Terror no Acampamento (2014)

Terror no Acampamento (2004) (4)

Terror no Acampamento
Original:Cub / Welp
Ano:2014•País:Bélgica
Direção:Jonas Govaerts
Roteiro:Jonas Govaerts, Roel Mondelaers
Produção:Peter De Maegd
Elenco:Maurice Luijten, Evelien Bosmans, Titus De Voogdt, Stef Aerts, Jan Hammenecker, Gill Eeckelaert, Noa Tambwe Kabati, Ricko Otto, Louis Lemmens, Thomas De Smet, Pieter De Brabandere, Jessie Tweepenninckx, Isah De Zutter, Hauke Geirnaert, Ebe Meynckens

Coincidentemente no mesmo mês em que recebemos o néscio filme americano Como Sobreviver a um Ataque Zumbi, vêm da Bélgica uma alternativa bem mais grave e séria sobre crianças escotistas em perigo, o ousado Terror no Acampamento/Cub, lançado diretamente em DVD no Brasil.

Ousado no sentido de que em tempos politicamente corretos não temos muitos filmes onde existe um antagonista violento, perigo de morte real e agressão física, todas envolvendo crianças – ainda que nada seja muito chocante, diga-se de passagem – porém cambaleia em alguns conceitos que serão vistos mais adiante.

Terror no Acampamento (2004) (1)

A produção marca a estreia de Jonas Govaerts como diretor e foi parcialmente financiado via Crowdfunding em junho de 2013, porém dos 34,5 mil euros necessários, somente captou 8,2 mil (cerca de 33 mil reais). Ainda assim foi finalizado, tendo sua première na edição de 2014 do Festival Internacional de Toronto.

O herói do filme é Sam (Maurice Luijten), um garoto introvertido de 12 anos que está a caminho de uma viagem para acampar com seus amigos escoteiros da mesma faixa etária e três monitores mais velhos.

Chegando ao local combinado com a autoridade – um policial obeso que anda de mobilete – dão de cara com dois bullyes que não os deixam ficar por lá. Assim são obrigados a adentrar a mata a procura de uma clareira para ficar.

Terror no Acampamento (2004) (2)

Um lugar adequado é encontrado, e, à noite, na típica roda de histórias de terror, os monitores contam a lenda de Kai, um lobisomem que viveria naquela mesma floresta. Pouco tempo depois Sam se depara com um garoto selvagem (Gill Eeckelaert) nas redondezas do acampamento, o qual ele acredita ser Kai.

Ao contar seu achado aos monitores, ele é ridicularizado, porém esta é a menor das preocupações quando todos parecem ser observados e atacados por um sinistro e paciente assassino com motivos obscuros.

Terror no Acampamento mostra diversos abusos contra Sam que são impactantes. Ele é humilhado e surrado como um adulto, porém seu passado é pouco explorado. Esta falta de profundidade também está nas demais personagens que, apesar de não serem a típica carne de abatedouro para assassinos seriais, têm suas personalidades delineadas apenas na superfície.

Terror no Acampamento (2004) (3)

O drama que está ausente nos monitores, nos antagonistas e até nos bullyes do campo, poderia abrilhantar mais suas personalidades e certamente faria o espectador sentir por seus destinos e decisões no decorrer da trama. A pena maior é que na metade final, próximo ao clímax, Terror no Acampamento vira um slasher mais convencional, corrido e exagerado que aborrece mais do que agrada.

Se a substância não entrega tudo o que podia, o mesmo não se pode dizer da embalagem. A atmosfera é bem manipulada, graças ao excelente trabalho de fotografia de Nicolas Karakatsanis e do próprio diretor. Alguns críticos comparam Terror no Acampamento com a estética imprimida nos primeiros trabalhos de Guillermo Del Toro, porém não tenho a mesma percepção.

Terror no Acampamento (2004) (5)

A paleta de cores pálida e o clima particular onde tudo gira em torno do inocente personagem principal me remetem mais aos expoentes da New French Extremity, ainda que a violência seja somente alegórica em comparação. Apesar de tudo, Jonas Govaerts consegue montar um bom arranjo com o orçamento e o material que tinha à disposição. É de se esperar seus próximos trabalhos com olhos atentos – há um grande potencial para bons pesadelos.

Em tempos de censura, a maior surpresa em relação ao filme aconteceu fora das telas e está em seu próprio país de origem: na época do lançamento nos cinemas o órgão de classificação de cinema belga deu uma improvável classificação Livre para Terror no Acampamento! Tanto grupos de escoteiros quanto os próprios produtores da película se manifestaram condenando a decisão e alertaram pais para que não deixassem seus filhos menores de 14 anos assistirem. Concordo, pois este acampamento não é para qualquer criança.

(Visited 70 times, 4 visits today)
Gabriel Paixão

Gabriel Paixão

Colaborador e fã de bagaceiras de gosto duvidoso. Um Floydiano de carteirinha que tem em casa estantes repletas de vinis riscados e VHS's embolorados.

Um comentário em “Terror no Acampamento (2014)

  • 21/11/2015 em 15:35
    Permalink

    Eu esperava mais desse filme, nunca imaginei que chegaria no Brasil(com o titulo mais óbvio impossível), ponto positivo por ser ousado e ter protagonistas mirins. O final achei decepcionante, poderia ter sido melhor.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien