A Invasão Zumbi (2012)

A Invasão Zumbi (2012) (1)

A Invasão Zumbi
Original:Rise of the Zombies
Ano:2012•País:EUA
Direção:Nick Lyon
Roteiro:Keith Allan, Delondra Williams
Produção:David Michael Latt
Elenco:Ethan Suplee, Mariel Hemingway, LeVar Burton, Danny Trejo, Heather Hemmens, French Stewart, Chad Lindberg, Andy Clemence, Lilan Bowden

Se você anda pela rua, assiste muita TV paga ou já acompanha o Boca do Inferno há algum tempo, fatalmente vai acabar tropeçando em uma “obra” da produtora Asylum vez ou outra. É inevitável como baratas no esgoto. São normalmente filmes feitos com a sola de um orçamento copiando sucessos da bilheteria estadunidense, mas, pela primeira vez, vejo um trabalho da produtora que busca plagiar um seriado de televisão: The Walking Dead, neste caso.

Dito isto, A Invasão Zumbi tem tudo o que se espera dos elementos que tornaram os filmes da Asylumclássicos“: Efeitos especiais vagabundos, roteiro raso, direção inconsistente e algumas estrelas B precisando de um cheque fácil. Com poucas diferenças só lamento que, mesmo para uma produção da Asylum, uma aura de preguiça tenha dominado os envolvidos.

A Invasão Zumbi (2012) (2)

Não que a história seja importante, mas essencialmente trata-se de um grupo de pessoas que estão na ilha de Alcatraz se escondendo das hordas de zumbis que estão tomando os vivos de assalto. Claro que tudo vai para o inferno quando os mortos conseguem alcançar a ilha (eles vem andando, como em Piratas do Caribe) e o grupo precisa fugir.

Então três grupos são formados: um médico que fica na ilha para investigar as origens da infecção e prospectar uma cura e tentar salvar a filha (e o mundo, per se), um grupo que procura o abrigo oficial do governo e outro que vai se tentar chegar a outro cientista que está trabalhando em uma vacina contra a zumbificação.

Daí você já viu tudo, tem correria, mordidas, conflitos entre personagens… É de onde A Invasão Zumbi tenta desesperadamente se assemelhar a The Walking Dead, e claro, falha miseravelmente.

Acontece que são tantos personagens e histórias paralelas que não é possível, mesmo com a melhor boa vontade, desenvolver raízes para todos, mas aqui é até um exagero. Todo ponto de decisão leva segundos para ser resolvido, ou em consenso ou com a morte de um personagem. Uma discussão entre “fé vs. ciência” tem umas quatro linhas de diálogo, a dor de um pai que tenta se comunicar com a filha infectada não rende um átimo do drama que poderia, o suplício de uma grávida mordida por um zumbi leva literalmente duas cenas… Ser rápido e rasteiro não seria o problema, contudo em A Invasão Zumbi vende-se profundidade e recebe-se negligência.

A Invasão Zumbi (2012) (3)

A direção de Nick Lyon (conhecido por A Experiência 4) é correta na maior parte do tempo, mas tem que lidar com situações ridículas, como quando zumbis ESCALAM a ponte Golden Gate como se fossem homens-aranha ou quando um bondinho de São Francisco (que não usa combustível fóssil, para quem não sabe), explode ao contato em uma colisão com outro veículo.

Apesar de tudo existe algo de proveitoso em alguns efeitos práticos e, especialmente, no elenco mais doido que pode ser visto em uma obra de apocalipse zumbi: estampa o cartaz o favorito de todos, Danny Trejo, que já havia trabalhado com Lyon em Bullet, um cópia de Busca Implacável, todavia o filme ainda tem Ethan Suplee (My Name Is Earl e O Lobo de Wall Street), LeVar Burton (Jornada nas Estrelas: A Nova Geração), Chad Lindberg (Velozes e Furiosos), French Stewart (Uma Família de Outro Mundo/3rd Rock from the Sun) e Mariel Hemingway (indicada ao Oscar de 1979 por Manhattan). Uau!

Sem nunca desafiar sua zona de conforto, é certo dizer que existem coisas piores por aí que A Invasão Zumbi, só que para um filme que faz questão de vender Danny Trejo enfrentando mortos-vivos era de se esperar mais. Assista só se quiser ver rostos relativamente conhecidos pagando um micão para a Asylum.

Leia também:

Gabriel Paixão

Gabriel Paixão

Colaborador e fã de bagaceiras de gosto duvidoso. Um Floydiano de carteirinha que tem em casa estantes repletas de vinis riscados e VHS’s embolorados. Contato: gabrielpaixao@bocadoinferno.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien