Críticas

Martyrs (2015)

Como a comparação é inevitável com o filme original, esta versão de Martyrs não consegue atingir a profundidade da versão francesa!

Martyrs (2015)

Martyrs
Original:Martyrs
Ano:2015•País:EUA
Direção:Kevin Goetz, Michael Goetz
Roteiro:Mark L. Smith
Produção:Dan Clifton
Elenco:Troian Bellisario, Bailey Noble, Kate Burton, Caitlin Carmichael, Melissa Tracy, Romy Rosemont, Toby Huss, Elyse Cole, Ever Prishkulnik, Blake Robbins

A versão original francesa de Martyrs, de 2008, do diretor Pascal Laugier, foi um marco no cinema de horror. A França estava produzindo fervorosamente filmes do gênero, tendo a violência gráfica unida a temas inquietantes, sendo rotulados sob o nome de “New French Extremity”. Martyrs talvez tenha sido o filme de maior destaque deste movimento, e sempre figura em listas entre os melhores filmes do gênero. Há bastante tempo já se falava sobre um remake, sempre com desconfiança, chegaram a ter rumores sobre a presença de Kristen Stwart no elenco, o que não aconteceu, porém, infelizmente a refilmagem ainda assim foi feita. Sob a direção de Kevin e Michael Goetz, que tem no currículo Rota de Colisão (2013), o filme chega sem nenhum atrativo para o público do gênero, e deixa aquela certeza de que, realmente, foi uma produção totalmente desnecessária.

Conta a história de Lucie (Troian Belissario), garotinha que consegue fugir da mão de torturadores , e, anos depois, voltar para se vingar da família responsável. A amiga Anna (Bailey Noble) tenta ajudar Lucie a não cometer essa vingança, mas acaba se envolvendo com um macabro grupo que busca descobrir o sentido da existência de Mártires.

Martyrs (2015) D

Os problemas do filme começam no roteiro: escolhas erradas nos rumos de alguns personagens, um irritante vai e volta sem soluções, enfim, uma bagunça generalizada. A direção dos irmãos Goetz é preguiçosa e descompromissada, não conseguem criar um elo entre as Lucie e Anna, que justifique o final – algumas cenas são constrangedoras e apenas justificam que o filme funciona apenas como um caça-níquel. O elenco é fraco, e não consegue salvar nenhum dos personagens.

Martyrs (2016)

Como a comparação é inevitável com o filme original, esta versão de Martyrs não consegue (acho que nem tenta) atingir a profundidade da versão francesa. Enquanto no original, o conceito Torture Porn não funciona apenas para chocar o espectador, mas, sim, como uma justificativa muito interessante para toda aquela violência; aqui nem isso funciona, a violência do filme não choca, não traz incômodo ou agonia ao espectador. O final do original que é, na minha opinião, um dos melhores do gênero dos últimos anos, nesse remake perde todo o efeito desconcertante. Diante de todo o martírio que é ver esse filme, que pelo menos sirva para que o original chegue ao público que ainda não o conhecia.

Leia também:

11 Comentários

  1. Vitor

    Eu ainda acho que esses remakes desnecessários feitos por produtoras hollywoodianas de filmes estrangeiros que fizeram sucesso lá fora é porque os americanos têm preguiça de ler legenda.
    Sério, já ouvi isso de muita gente que viajou pra lá e até um episódio de Os Simpsons(ou South Park, nn lembro) citando isso.O que é muito bizarro ver até que ponto pode ir a preguiça de um povo que deve se achar (alguns, nn todos obviamente) os “donos do cinema”.

  2. Daniel

    Nossa Meu Que decadência Do Cinema Agora esta virando Moda Fazem uma Bomba na Europa e depois Os EUA Fazem um Remake Incrível a Decadência Sabe Cada vez mais Vejo que o Terror Ficou Na Itália e Peter Jackson Seguiu um Rumo Melhor na vida dele porem Por que esses Americanos Xenófobos não se inspiram em Lúcio Fulci o Melhor o que é bom eles não Fazem o melhor não Copiam jamais Pra dizer que algo que Deu Certo Quarentena porem acho que nunca mais conseguiram Copiar algo e Faze-lo Melhor do que foi Quarentena!!!!

  3. Sérgio

    Desprezível, simplesmente desprezível esse remake!

  4. Bruno .

    A Califórnia Filmes proibiu a publicação dessa crítica na estreia do filme no Brasil?

    Sei lá… O site Boca do Inferno tava divulgando tanto esse filme, com entrevistas e coisa e tal, e deu pra ver que se tratava de publicidade (possivelmente) remunerada da Califórnia (distribuidora do filme por aqui). E NENHUM PROBLEMA NISSO! Nenhum mesmo, aliás, seria legal se as distribuidoras nacionais fizessem mais isso.

    Mas…

    Como eu já tinha visto o remake, além de acompanhar as críticas americanas de sites como Dread Central e Bloody Disgusting, fiquei imaginando que os brasileiros do Boca do Inferno também já tivessem visto essa bomba.
    Na semana de lançamento, entrei no site por alguns dias seguidos e nada de crítica, o que me deixou confuso pela intensa divulgação que vinham fazendo do filme.

    Sendo direto: a Califórnia, vendo o teor da crítica pediram para vocês atrasarem a postagem?

    • Olá, Bruno! Tudo bem?
      Sim, fizemos uma parceria para ajudar na divulgação do filme. Foi feita uma crítica rápida em vídeo (disponível no nosso canal) e a resenha do Ivo. Não foi preciso enviar a resenha para eles avaliarem, nem atrasar a publicação pela opinião apresentada. Simplesmente houve um atraso mesmo por aqui pelo fato de não termos ido na cabine de imprensa.

      Abs

      • Bruno .

        Bacana.

        Não vejo nenhum problema fazerem parcerias com distribuidoras e outras empresas. Porque, além de conseguirem algumas notícias exclusivas e oportunidade de publicarem críticas antes, geralmente vocês ganham alguns “goodies” para sortearem entres os fãs do site. =P

        Minha única ressalva era se essas parcerias pudessem censurá-los de qualquer forma.

  5. Felipe

    Já pelo trailer deu pra ver a palhaçada.

  6. Neto Fernandes

    Esse remake chega nem perto do original k descobri na época graças ao Boca do Inferno. Muuuito fraco esse filme.

  7. Pedro Pimenta Ribeiro

    Fui o único que chorei com o final desse filme? OBS: Eu nunca vi o original

    • Jhonatan

      Final desse filme foi 1 lixo se comparado ao original, sinto muito pro vc ter visto essse primeiro.

  8. ” Um dos piores remakes senão o pior ” em comparação com o original !
    Ainda bem que ele vazou alguns meses antes da estréia , assim não tive que perder dinheiro pra ir no cinema me decepcionar .
    Muitos questionaram o porque de se fazer o remake de Cabana do Inferno que é de 2002 , mais e o de ” Martyrs ” que é mais recente ainda sendo que o original é de 2008 ?
    Ou seja esse remake é mais desnecessário ainda !
    Eu só decidi ficar com esse remake em minha coleção porque sou também colecionador , senão eu não o teria !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *