Interestelar (2014)

Interestelar (2014) (4)

Interestelar
Original:Interstellar
Ano:2014•País:EUA, UK
Direção:Christopher Nolan
Roteiro:Jonathan Nolan, Christopher Nolan
Produção:Christopher Nolan, Lynda Obst, Emma Thomas
Elenco:Matthew McConaughey, Anne Hathaway, Jessica Chastain, Wes Bentley, Matt Damon, Mackenzie Foy, Elyes Gabel, Michael Caine, Casey Affleck, Topher Grace, Ellen Burstyn, John Lithgow

Uma das características intrínsecas da ficção científica é a capacidade de questionar o mundo em que vivemos, propondo discussões existenciais sobre o futuro da humanidade. Desta forma, o envolvimento de Christopher Nolan com Interestelar, filme escrito por seu irmão, Jonathan Nolan, para Steven Spielberg, gerava grande expectativa e curiosidade. Esta característica primordial da ficção científica segue em direção diametralmente oposta ao didatismo prolixo que encontramos em outros filmes do diretor, como a trilogia do Batman e em seu filme mais “cabeça”, A Origem.

O filme começa bem. Somos apresentados a um mundo devastado por uma praga que destrói plantações e cobre o planeta Terra de poeira. Conhecemos o ex-piloto Cooper (Matthew McConaughey) e sua família que vive em uma pequena comunidade rural no interior nos EUA e que terá que decidir entre ficar e morrer com sua família ou se aventurar no espaço sideral em busca de um novo lar para a humanidade e ter uma chance de salvá-los.

Interestelar (2014) (1)

Este início é bastante promissor, pois situa o espectador dentro daquele mundo com pequenos detalhes e não com infinitas explicações, como o diretor costuma fazer. Seja no fato de que os livros de história foram alterados para desacreditar a corrida espacial, seja nos pratos virados de cabeça para baixo na mesa do jantar ou na caça ao drone perdido, conhecemos ali o drama, a dinâmica e as características dos personagens. Porém, quando o segundo arco começa, com a descoberta da base secreta da NASA, é que o filme começa a perder sua força.

A base secreta encontrada com facilidade, a conveniência de um foguete “pronto” só esperando um piloto, a presença da filha do astrônomo como integrante da tripulação, o design nada funcional dos robôs – mesmo como referência ao monólito de 2001 – forçam a barra como caprichos desnecessários em um filme que poderia e deveria ser muito mais instigante. A proposta do amor como uma variável de física quântica e a devastação do meio-ambiente como uma praga e não algo causado pelo homem é o balde de água fria definitivo em qualquer intenção de se levara sério Insterestelar como cinema de ficção científica em seu estado mais puro.

Interestelar (2014)

Apesar de alguns furos de roteiro espalhados aqui e ali, o cinema de Nolan continua a se destacar por seu apuro visual. O cineasta se orgulha de filmar o mínimo possível com fundos verdes e o CGI é aplicado em pontos estratégicos para preencher as lacunas e criar o impossível. Seu universo é crível, bonito e o melhor de tudo, analógico! O design minimalista das naves e aparatos tecnológicos ajuda a ressaltar este universo tão rico visualmente através do contraste.

Hans Zimmer compõe uma belíssima trilha sonora, que atuando em conjunto com o excelente elenco, consegue envolver o espectador em seus dramas e conflitos. McConaughey, aliás, está ótimo e a química com a pequena Mckenzie Foy como pai e filha é bonita e convincente. A cena em que Cooper desmorona após a mensagem recebida da Terra é emocionante. A única ressalva fica por conta de Anne Hathaway, que se esforça, mas parece deslocada.

Interestelar (2014) (2)

Apesar de citar 2001: Uma Odisséia no Espaço do genial Kubrick, como principal influência e inspiração, Nolan opta por entregar um filme de ficção científica mastigado e digerido, respondendo a todas as questões que o filme se propõe a discutir. Uma verdadeira aula de física para alunos do primário, pendendo muito mais para Prometeus do que Solaris. O cinema de Nolan peca por nivelar seu público por baixo, tratando-os como incapazes de formular suas próprias teorias. Desta forma, talvez nunca iremos evoluir para seres de cinco dimensões.

(Visited 37 times, 1 visits today)
Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Designer por formação e apaixonado por HQs e Cinema de Horror desde pequeno. Ao contrário do que parece ele é um sujeito normal... a não ser quando é Lua Cheia. Contato: rodrigoramos@bocadoinferno.com.br

2 comentários em “Interestelar (2014)

  • 27/05/2015 em 20:45
    Permalink

    “O cinema de Nolan peca por nivelar seu público por baixo, tratando-os como incapazes de formular suas próprias teorias”. Por acaso já assistiu Inseption, Memento e Dark Knight?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien