Críticas

Memórias de um Assassino (2003)

Memórias de um Assassino possui tanta qualidade quantos diversos outros clássicos americanos do gênero!

Memórias de um Assassino (2003) (1)

Memórias de um Assassino
Original:Salinui chueok
Ano:2003•País:Coréia do Sul
Direção:Joon-ho Bong
Roteiro:Joon-ho Bong, Kwang-rim Kim, Sung-bo Shim
Produção:Seoung-Jae Cha, Moo Ryung Kim, Jong-yun No
Elenco:Kang-ho Song, Sang-kyung Kim, Roe-ha Kim, Jae-ho Song, Hie-bong Byeon, Seo-hie Ko, No-shik Park, Hae-il Park

Possuímos uma opinião bem fechada quanto a produção de cinema asiático, de que seriam filmes estranhos, ou trashes, ou complexos demais. Mas calma… existem produções mais “tradicionais” no oriente e Memórias de Um Assassino nos prova isso.

Do reconhecido diretor Joon-Ho Bong, o mesmo do também excelente O Hospedeiro (2006), o filme acompanha um departamento de polícia em 1986 na província de Gynnggi, no interior da Coréia do Sul, ao investigarem uma série de assassinatos de garotas jovens e bonitas em dias chuvosos. Procurando descobrir quem seria o autor dos crimes, um investigador de Seul é chamado para integrar a investigação, juntamente com policias não preparados, que querem prender qualquer um na base da porrada e ter suas fotos estampadas na capa de um jornal. Com o tempo, e os assassinatos se tornando mais frequentes, todos naquele departamento se envolvem muito profundamente no caso, buscando de forma insistente e emotiva o verdadeiro assassino.

Memórias de um Assassino (2003) (2)

Este suspense sul-coreano se assemelha a várias outras produções do gênero, de diversos outros países, e simplesmente não deixa a desejar em nenhum momento. Baseado em uma história real, nada é exagerado ou emotivamente forçado para nos convencer a gostar do longa. Ele simplesmente mostra uma perspectiva do caso de forma convincente, com um bom grupo de atores, fotografia e ambientes – atentem ao realismo do departamento de polícia da cidade: não há glamour ou milhões de mesas com pessoas trabalhando, é uma cidade pequena e sem muitos investimentos.

A construção dos personagens também é um ponto que vale atenção. Eles se transformam com o passar do filme, adaptando-se às situações e estabelecendo vínculos para atingir o objetivo em comum: pegar o assassino.

Memórias de um Assassino (2003) (3)

O serial killer retratado em Memórias de um Assassino é, nada mais nada menos, que o primeiro caso do tipo registrado na Coréia do Sul. E se você for pesquisar sobre o caso, saberá que ele não tem um final feliz. Entretanto, o filme coloca o espectador no mesmo olhar dos investigadores. Também temos o poder de julgamento.

Memórias de um Assassino possui tanta qualidade quantos diversos outros clássicos americanos do gênero. Temos suspense, intrigas, desenvolvimento emotivo, assassinatos, investigadores simpáticos e assassino enigmático. Com certeza um filme obrigatório, para quem gostaria de entender a vastidão das produções orientais.

Memórias de um Assassino (2003) (4)

Leia também:

2 Comentários

  1. Kleyber

    Putz para um filme que ganhou quatro estrelas e meia, seis parágrafos meia boca está um pouco injusto. Já vi filmes três estrelas aqui no site ganharem uma critica bem mais extensa e uma coca-cola.

    • Também achei estranho os poucos parágrafos, quase uma sinopse. Um filme e tanto para os fãs do suspense policial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *