Críticas, Quadrinhos

O Rei Amarelo em Quadrinhos (2015)

Com um mix de artistas e estilos tão variados, é impressionante a consistência na qualidade de todos os contos presentes!

O Rei Amarelo em Quadrinhos
Original:O Rei Amarelo em Quadrinhos
Ano:2015•País:Brasil
Páginas:164 páginas em preto, branco e amarelo• Autor:Raphael Fernandes, João Pirolla, Carlos Orsi, Pedro Pedrada, Tiago P. Zanetic, LuCAS Chewie, Mauricio R. B. Campos, Péricles Ianuch, Airton Marinho, Marcos Caldas, Erik Avilez, André Freitas, Tiago Rech, Victor Freundt, Rafael Levi, Samuel Bono e Raphael Salimena•Editora: Draco

Praticamente desconhecido do grande público, Robert W. Chambers (1865-1933), autor de grande influência nos trabalhos de H.P. Lovecraft, foi redescoberto recentemente graças ao sucesso da primeira temporada do seriado True Detective, que tomou emprestado elementos de sua obra mais conhecida, O Rei Amarelo. O livro narra quatro contos passados em um universo no qual existe uma peça de teatro chamada O Rei de Amarelo, que pode levar à loucura aquele que a ler.

A premissa permite que o universo criado por Chambers seja expandido ao infinito. Muitos autores já trabalharam contos envolvendo a peça maldita e outros, inclusive, até tentaram criá-la, já que na obra original, apenas alguns versos são apresentados ao leitor. E é com a intenção de explorar as portas que levam à loucura, deixadas abertas por Chambers, que a Editora Draco, com curadoria de Raphael Fernandes, traz o Rei de Amarelo em Quadrinhos.

Contando com oito histórias, O Rei de Amarelo em Quadrinhos, não só explora a peça maldita criada por Chambers, como também a traduz para os tempos modernos, adaptando-a para a nossa realidade atual. O artista Pedrada faz isso com maestria no conto que abre a coletânea, “Fantasmas na Máquina”, que transforma a peça original em uma rede social, capaz de levar uma modelo decadente à loucura enquanto busca popularidade e um alívio para sua solidão. “Maldita Rotina”, de Airton Marinho e Marcos Caldas, coloca um advogado frente a frente com o maldito livro caixa de uma empresa falida e, de quebra, ainda ressuscita o clássico e sinistro quadro do menino chorando.

Outros autores preferem explorar a figura mítica do próprio Rei Amarelo, como “A Boneca”, de Tiago P. ZaneticLuCAS Chewie, que coloca o líder de uma comunidade Amish diante dos desejos de uma diabólica entidade que, em troca, promete salvar as colheitas e seu povo. Já “A Rainha de Amarelo”, de Maurício R. B. Campos e Péricles Ianuch, mistura Lovecraft, Chambers e Edgar Allan Poe traçando paralelos entre as origens da peça maldita e os últimos dias de Poe.

O Rei Amarelo (2)

Com uma abordagem mais próxima daquela utilizada por Chambers em O Rei Amarelo, outros contos como “O Rei dos Ratos” de Tiago Rech e Victor Freudnt, “Taxidermia Anímica”, de Rafael Levi e Samuel Bono, e “Medíocre”, de Raphael Salimena, mostram artistas que enlouquecem ao ter contato com a peça O Rei Amarelo. O destaque fica por conta de “Medíocre”, que brinca com o universo dos críticos e dos fãs com bastante metalinguagem e ótima arte. Já “Caninos”, de Erik Avilez e André Freitas, possui tom bastante próximo de True Detective para mostrar um conto de fadas sobre duas irmãs e um culto ao Rei Amarelo que mistura Chapeuzinho Vermelho ao seriado da HBO.

Com um mix de artistas e estilos tão variados, é impressionante a consistência na qualidade de todos os contos presentes em O Rei de Amarelo em Quadrinhos. Qualidade presente não só no texto e na arte da coletânea, mas também no acabamento gráfico impecável e no trabalho editorial que vai desde a belíssima capa de João Pirolla à introdução de Carlos Orsi. Méritos de Raphael Fernandes, que selecionou os trabalhos apresentados aqui através de uma espécie de concurso. O resultado é uma das melhores revistas em quadrinhos que tive o prazer de ler em 2015. Deixe-se levar à loucura e seja bem-vindo à Carcosa.

Compre o seu O Rei Amarelo em Quadrinhos com desconto clicando AQUI.

Leia também:

2 Comentários

  1. Valeu pela resenha Rodrigo. Eu criei o roteiro da Rainha de Amarelo. O projeto todo da HQ do Rei Amarelo foi muito legal, todos os participantes deram o máximo para chegarmos no resultado que você tem em mãos. Foi um prazer trabalhar com esse pessoal, e é muito legal ver que o trabalho deu resultados positivos.
    Abraço

    • Todas as HQs mostram a qualidade e a criatividade do quadrinho nacional. O encadernado é excelente! Parabéns pelo trabalho! Espero que continue dando frutos e que vocês todos continuem produzindo quadrinhos deste nível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *