Críticas

A Entidade 2 (2015)

Não conseguiu inovar em nada e trouxe os mesmos elementos já vistos antes, mas de forma requentada, como a sobra do jantar da noite anterior

A Entidade 2 (2015) (3)

A Entidade 2
Original:Sinister 2
Ano:2015•País:EUA
Direção:Ciarán Foy
Roteiro:Scott Derrickson, C. Robert Cargill
Produção:Jason Blum, Scott Derrickson, Brian Kavanaugh-Jones
Elenco:James Ransone, Shannyn Sossamon, Robert Daniel, Dartanian Sloan, Lea Coco, Tate Ellington, John Beasley Lucas Jade Zumann, Jaden Klein, Laila Haley, Caden M. Fritz

Após assistir ao filme A Entidade 2 (Sinister 2), é possível chegar a conclusão que trata-se de um filme de sorte. Por qual motivo? Simplesmente por ter sido lançado no mesmo ano que A Forca (The Gallows), que é considerado sem sombra de dúvidas como o pior filme de 2015. Ou seja, graças ao título de bomba do ano já pertencer merecidamente ao found footage A Forca, A Entidade 2 será lembrado apenas como um filme fraco e ruim. Mas se A Forca não existisse, o título de porcaria do ano poderia, sim, ser de A Entidade 2.

O problema de A Entidade 2 é que o primeiro filme é interessante e fez certo barulho de forma positiva. A trama original, lançada em 2012, trazia a história de um escritor, interpretado por Ethan Hawke, que acabava de se mudar para uma casa na qual uma família inteira havia sido assassinada e uma filha estava desaparecida desde o crime. O personagem de Hawke decide investigar o caso para um possível novo livro e acaba se envolvendo com uma entidade sobrenatural chamada Bughuul. O interessante deste vilão é que ele sobrevive através de imagens e age no mundo dos vivos corrompendo crianças, que meio que alimentam a tal entidade..

A direção ficou com o competente Scott Derrickson, que já havia feito alguns anos antes o ótimo O Exorcismo de Emily Rose (2005) e o interessante porém subestimado Hellraiser Inferno (2000). Cenários escuros, fantasmas de criancinhas e uma investigação para entender o que está acontecendo fizerem de A Entidade uma das boas produções de 2012. Destaque para o final que também agradou muito aos fãs do gênero.

A Entidade 2 (2015) (2)

A Entidade 2 começou a ganhar forma em 2014, quando as notícias da parte 2 surgiram na internet. A primeira notícia ruim já deixava Scott Derrickson fora da direção. A cadeira foi assumida por Ciarán Foy, que havia feito em 2012 o inexpressivo Citadel. Sem Derrickson, é correto dizer que faltou pulso na nova produção, que diferente da original, não conseguiu inovar em nada ao mesmo tempo em que trouxe os mesmos elementos já vistos antes, mas de forma requentada, como a sobra do jantar da noite anterior.

No novo filme, reencontramos o agora ex-policial So and So (James Ransone). Para quem lembra do original, So and So (nunca sabemos qual o nome verdadeiro dele e o So and So pode ser traduzido como um “policial qualquer“), era uma espécie de ajudante do personagem de Ethan Hawke. Por ser policial, ele conseguia informações privilegiadas para o “amigo” sobre os crimes que este investigava. Neste segundo filme, So and So segue investigando casas onde famílias teriam sido mortas nos mesmos moldes dos casos vistos no filme original.

Não demora muito para conhecermos a personagem Courtney (Shannyn Sossamon), e seus dois filhos Dylan (Robert Daniel Sloan) e Zach (Dartanian Sloan). O trio mora escondido em uma casa no meio do nada que teria sido palco das assombrações do Bughuul no passado e não demora muito para os filhos de Courtney começarem a ver as criancinhas fantasmas. E claro, vai ter toda espécie de pseudo-drama, como o ex-marido de Courtney que é do mal e quer a guarda dos filhos e bate em todo mundo, policiais corruptos que querem tomar os meninos de Courtney, crianças problemáticas, etc.

A Entidade 2 (2015) (1)

O principal problema de A Entidade 2 é que nenhuma destas questões realmente funciona e tudo soa picareta demais. Desde o personagem So and So, que funcionava como coadjuvante, mas simplesmente não segura o filme até o drama da família de Courtney. E para piorar, as crianças que foram os elementos principais de construção de medo no original aqui foram ressignificadas como vilões mirins com direito a ameaças e caras feias.

Por sinal, o vilão mirim principal, o tal de Milo (Lucas Jade Zumann) é fraco e simplesmente não convence em nenhum das cenas em que aparece. E olha que são várias. Neste caminho, sobra para o Bughuul aparecer aqui e ali para o tradicional susto sempre envolto em edições sonoras. E tentando expandir a mitologia, o roteiro ainda oferece uma série de pontos que simplesmente não funcionam como o Bughuul da Escandinávia.

A Entidade 2 (2015) (1)

E para piorar, a direção insiste em uma pegada meio Colheita Maldita para A Entidade 2. Na verdade, os envolvidos nesta parte 2 deixaram bem claro que o conto de Stephen King serviu de inspiração na hora da concepção da trama, o que justifica, por exemplo o milharal, os personagens crucificados no meio do campo e até o vilão mirim Milo, que lembra muito o Issac, de Colheita Maldita. O mais impressionante desta salada de elementos que não funcionam é que o roteiro foi co-escrito pelo diretor do original.

A Entidade 2 (2015) (2)

Depois de tantos erros, seria possível esperar por um A Entidade 3? O mais curioso é que grupos de fãs costumam apontar que o universo ao qual o Bughuul pertence seria o the further, da série Sobrenatural (Insidious). Alguém apostaria ou gostaria de um filme unindo as duas tramas? Que tal Elise, personagem de Lin Shaye da franquia Insidious, versus o Bughuul? Não, obrigado.

Leia também:

8 Comentários

  1. Paulinha

    Bom filme!

  2. então, não assisti ao filme ainda mas pelos comentários que vi em um site,meio que não estou tão animada,mas continuo na esperança de assisti-lo pois todos temos opiniões diferentes ..

  3. Daniel Dosans

    Na minha opniao, uma das melhores sequencias que ja vi. Muitas sombras e as mortes bem criativas. A da igreja entao, uma das melhores cenas de horror do seculo. Otimo filme.

  4. Ester

    Bem acabei de olhar o filme a entidade 2,pois bem é legal só que eu espera mais sei lá mais adoro filmes de terror mais queriaalgo mais ininteressante do que isso além disso o filme taça bom …

  5. Mactatus2014

    Assisti o primeiro e achei fraco esse então talvez assista para matar a curiosidade mesmo. Como sempre escrevo aqui no Boca “não deve ser pior que Seed – Assassino em Série 2007 dirigido ou melhor mal dirigido pelo Uwe Boll”.

  6. Lucas

    Nao entendi esse lance de Bagul da Escandinávia, devo ter perdido algo durante o filme, já que a legenda nao era oficial, era tipo aquelas traduçoes do google.
    Alguém poderia explicar?
    E sim, o filme foi bem fraco, até mesmo nas filmagens das crianças, as do primeiro filme eram assustadoras, principalmente aquela do carro pegando fogo.

    • Rubia

      Odiei o final , eu odeio filmes que me deixam confusas, sem entender, mas o resto eu gostei, sei lá ! Mas o final, eu não entendi :s

  7. Fui ao cinema nesta quarta-feira assistir ” A Entidade 2 ” e fui embora decepcionado , pois eu esperava mais desta continuação .
    É uma continuação muito fraca devido ao primeiro que é excelente , e o pior é que teremos o terceiro filme , agora vai saber quando ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *