Críticas

Olhos Famintos (2001)

E quando foi a última vez que você viu um filme e foi realmente surpreendido na metade?

Olhos Famintos (2001) (4)

Olhos Famintos
Original:Jeepers Creepers
Ano:2001•País:Alemanha, EUA
Direção:Victor Salva
Roteiro:Victor Salva
Produção:Tom Luse, Barry Opper
Elenco:Gina Philips, Justin Long, Jonathan Breck, Patricia Belcher, Brandon Smith, Eileen Brennan, Jeffrey William Evans, Avis-Marie Barnes, Steve Raulerson, Tom Tarantini, William Haze

Para começo de conversa, esteja preparado para assistir a Olhos Famintos, ou você vai rugir de raiva e/ou cair na gargalhada no final, como li em muitas críticas a respeito do filme! E não espere mais um terror adolescente onde jovens bobões passam o filme atrás de drogas e sexo para serem massacrados por um assassino mascarado. O diretor/roteirista Victor Salva tentou fazer um filme diferente e, ao mesmo tempo, lançar no mercado uma nova criatura assassina, com toda uma mitologia própria, que fez sucesso e aparentemente gerou uma franquia (a parte 2 já saiu, pelo menos).

Comparando com outras baboseiras do “terror teen” atual, em Olhos Famintos a coisa pega mais pesado. O filme tenta fugir das dezenas de imitações geradas pelo sucesso da franquia Pânico, todas iguais, mudando apenas a máscara do assassino e a forma de matar. Enfim, Olhos Famintos busca uma renovação.

Quanto menos se souber da história melhor. Mas é bom ser avisado, de imediato, que a trama se divide em duas partes. A primeira metade do filme (infinitamente melhor do que a segunda) se passa numa estrada deserta do interior dos EUA, o que já deixa o espectador naquele clima de desespero – sabe como é, nenhuma casa, telefone ou policial em muitos quilômetros.

Olhos Famintos (2001) (2)

Um casal de irmãos, Trish (Gina Philips) e Darry (Justin Long), dirige para a casa dos pais, no interior. No caminho, o carro da dupla é atacado pelo motorista de um caminhão antigo. Seguindo-o, eles vêem que o misterioso motorista joga corpos em um cano de esgoto ao lado de uma velha igreja abandonada. Quando percebe que foi visto, o sinistro personagem inicia uma frenética perseguição aos dois jovens.

Corta para a segunda metade do filme. Os jovens descobrem, na velha igreja, um cenário lembrando o Inferno de Dante (mais detalhes estragam a força desta cena), e pedem a ajuda da polícia para fugir do psicopata que os persegue. Só que este tem um… hã, misterioso segredo, que será revelado em uma cena um tanto constrangedora. Como hoje em dia todo mundo já sabe do que se trata, vamos direto ao ponto: o assassino é, na verdade, um demônio, com asas de gárgula e tudo mais – por sinal, seu visual é criativo e assustador.

Olhos Famintos (2001) (3)

A cada 23 anos, ele sai da sua toca em busca de vítimas que contenham alguma coisa que ele queira devorar (pode ser o fígado, o coração ou os olhos). Quando fareja em alguém a tal “coisa“, ele começa uma caçada que não termina até a vítima estar morta, e ele saciado. Infelizmente, a existência de tal criatura acaba não se encaixando na trama anteriormente proposta (a perseguição pela estrada deserta), e o resultado é que muita gente cai na gargalhada quando a identidade do demônio é revelada (foi assim quando vi no cinema). Ao ver em casa o DVD do filme, meu irmão ficou tão furioso com a “surpresa” que parou de assistir.

Trabalhando com uma trama tão maluca, é de se espantar que o diretor Salva tenha feito um filme tão legal, criando climas de puro desespero e bastante suspense, especialmente quando os irmãos fazem a terrível descoberta na velha igreja. Neste início (que, volto a lembrar, é o melhor do filme), Olhos Famintos lembra outros filmes de horror passados nas malditas e desertas estradas do interior, como O Massacre da Serra Elétrica, de Tobe Hooper, Quadrilha de Sádicos, de Wes Craven, e até Encurralado, de Spielberg.

Olhos Famintos (2001) (1)

E o filme tem ao menos uma cena realmente genial: aquela em que os irmãos conversam dentro do carro enquanto, no fundo, vemos a criatura de pé sobre uma viatura da polícia que escoltava os dois jovens para fora da cidade!

Entretanto, Salva não é um bom contador de histórias, deixando muitas pontas soltas. Em nenhum momento o roteiro se preocupa em explicar a origem da criatura (o que não acontece nem na continuação fraquinha). Não explica, também, quem é a velha vidente que sabe tanto sobre a criatura, e nem a relação do monstro com a música “Jeepers Creepers“, composta nos anos 30, e que toca no rádio cada vez que a criatura vai atacar (Jeepers Creepers é também o nome original do filme). Como o final é abrupto (mas corajoso), sem grandes conclusões, é impossível ficar sossegado, pois há muita coisa por explicar – o que não acontece nem na segunda parte, que prefere contar uma outra história envolvendo a criatura, mas novamente sem maiores esclarecimentos.

Ah, quer saber? Todo este mistério deixa Olhos Famintos ainda mais legal e assustador. Quem assistir preparado, esperando pelo que der e vier, com certeza vai se divertir. Ao menos é um filme diferente, longe do lugar comum que se tornou o gênero. E quando foi a última vez que você viu um filme e foi realmente surpreendido na metade?

Leia também:

16 Comentários

  1. Debora Batista Alves

    Verdade foi um detalhe que percebi e quanto mais medo melhor…a criatura pega somente a parte que lhe interessa ou a que ele precisa. E não adianta fugir…o que ainda é mais aterrorizante.

  2. Debora Batista Alves

    Verdade foi um detalhe que percebi e quanto mais medo melhor…a criatura pega somente a parte que lhe interessa ou a que ele precisa. E não adianta fugir…o que ainda é mais aterrorizante.

  3. eu so queria saber mesmo de onde surgiu esse demonio e qual a historia dele ;-; mais em fim… o filme é muito bom mesmo

  4. Mar dario

    Considero esse o melhor filme de terror de todos os tempos, pois foi o unico em toda a minha vida que me fez acordar de madrugada gritando: “MAE O OLHOS FAMINTOS, O OLHOS FAMINTOS”.
    Logico que foi quando eu tinha uns 4 ou 5 anos. Marcou minja vida.

    • Rodrigo Ramos Rodrigo Ramos

      Olhos Famintos marcou toda uma geração de fãs do horror! É como o Sexta-Feira 13 e o Hora do Pesadelo foram para a minha geração.

  5. ISSO E MUITO TERORIZANTE PARA AS PESSOAS

  6. João

    Na verdade existe um contexto da perseguição na estrada e é explicado no filme. Como ele sente o cheiro do medo e dessa forma ele identifica se algo na pessoa o agrada, ele a realiza para provocar o medo.

  7. Lucas

    Assisti pela primeira vez dias atrás e curti muito, a ambientaçao do filme (estrada deserta, sem qualquer lugar para pedir ajuda) é ótima e cria um clima de tensao. Uma pena que os filmes de hoje em dia nao sigam esses moldes, seria infinitamente melhor do que os filmes que temos visto ultimamente. Esse lance de espíritos e possessao demoníaca cansou, é uma formula muito gasta. Olhos Famintos inovou (tanto na história quanto no final, o qual eu particularmente preferia que tivesse sido diferente, pois torci muito pelo personagem) e embora nao seja um clássico, sem dúvidas foi um dos grandes filmes de terror dos anos 2000. Para quem nao assistiu, assista o quanto antes e para quem já viu, vale a pena rever.

  8. Eloy

    Filme excelente. Assisti ainda novo, levei muitos sustos. O resultado na minha opinião revendo ele hoje, é que foi melhor que o esperado.
    Ele é tenso e mesmo quando descobrimos quem é o assassino, o ritmo continua seguindo aquele tom sombrio nos deixando arrepiados até o fim.
    Foi um dos melhores que vi naquela época pós “Panico”..

  9. Cauê Diana

    Um dos melhores filmes de terror de todos os tempos!
    Para mim Olhos Famintos pode ser considerado um clássico do gênero, uma história diferente, criativa e assustadora… o filme aterrorizou minha infância e lembro-me de não dormir a noite pensando lembrando da criatura kkkk
    O filme merece uma franquia.
    Com certeza é uma ótima opção para o gênero e espero até hoje ansiosamente o terceiro filme!

  10. Thi MarQs

    Vi no cinema e tenho em DVD os 2… e foi uma surpresa tbm, mas, isso só aumentou meu interesse ao filme! FILMAÇO por sinal…, e até hj, espero ansioso, por um terceiro filme

  11. Cristina

    esse filme foi uma festa na minha adolescência, todo mundo queria ver, que filmão!!!

  12. Carlos Dente

    Gosto mais da “parte 1” do que da continuação (que também é ótima), justamente por causa da falta de explicações – coisas ruins não são sempre assim?

  13. Guilherme

    Esse filme merecia uma franquia maior, pelo menos um terceiro filme, mesmo que não explicasse muita coisa.

  14. Raunny Almeida

    Sou um fã incondicional desse filme. Lembro que quando vi ele na locadora de filmes e peguei achando ser um filme bobo, mas por falta de opções decidi levar. Devo admitir que fiquei surpreso com esse filme. Concordo que a melhor parte do filme é a primeira metade… O mistério envolvendo aquele carro assustador, aquela buzina marcante (quem nunca viajou de carro e lembrou da cena da perseguição?). Senti falta de explicações (e achei que seria abordado na sequência), mas ainda sim são coisas que, propositais ou não, te faz confabular, criar teorias sobre o pq daqueles personagens saberem tanto e outros não. O segredo do filme está em não revelar muita coisa (e isso bate contra o atual cinema terror que tudo tem que ser minimamente explicado e ser extremamente coerente para ser bom). Uma proposta diferente que, na minha opinião, foi bem realizado e merecia uma parte 3.

  15. Hierofante1970

    Esse filme é muito do bom a primeira metade é angustiante e já a segunda é carnificina da boa, he he he he he he.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *