capturá-lo.

Blade 2 (2002) (3)

Blade II, assim como o filme original, é carregado de violência explícita, com muita pancadaria e sangue jorrando, em lutas coreografadas no estilo dos filmes de artes marciais de Hong Kong, tendo como responsável por essas cenas o especialista Donnie Yen. A concepção visual do filme também é coordenada por especialistas renomados, dessa vez na área das histórias em quadrinhos, Mike Mignola e Tim Bradstreet. O diretor Guillermo Del Toro tem demonstrado talento em seus trabalhos como na produção A Espinha do Diabo (2001), Hellboy (2004), O Labirinto do Fauno (2006), Hellboy II (2008) e Círculo de Fogo (2013), e o astro Wesley Snipes está bem à vontade na pele do herói Blade, com poucas palavras, algumas irônicas, e muita ação em porradas e violência exagerada.

Enfim, Blade II é um filme que agradará os fãs não muito exigentes de quadrinhos, horror, vampiros, lutas e sangue, bastante sangue. Está voltado para quem procura diversão com pancadarias e mutilações. No mais, é só…

Leia também:

1 Comentário

  1. Mk

    Eu acho esse muito legal, muito superior ao original e o design das criaturas são excelentes, selo de qualidade Guillermo Del Toro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *