REC³ Gênesis (2012)

Rec 3 (2012) (5)

REC³ Gênesis
Original:REC 3: Genesis
Ano:2012•País:Espanha
Direção:Paco Plaza
Roteiro:Luiso Berdejo, David Gallart
Produção:Julio Fernández
Elenco:Leticia Dolera, Diego Martín, Ismael Martínez, Àlex Monner, Borja Glez. Santaolalla, Emilio Mencheta, David Ramírez, Miguel Ángel González, Ramón Agirre, Xavier Ruano, José de la Cruz, Antonio Barroso

Tá bom. Eu assumo que estou recebendo de volta toda uma chuva de cuspes que eu mesmo arremessei aos céus logo após saber que a franquia REC seria uma quadrilogia. O segundo filme da série me soou tão infantil e repetitivo que me tirou todo o tesão em assistir qualquer outra continuação, principalmente ao descobrir que demônios podem possuir os vivos por meio da gripe!

Infelizmente eu tenho um grande defeito que é semelhante a uma espécie de masoquismo. Um masoquismo cinéfilo. Por causa desta “febre mental” eu já passei maus bocados assistindo os remakes de Deixe Ela Entrar (Låt den rätte komma in, no original sueco), de A Hora do Espanto (no original Fright Night), de O Enigma de Outro Mundo (The Thing) e a degradação total de Freddy Krueger na versão 2010 de A Hora do Pesadelo. Depois do frustrante enredo “pegadinha do Mallandro” de [REC]² eu me neguei a assistir qualquer trailer ou ler qualquer matéria sobre uma terceira continuação…o que tornou o filme bem engraçado e bem mais aproveitado quando resolvi assisti-lo em mais uma “sessão tortura” na frente do meu monitor.

Rec 3 (2012) (4)

Como muitos acreditam [REC]³ Génesis não é um prequel. Seu enredo é completamente paralelo às duas sequências anteriores e seu desenrolar funciona como uma história separada: rápido, direto em priorizar a ação, apresentando desde o início um magnífico senso de humor (negro) e extremamente focado na geração de violência e sangue em doses cavalares. Uma tirada de mestre de Paco Plaza (pelo menos na minha humilde opinião!) foi literalmente “quebrar” o sistema de documentário que havia marcado a franquia em sua primeira apresentação. O resto do filme é exibido como uma película tradicional e pelo que eu andei lendo em alguns sites, blogs e fóruns isso desagradou bastante os fãs da série causando um pouco de confusão, pois relembrava os espectadores de que aquilo era apenas um filme, exatamente quando eles deveriam estar se esquecendo desse fato.

Quem já me ouviu (ou leu) reclamando da mudança repentina de isolamento viral para possessão demoníaca ocorrida entre os dois primeiros filmes pode se assustar com o que estou escrevendo, mas a verdade é só uma: [REC]³ Génesis pode não ser o melhor filme que assisti em 2012 porém foi o mais divertido, pois nunca havia me divertido tanto desde que assisti Tucker & Dale vs Evil (2010).

Rec 3 (2012) (3)

Mesmo apresentando algumas similaridades com a história original (como a mordida causada por um cão que estranhamente voltou à vida no escritório do tio do noivo, uma clara referência ao primeiro filme) e o isolamento gradativo da área pelo Governo, o restante do filme é pura diversão. O espectador é presenteado com cenas memoráveis como um noivo de armadura e sua recente esposa destroçando amigos e convidados com uma motosserra e armas medievais, a aparição do “irmão pobre” do Bob Esponja, uma versão hispânica da Dercy Gonçalves xingando os convidados endemoniados de “hijos da puta” de dentro de uma capela, alguns flashes da verdadeira forma dos demônios e duas cenas explicitamente inspiradas em O Iluminado e Evil Dead, que somente os reais adoradores de filmes de horror conseguirão captar.

Outra coisa que também devo salientar neste texto: se você espera um filme com o mesmo impacto claustrofóbico do primeiro REC nem se preocupe em assistir este filme. Em [REC]³ a sangria já começa em plena luz do dia e sem nenhuma preocupação em te pegar despreparado. Os infectados correm pela grama ensolarada, se arrastam pelo salão de festa ao som de valsa e se jogam dos telhados, ofuscados pela chuva, sem nenhuma cerimônia.

Rec 3 (2012)

Mesmo com tanto splatstick o final é de um impacto impar e mereceu, tanto pela fotografia quanto pela direção, o meu troféu “Joinha Sangrento” para a melhor cena de beijo. O único problema do filme foi o fato de não entender como a menina Medeiros foi parar no apartamento do [REC]¹ já que o final foi um tanto indeciso, mas acho que talvez seja pelo motivo de meu espanhol de ouvido ser tão ruim quanto o meu inglês portanto, uma caça às legendas já está sendo providenciada…

Rec 3 (2012) (1)

De acordo com o site do filme os diretores e criadores de [REC]¹ e [REC]² – Possuídos, Jaume Balagueró e Paco Plaza, trabalharam juntos e separados na concepção da trama. Plaza comandou sozinho [REC]³ Génesis e Balagueró comandou REC 4 – Apocalypse, que determina o final desta pandemia dos infernos.

(Visited 111 times, 1 visits today)
Iam Godoy

Iam Godoy

Editor-chefe do site Gore Boulevard e um dos membros fundadores do grupo Ravens House Brasil. Assina também as colunas Sangue Tôsko e Sangria.

4 comentários em “REC³ Gênesis (2012)

  • 04/04/2015 em 20:29
    Permalink

    Vish, apelou muito. Os elementos apesar de parecerem bons simplesmente não dão certo, a cena final é muito jogada, um verdadeiro desperdício de idéias e de filme.

    Resposta
  • 02/04/2015 em 11:33
    Permalink

    Olha… o dois é até legal, mesmo muito gente criticando… mas esse 3 é ruim viu…

    Resposta
  • 01/04/2015 em 14:52
    Permalink

    Acho esse filme um desperdício de tempo, havia muitas boas ideias que na minha opinião foram pouco ou mau aproveitadas.A bela protagonista no poster segurando a motosserra de forma icônica, e o que temos? nada que impressione!
    Os efeitos são ótimos mas só, daria duas caveiras com muito esforço.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien