Críticas, Quadrinhos

Catacumba #1 e #2 (2014/2015)

É incrível ver um resgate tão saboroso da nossa tradição de HQs de horror feito com domínio e paixão por histórias assustadoras!

Catacumba #1 e #2
Original:Catacumba #1 e #2
Ano:2014/2015•País:Brasil
Páginas:40• Autor:Editora: Kikomics

Dando continuidade à nossa tradição de quadrinhos de horror, Kiko Garcia, quadrinista paulistano independente, lançou através do seu selo, o Kikomics, a revista em quadrinhos Catacumba. A primeira edição foi lançada em 2014 e a segunda, agora em outubro. Com um tema por edição, cada gibi traz três histórias independentes que exploram estes temas. A primeira explora contos sobre “pavor na escada” e a segunda, apresenta uma longa tradição do nosso folclore moderno através das lendas sobre “loiras macabras”.

Catacumba possui um sabor nostálgico que remente às antigas revistas em quadrinhos de horror como Contos da Cripta ou Calafrio. Todas as histórias são apresentadas por “Ivo Mortov”, um simpático zumbi que remete às antigas revistas da EC Comics com seus mestres de cerimônia que se misturaram para dar origem ao Guardião da Cripta na adaptação para a TV nos anos 90.

O texto de Kiko possui ritmo e fluidez corretos, dando às histórias começo meio e fim satisfatórios – algo bastante complicado quando se trabalha com contos de cerca de 15 páginas. Outra agradável surpresa em Catacumba é que as histórias se passam em diversos períodos históricos e paisagens do Brasil, fugindo daquela irritante mania de se emular o quadrinho americano ou europeu presente em alguns quadrinistas independentes. Isso só serve para reforçar o aspecto tradicional e de legado de Catacumba.

catacumba #04

E por falar em legado, a arte de Kiko é excelente para a proposta da revista. Toda em alto contraste de preto e branco, lembrando muito uma mistura de Julio Shimamoto com Flávio Colin, mas com uma identidade muito particular, ideal para este tipo de contos de horror. Algumas páginas sofrem com o excesso de informação em alguns quadrinhos mais poluídos, mas nada que prejudique a experiência.

O acabamento gráfico da revista é primoroso com capa e miolo em papel couchê que ressaltam os altos contrastes dos traços de Kiko. As segundas e terceiras capas são ilustradas! E para manter o ar saudosista da revista, os quadrinhos ainda possuem anúncios e sessão de cartas. Além de divertidas “recomendações” de jornais e revistas fictícios com nomes criados com trocadilhos como “Bolha de São Paulo” e “Eeew York Times”.

catacumba #03

Em um período em que os quadrinhos nacionais ressurgem com toda a força graças às mãos hábeis de artistas independentes em seus mais variados estilos, é incrível ver um resgate tão saboroso da nossa tradição do quadrinho de horror feita de maneira totalmente independente com domínio e paixão por histórias assustadoras. A Catacumba merece ser explorada, portanto pegue seu crucifixo, sua lanterna e desça as escadas se tiver coragem!

As revistas podem ser compradas AQUI.

Leia também:

Rodrigo Ramos

Rodrigo Ramos

Designer por formação e apaixonado por HQs e Cinema de Horror desde pequeno. Ao contrário do que parece ele é um sujeito normal... a não ser quando é Lua Cheia. Contato: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *