Críticas

A Galeria dos Alienígenas (1986)

É uma típica tranqueira dos anos 80, com uma história patética que até os apreciadores de bagaceiras terão dificuldades para digerir!

Breeders (1986) (1)

A Galeria dos Alienígenas
Original:Breeders
Ano:1986•País:EUA
Direção:Tim Kincaid
Roteiro:Tim Kincaid
Produção:Cynthia De Paula
Elenco:Teresa Farley, Lance Lewman, Frances Raines, Natalie O'Connell, Amy Brentano, LeeAnne Baker, Matt Mitler, Adriane Lee, Mae Cerar, Mark Legan, Dan Geffen

Com produção executiva não creditada de Charles Band, da “Empire Pictures”, e escrito e dirigido por Tim Kincaid, A Galeria dos Alienígenas (Breeders) é o nome nacional quando exibido na TV de uma tosqueira de ficção científica com elementos de horror. Completamente datado dos anos 80 do século passado, tem uma história tão manjada e rasa de invasão alienígena que mais parece apenas um pretexto para mostrar belas e jovens mulheres nuas.

Ambientada na famosa metrópole americana New York, o roteiro tosco mostra mulheres virgens sendo estupradas misteriosamente, ficando deformadas pela ação de um ácido corrosivo. Um detetive da polícia, Dale Andriotti (Lance Lewman) está encarregado das investigações para tentar descobrir o autor dos crimes. Ele é auxiliado pela médica Dra. Gamble Pace (Teresa Farley), que trabalha no Hospital Geral de Manhattan, para onde as vítimas são encaminhadas e ficam internadas em observação. Eles descobrem resquícios de um estranho material orgânico nas mulheres atacadas, que após um tempo despertam em transe e rumam como zumbis para os subterrâneos do hospital, onde numa estação abandonada do metrô está escondido um imenso ninho gosmento de uma raça alienígena capez de assumir a forma humana e que quer dominar nosso planeta.

Breeders (1986) (2)

Com pouco mais que 70 minutos de duração, o filme é uma típica tranqueira dos anos 80, com trilha sonora e figurinos datados, e um elenco amador com atuações inexpressivas, além de uma história patética com tantas situações absurdas que até os apreciadores de cinema bagaceiro encontrarão dificuldades para digerir. As únicas coisas que podem se salvar são os efeitos toscos exagerados com borracha e sangue falso nas cenas violentas dos ataques do monstro de olhos esbugalhados do espaço, e que mesmo com orçamentos minúsculos ainda conseguem divertir, diferente dos efeitos de CGI atuais que tornam as cenas sangrentas artificiais demais, e a overdose de exposição gratuita de mulheres peladas gritando por suas vidas.
Breeders (1986) (3)

Entre as curiosidades, podemos citar que o filme foi lançado em VHS no Brasil e recebeu o nome alternativo Breeders – A Ameaça de Destruição. E teve uma refilmagem inglesa em 1997, com roteiro e direção de Paul Matthews. Além disso, o diretor e roteirista Tim Kincaid é o responsável por outras tranqueiras ruins ao extremo do mesmo período como Robot Holocaust e Mutant Hunt – O Exterminador de Andróides. O técnico em efeitos de maquiagem Ed French atuou no filme fazendo o papel do médico Dr. Ira Markum, que auxilia a Dra. Pace na pesquisa sobre os misteriosos esporos encontrados nas vítimas do monstro.

Leia também:

2 Comentários

  1. Anselmo Luiz

    Este filme passou varias vezes na TV ,sendo ele era exibido na TV Bandeirantes á ultima vez em que passou na TV Aberta foi em 26/01/2002 no Cine Sinistro nesta mesma emissora, era exibidos filmes de terror aos sabados as 0:00 em ponto,depois disso nunca mais ele foi exibido.
    A Refilmagem dele ” Breeders / Breeders – O Terror está de Volta !” saiu em VHS pela extinta LLoyds Video.
    Nos Estados Unidos amos os filmes saiu em DVD.

  2. MORCEGO.

    É um filme legal, bem trash mesmo.
    Morri de medo na primeira vez que vi, mas hoje, me divirto pra caramba.
    Alienígenas com cabeça de inseto, cenas de nudez gratuitas e muito, muito sangue?
    DIVERSÃO GARANTIDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *