Críticas, Quadrinhos

O Despertar – Parte 1 (2013)

Com personagens bem desenvolvidos e um design e atmosfera incríveis, há todas as características de um bom filme de horror claustrofóbico!

O Despertar (1)

O Despertar
Original:The Awake
Ano:2013•País:EUA
Páginas:Autor:Editora: Panini

Scott Snyder ficou mais conhecido recentemente por seu elogiado, e polêmico, run na revista do Batman dos Novos 52, mas o escritor já é familiarizado com o gênero do horror. Snyder desenvolveu junto com Stephen King e o artista brasileiro Rafael Albuquerque a série Vampiro Americano e ficou responsável pelo reboot do Monstro do Pântano, também nos Novos 52 ao lado do excelente artista Yanick Paquette onde injetou doses cavalares de horror nesta releitura da obra clássica de Alan Moore.

A mais recente obra do autor dentro do gênero horror a chegar ao Brasil é O Despertar (The Wake), publicada originalmente pela Vertigo (o selo de histórias adultas e autorais da DC Comics) e ilustrada magistralmente pelo grande artista Sean Murphy (Joe, O Bárbaro e Punk Rock Jesus).
O Despertar – Parte 1 conta a história da bióloga Lee Archer, convocada a uma base militar secreta e submarina para investigar misteriosos sinais captados pelos militares lá instalados. Diante da oportunidade única que pode alavancar a sua carreira e permiti-la reaver a guarda de seu filho, Archer parte juntamente com uma equipe diversificada de cientistas para o fundo do mar em uma missão que irá mudar a sua vida e o mundo como conhecemos.

O Despertar (3)

Pra quem já conhece o trabalho de Snyder, O Despertar não chega a surpreender, mas para aqueles que acompanham o trabalho do artista Sean Murphy a HQ é uma ótima surpresa. Acostumado a histórias fantásticas, mas mais humanas, o desenhista mostra sua versatilidade e cria um universo belíssimo com seu design de roupas, máquinas e criaturas dignas de uma superprodução hollywoodiana. Sean Murphy é um dos grandes nomes dos quadrinhos atuais e vale a pena ficar de olho em seu trabalho.

Com personagens bem desenvolvidos e diálogos ágeis e um design e atmosfera incríveis, Snyder e Murphy se apropriam de todas as características de um bom filme de horror claustrofóbico como Alien – O 8º Passageiro e adicionam elementos de ficção cientifica que são plantados ao longo da história como elementos aleatórios, mas que, ao final da leitura completa da história, farão muito sentido e tornarão O Despertar uma história muito maior e mais complexa do que uma simples história de horror

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *