Críticas

Drácula e Os Mortos-Vivos (1994)

O documentário vale mesmo pela compilação com cenas de oito filmes da Hammer sobre vampirismo, e como uma espécie de homenagem ao estúdio.

Drácula e os Mortos-Vivos (1994)

Drácula e os Mortos-Vivos
Original:Dracula & the Undead
Ano:1994•País:UK
Direção:Robert Sidaway
Roteiro:Robert Sidaway, Ashley Sidaway
Produção:Robert Sidaway
Elenco:Oliver Reed, John Carson, John Cater, Peter Cushing, Horst Janson, Christopher Lee

Quando a luz do dia se vai, uma criatura da noite acorda, um homem vindo do pesadelo das trevas, pronto para continuar seu reino de terror

Drácula e os Mortos-Vivos (Dracula and the Undead) é um dos 13 episódios da série de TV The World of Hammer, que teria originalmente 26 capítulos, e que mostra a trajetória dos filmes da produtora inglesa Hammer, estúdio especializado em cinema fantástico e que foi responsável entre meados dos anos 50 e metade da década de 70, por uma infinidade de preciosidades de FC e horror, marcando para sempre sua presença na construção da história do gênero.

Todos os episódios da série têm a duração de apenas 25 minutos cada e são narrados pelo ator Oliver Reed (falecido no final do século passado e mais conhecido por interpretar a fera em A Maldição do Lobisomem, 61). Os vários programas possuem temáticas específicas falando desde atores famosos que trabalharam no estúdio como Christopher Lee e Peter Cushing, passando pelos monstros tradicionais do cinema como vampiros, múmias, lobisomens, zumbis, feiticeiras, até abordagens de mundos desconhecidos e perdidos no tempo e o próprio gênero ficção científica. Alguns títulos originais de episódios são Hammer Stars: Cristopher Lee, Hammer Stars: Peter Cushing, The Curse of Frankenstein, Lands Before Time, Mummies, Werewolfs and the Living Dead, Chiller, Wicked Woman, entre outros, e geralmente eles foram distribuídos de forma separada como materiais extras de DVDs de filmes da Hammer lançados na Europa e Estados Unidos.

Drácula e os Mortos-Vivos (1994) (1)

No capítulo Drácula e os Mortos-Vivos, foram mostradas cenas de oito filmes sobre vampiros com comentários de bastidores e observações narradas por Oliver Reed. Os filmes escolhidos por ordem de apresentação foram O Vampiro da Noite (Dracula, 58), com Christopher Lee no papel título, seguido por As Noivas do Vampiro (The Brides of Dracula, 60), onde David Peel faz o vampiro Barão Meinster, e sendo ambos dirigidos pelo lendário Terence Fisher.

Depois vieram Capitão Cronos (Captain Kronos – Vampire Hunter, 73), dirigido e escrito por Brian Clemens e estrelado por John Carson e Caroline Munro, e O Circo do Vampiro (Vampire Circus, 72), com direção de Robert Young e que teve Dave Prowse (o Darth Vader de Star Wars) no elenco.

Drácula e os Mortos-Vivos (1994) (3)

Estes filmes serviram como um pequeno intervalo para o segundo filme de Christopher Lee como Drácula, vindo em seguida a apresentação de cenas de Drácula – O Príncipe das Trevas (Dracula – Prince of Darkness, 66), que é considerado o melhor e mais explícito filme da série, e onde curiosamente Lee não diz uma única palavra, numa atitude de reprovação com o roteiro.

O próximo filme abordado é uma produção que mistura vampirismo e artes marciais, A Lenda dos Sete Vampiros (The Legend of the Seven Golden Vampires, 74), de Roy Ward Baker e com John Forbes-Robertson no papel de Drácula, sendo combatido por Peter Cushing interpretando seu implacável perseguidor Van Helsing.

Para concluir o episódio vieram cenas de O Conde Drácula (Scars of Dracula, 70), também dirigido por Roy Ward Baker, um dos mais violentos de toda a série, e fechando com O Beijo do Vampiro (The Kiss of the Vampire, 64), de Don Sharp, onde uma curiosidade nesse filme é a imensa quantidade de morcegos que invadem um mosteiro e matam os monges sugando seu sangue, num desfile de efeitos super toscos permitindo a visualização clara dos fios que sustentam os vampiros voadores.

Drácula e os Mortos-Vivos (1994) (4)

Por ser um programa curto, com apenas 25 minutos de duração, é compreensível serem escolhidos apenas alguns filmes de vampiros para serem apresentados e comentados rapidamente por Oliver Reed. Porém, o ideal seria a inclusão de todos os filmes da série de Drácula com Christopher Lee e Peter Cushing, não devendo ficar de fora desse episódio especificamente filmes como Drácula – O Perfil do Diabo (Dracula Has Risen From the Grave, 68), O Sangue de Drácula (Taste the Blood of Dracula, 70), Drácula no Mundo da Mini-Saia (Dracula A.D. 1972, 72), e Os Ritos Satânicos de Drácula (The Satanic Rites of Dracula, 73).

Drácula e os Mortos-Vivos não tem muito a acrescentar no que diz respeito aos comentários de Oliver Reed, que se concentra apenas em apresentar os filmes escolhidos para fazerem parte do programa. O documentário vale mesmo pela compilação com cenas de oito filmes da Hammer sobre vampirismo, e como uma espécie de homenagem ao famoso estúdio inglês.

No Brasil, o selo Dark Side lançou em 2003 um DVD trazendo além desse episódio da série The World of Hammer, um outro documentário chamado As Várias Faces de Christopher Lee (The Many Faces of Christopher Lee, 96), dirigido por Colin Webb e apresentado pelo lendário ator Cristopher Lee, onde ele conta detalhes de bastidores de seus filmes em depoimentos repletos de curiosidades, fazendo desse DVD uma aquisição indispensável para os fãs do famoso ator, além de admiradores dos filmes da Hammer, ou de apreciadores do cinema de horror em geral.

Sou Drácula, Senhor das Trevas, Mestre dos Vampiros, Príncipe dos Mortos-Vivos, Governante dos Condenados – A Lenda dos Sete Vampiros, 74

Leia também:

2 Comentários

  1. Christopher Lee sem dúvida o maior ator mundial no gênero Vampirismo a sua performance inesquecível ficara eternamente na lembrança do povo mindial

  2. rubens mello

    Hammer e Sir Lee.
    🙂

Deixe uma resposta para José Fernando da Silva dé Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *