Críticas

A Batalha dos Monstros (1969)

O roteiro é completamente ridículo, cheio de diálogos banais, personagens insignificantes e carregado de situações bagaceiras ao extremo!

A Batalha dos Monstros (1969) (3)

A Batalha dos Monstros
Original:Gamera tai daiakuju Giron / Attack of the Monsters
Ano:1969•País:Japão
Direção:Noriaki Yuasa
Roteiro:Niisan Takahashi
Produção:Sandy Frank, Hidemasa Nagata
Elenco:Nobuhiro Kajima, Miyuki Akiyama, Christopher Murphy, Yuko Hamada, Eiji Funakoshi, Eiji Funakoshi, Edith Hanson, Hiroko Kai, Reiko Kasahara, Akira Natsuki

Direção de Noriaki Yuasa. Duas crianças, o japonês Akio (Nobuhiro Kajima) e o americano Tom (Christopher Murphy), avistam num telescópio caseiro um disco voador que aterrissou perto da casa do primeiro, ao mesmo tempo em que um cientista, Dr. Shiga (Eiji Funakoshi), está estudando a origem de misteriosos sinais vindos do espaço, sendo interrogado pela imprensa. As crianças vão ao encontro da nave e, ao entrarem no interior, são transportadas por controle remoto ao planeta de origem, chamado Tera, que é similar ao nosso planeta, com mesma atmosfera, e situado no outro lado do Sol (ideia reciclada e já utilizada em O Alerta do Espaço, 1956).

Esse planeta é habitado por duas mulheres, Barbella e Flobella, as únicas sobreviventes de uma civilização avançada tecnologicamente, mas que permitiu que um computador rebelde criasse monstros gigantes que dominam o lugar. As alienígenas conseguiram aprisionar e manter sob controle como um cão de guarda um desses monstros, Guiron, que é uma espécie de rinoceronte com uma lâmina de aço na cabeça.

A Batalha dos Monstros (1969) (1)

Elas então sequestram as crianças para devorar seus cérebros e adquirir seus conhecimentos, obtendo informações sobre a Terra. Mas o monstro voador Gammera está atento e parte para o planeta para defender os pirralhos e travar uma batalha contra Guiron.

Distribuído no Brasil em DVD junto com Destruam Toda a Terra (1968), A Batalha dos Monstros tem fotografia em cores e dublagem em inglês, sendo mais um episódio dentro do universo ficcional da tartaruga gigante Gammera, que depois de ser apresentada no filme de origem Gammera – O Monstro Invencível (1966), agora é uma criatura “amiga das crianças” e “defensora da humanidade”.

A Batalha dos Monstros (1969) (2)

O roteiro é completamente ridículo, cheio de diálogos banais, personagens insignificantes e carregado de situações bagaceiras ao extremo. Todas as cenas com Gammera são toscas e hilárias de tão mal feitas, com direito até a uma performance do monstro numa espécie de barra acrobática parecendo um ginasta olímpico. Além de outra cena memorável de tão ruim onde a tartaruga imensa, que, a propósito, voa pelo espaço com jatos propulsores, conserta uma nave cortada ao meio juntando os pedaços e soprando como se fosse uma vela de aniversário. Tanto Gammera como Guiron são interpretados por atores vestidos em trajes de borracha e com olhos de peixe morto, e as cenas de batalhas entre ambos são memoráveis de tão ruins. As instalações da base alienígena no planeta Tera possuem todos aqueles elementos clichês dos filmes “B” antigos de FC, com cenários coloridos e repletos de aparelhos eletrônicos futuristas.

Leia também:

1 Comentário

  1. anselmo luiz

    este filme passava direto na TV Record nos anos 80, sua ultima exibição na TV Aberta foi no Cinema 11 na TV Gazeta em 1988.. depois nunca mais ele passou,uma pena ! tambem concordo é o pior filme de Gamera o melhor filme de foi ” A Volta dos Monstros Gigantes Aka Gamera Vs. Gyaos ” de 1966 este tambem passava direto na TV Record nos anos 80 ,principalmente na epoca das ferias escolares,bons tempos que não voltam mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *