Críticas

O Mistério de Candyman (1992)

Um dos mais expressivos exemplares de um começo de década raquítico para o gênero!

O Mistério de Candyman (1993) (3)

O Mistério de Candyman
Original:Candyman
Ano:1992•País:EUA
Direção:Bernard Rose
Roteiro:Bernard Rose, Clive Barker
Produção:Steve Golin, Alan Poul, Sigurjon Sighvatsson
Elenco:Virginia Madsen, Xander Berkeley, Tony Todd, Kasi Lemmons, Vanessa Williams, Marianna Elliott, DeJuan Guy, Ted Raimi, Ria Pavia, Eric Edwards

“Eles dirão que eu derramei sangue inocente. Mas para que é o sangue, senão para ser derramado.”

Em 1988, o então desconhecido diretor britânico Bernard Rose dirigiu o pequeno notável A Casa dos Sonhos, baseado em obra de Catherine Storr, que misturava em seu enredo elementos de fantasia, suspense e horror. Durante um encontro casual no estúdio com Clive Barker, que na época estava produzindo o longa Raça das Trevas (Nightbreed), ambos conversaram sobre fazer uma adaptação de um conto de Barker, The Forbidden, presente na coleção Books of Blood, conto do qual Rose gostava muito.

O Mistério de Candyman (1993) (1)

Alan Paul, da Propaganda Films, em parceria com a Polygram e a Tristar, conseguiram um modesto orçamento para o filme, que se chamaria Candyman. A genialidade de Clive Barker e o talento de um jovem Bernard Rose conseguiram levar ao ambiente urbano, na cidade de Chicago, uma excelente trama que tem por base as lendas urbanas. A possível interpretação racista por parte do publico, que foi uma das principais preocupações dos produtores na época do lançamento, como comentou Clive Barker nos extras do DVD, foi principalmente devida aos violentos protestos ocorridos em Los Angeles por ocasião do caso Rodney King; mas particularmente acredito que o efeito tenha sido justamente o contrário, uma vez que Candyman é, no filme, uma figura requintada e o verdadeiro anti-herói (em vez de vilão), e filmes de horror com protagonistas negros sempre foram raríssimos, com exceção dos filmes blaxploitation, provando justamente nesse filme o contrário do racismo que infelizmente ainda vemos na TV e no cinema.

O Mistério de Candyman (1993) (2)

A origem de Candyman (apenas contada no filme) é a de um filho de um escravo, talentoso artista, que se apaixonou por uma donzela, filha de um rico fazendeiro. Ele a engravida e o pai executa uma terrível vingança: paga um grupo de hooligans para perseguir e matar Candyman. Ele teve sua mão direita decepada, e o corpo coberto com mel, para em seguida ser picado até a morte por uma colônia de abelhas. Daí o nome Candyman. No presente, Helen Lyle (Madsen) é uma estudante que, juntamente com sua amiga Bernadete Walsh (Lemmons) está escrevendo uma tese sobre a influência de uma lenda urbana (no caso, Candyman) no pensamento coletivo de uma pequena comunidade que vive nos conjuntos habitacionais de Cabrini Green, na periferia de Chicago. No entanto, para o azar de Helen e as pessoas à volta dela, uma serie de assassinatos começa a ocorrer, com a culpa recaindo sobre Helen. Será Helen culpada ou inocente? Candyman é real ou apenas um delírio da consciência coletiva e da própria Helen?

O Mistério de Candyman (1993) (1)

Rose conduz com elegância, ainda que não abra mão de certa dose de gore, o roteiro que teve a colaboração do próprio Barker. Notamos que não se trata de um filme de horror convencional, se distanciando bastante da estrutura narrativa de um slasher padrão. Rose recorre a saltos na história e a utilização de um universo onírico também usado em seu filme anterior, e com isso, cria um conto sombrio e poético. Com a aura de um herói trágico, Candyman representa, ao mesmo tempo, a violência urbana e a vulnerabilidade das classes sociais mais baixas, apresentando também um comentário social muito pertinente quando usa de maneira óbvia, mas inteligente, a representação do conjunto habitacional Cabrini Green como local de “morada” de Candyman. Apresentando ainda atuações envolventes de Tony Todd (com destaque para sua voz profunda e assustadora) e Virginia Madsen, e uma trilha sonora fúnebre e desoladora de Philip Glass (que se encaixa perfeitamente no tom da trama), O Mistério de Candyman é, infelizmente, um filme subestimado e esquecido, mas que se tornou um dos mais expressivos exemplares de um começo de década raquítico para o gênero, e que deve, com certeza, ser conferido como uma produção obrigatória para os fãs de horror.

Leia também:

12 Comentários

  1. IGOR

    O início é ótimo.Os primeiros 40 minutos..o suspense da investigação ,a construção do mito etc…mas depois que o tal candyman aparece o filme fica meio bobo.Não mantem o ritmo do início.

    • Staffy

      Concordo, o Candyman mal dá medo, faltou explicar também sua motivação pra matar.
      No máximo um 6,5 pra esse filme

  2. RENATO MARIANO

    UM CLÁSSICO DO TERROR DOS ANOS 90 ASSISTI PELA PRIMEIRA VEZ NA SAUDOSA ÉPOCA DO VIDEOCASSETE.

  3. Valdinei Ribeiro

    Ainda não assisti o 2 nem o 3 como chama os filmes seguintes? E como os encontro para assistir?

  4. gilson bloch

    filmaço , lembro muito desse filme no saudoso cinema em casa ! sbt, candyman é pra mim um ícone mesmo que injustiçado por muitos..

  5. Ismael Monteiro

    Excelente filme !!!

  6. Cristiano

    Muito legal este filme, ainda teve o 2 e o 3, gostei de todos eles.

  7. Lucas T.

    Assisti esta manhã e confirmo também: ótimo filme!
    História envolvente, personagens complexas e uma atmosfera de terror psicológico com altos requintes de gore. Nota 10 *o*

  8. Henrique

    Excelente filme! Um dos melhores dos anos 90. História interessante, ótimos atores, uma atmosfera de sonho/pesadelo muito envolvente. A relação entre a protagonista e o Candyman é muito instigante, cabem umas interpretações interessantes sobre isso, sobre a autoria dos assassinatos e sobre a origem de lendas urbanas. Cliver Barker deve ter ficado orgulhoso, pois foi uma das poucas adaptações decentes de sua obra. Achei o filme até melhor do que o conto que lhe deu origem (“O proibido”).

  9. Aline

    Vi este filme quando era bem pequena, passando dublado na TV. Quase morri de medo, tive pesadelo por dias, não conseguia mais ficar sozinha em casa, conseguiu me aterrorizar bastante naquela época.
    Quase 20 anos depois resolvi assistir novamente, e amei! Excelente filme!

    • Cristiano

      Oi, boa noite, este filme é legal mesmo, você já assistiu o 2 e o 3?O título do 3 é: Candyman : Dia dos mortos.

  10. Thi MarQs

    Filmaço dos bons. Nunca tinha visto, até um ano atrás. Muito bom mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *