Martyrs (2015)

Martyrs (2015)

Martyrs
Original:Martyrs
Ano:2015•País:EUA
Direção:Kevin Goetz, Michael Goetz
Roteiro:Mark L. Smith
Produção:Dan Clifton
Elenco:Troian Bellisario, Bailey Noble, Kate Burton, Caitlin Carmichael, Melissa Tracy, Romy Rosemont, Toby Huss, Elyse Cole, Ever Prishkulnik, Blake Robbins

A versão original francesa de Martyrs, de 2008, do diretor Pascal Laugier, foi um marco no cinema de horror. A França estava produzindo fervorosamente filmes do gênero, tendo a violência gráfica unida a temas inquietantes, sendo rotulados sob o nome de “New French Extremity”. Martyrs talvez tenha sido o filme de maior destaque deste movimento, e sempre figura em listas entre os melhores filmes do gênero. Há bastante tempo já se falava sobre um remake, sempre com desconfiança, chegaram a ter rumores sobre a presença de Kristen Stwart no elenco, o que não aconteceu, porém, infelizmente a refilmagem ainda assim foi feita. Sob a direção de Kevin e Michael Goetz, que tem no currículo Rota de Colisão (2013), o filme chega sem nenhum atrativo para o público do gênero, e deixa aquela certeza de que, realmente, foi uma produção totalmente desnecessária.

Conta a história de Lucie (Troian Belissario), garotinha que consegue fugir da mão de torturadores , e, anos depois, voltar para se vingar da família responsável. A amiga Anna (Bailey Noble) tenta ajudar Lucie a não cometer essa vingança, mas acaba se envolvendo com um macabro grupo que busca descobrir o sentido da existência de Mártires.

Martyrs (2015) D

Os problemas do filme começam no roteiro: escolhas erradas nos rumos de alguns personagens, um irritante vai e volta sem soluções, enfim, uma bagunça generalizada. A direção dos irmãos Goetz é preguiçosa e descompromissada, não conseguem criar um elo entre as Lucie e Anna, que justifique o final – algumas cenas são constrangedoras e apenas justificam que o filme funciona apenas como um caça-níquel. O elenco é fraco, e não consegue salvar nenhum dos personagens.

Martyrs (2016)

Como a comparação é inevitável com o filme original, esta versão de Martyrs não consegue (acho que nem tenta) atingir a profundidade da versão francesa. Enquanto no original, o conceito Torture Porn não funciona apenas para chocar o espectador, mas, sim, como uma justificativa muito interessante para toda aquela violência; aqui nem isso funciona, a violência do filme não choca, não traz incômodo ou agonia ao espectador. O final do original que é, na minha opinião, um dos melhores do gênero dos últimos anos, nesse remake perde todo o efeito desconcertante. Diante de todo o martírio que é ver esse filme, que pelo menos sirva para que o original chegue ao público que ainda não o conhecia.

(Visited 245 times, 1 visits today)
Ivo Costa

Ivo Costa

Estudante de Cinema, fez parte do Juri Popular do Cinefantasy em 2011. Além de crítico do Boca do Inferno, atua como diretor e roteirista de curtas-metragens.

12 comentários em “Martyrs (2015)

  • 12/05/2018 em 21:23
    Permalink

    Nem sei qual é o pior esse ou o original ambos tediosos, mas até reverencio os remakes pois acredito que eles fazem com que a história seja lembrada e conhecida por outras gerações…então ao invés de encherem o saco dos remakes agradeçam.

    Resposta
  • 17/10/2017 em 03:03
    Permalink

    Eu ainda acho que esses remakes desnecessários feitos por produtoras hollywoodianas de filmes estrangeiros que fizeram sucesso lá fora é porque os americanos têm preguiça de ler legenda.
    Sério, já ouvi isso de muita gente que viajou pra lá e até um episódio de Os Simpsons(ou South Park, nn lembro) citando isso.O que é muito bizarro ver até que ponto pode ir a preguiça de um povo que deve se achar (alguns, nn todos obviamente) os “donos do cinema”.

    Resposta
  • 14/08/2017 em 09:02
    Permalink

    Nossa Meu Que decadência Do Cinema Agora esta virando Moda Fazem uma Bomba na Europa e depois Os EUA Fazem um Remake Incrível a Decadência Sabe Cada vez mais Vejo que o Terror Ficou Na Itália e Peter Jackson Seguiu um Rumo Melhor na vida dele porem Por que esses Americanos Xenófobos não se inspiram em Lúcio Fulci o Melhor o que é bom eles não Fazem o melhor não Copiam jamais Pra dizer que algo que Deu Certo Quarentena porem acho que nunca mais conseguiram Copiar algo e Faze-lo Melhor do que foi Quarentena!!!!

    Resposta
  • 23/09/2016 em 16:33
    Permalink

    Desprezível, simplesmente desprezível esse remake!

    Resposta
  • 19/05/2016 em 11:06
    Permalink

    A Califórnia Filmes proibiu a publicação dessa crítica na estreia do filme no Brasil?

    Sei lá… O site Boca do Inferno tava divulgando tanto esse filme, com entrevistas e coisa e tal, e deu pra ver que se tratava de publicidade (possivelmente) remunerada da Califórnia (distribuidora do filme por aqui). E NENHUM PROBLEMA NISSO! Nenhum mesmo, aliás, seria legal se as distribuidoras nacionais fizessem mais isso.

    Mas…

    Como eu já tinha visto o remake, além de acompanhar as críticas americanas de sites como Dread Central e Bloody Disgusting, fiquei imaginando que os brasileiros do Boca do Inferno também já tivessem visto essa bomba.
    Na semana de lançamento, entrei no site por alguns dias seguidos e nada de crítica, o que me deixou confuso pela intensa divulgação que vinham fazendo do filme.

    Sendo direto: a Califórnia, vendo o teor da crítica pediram para vocês atrasarem a postagem?

    Resposta
    • Marcelo Milici
      19/05/2016 em 21:00
      Permalink

      Olá, Bruno! Tudo bem?
      Sim, fizemos uma parceria para ajudar na divulgação do filme. Foi feita uma crítica rápida em vídeo (disponível no nosso canal) e a resenha do Ivo. Não foi preciso enviar a resenha para eles avaliarem, nem atrasar a publicação pela opinião apresentada. Simplesmente houve um atraso mesmo por aqui pelo fato de não termos ido na cabine de imprensa.

      Abs

      Resposta
      • 20/05/2016 em 06:51
        Permalink

        Bacana.

        Não vejo nenhum problema fazerem parcerias com distribuidoras e outras empresas. Porque, além de conseguirem algumas notícias exclusivas e oportunidade de publicarem críticas antes, geralmente vocês ganham alguns “goodies” para sortearem entres os fãs do site. =P

        Minha única ressalva era se essas parcerias pudessem censurá-los de qualquer forma.

        Resposta
  • 18/05/2016 em 19:05
    Permalink

    Já pelo trailer deu pra ver a palhaçada.

    Resposta
  • 18/05/2016 em 16:19
    Permalink

    Esse remake chega nem perto do original k descobri na época graças ao Boca do Inferno. Muuuito fraco esse filme.

    Resposta
  • 14/05/2016 em 20:02
    Permalink

    Fui o único que chorei com o final desse filme? OBS: Eu nunca vi o original

    Resposta
    • 16/05/2016 em 23:39
      Permalink

      Final desse filme foi 1 lixo se comparado ao original, sinto muito pro vc ter visto essse primeiro.

      Resposta
  • 14/05/2016 em 16:14
    Permalink

    ” Um dos piores remakes senão o pior ” em comparação com o original !
    Ainda bem que ele vazou alguns meses antes da estréia , assim não tive que perder dinheiro pra ir no cinema me decepcionar .
    Muitos questionaram o porque de se fazer o remake de Cabana do Inferno que é de 2002 , mais e o de ” Martyrs ” que é mais recente ainda sendo que o original é de 2008 ?
    Ou seja esse remake é mais desnecessário ainda !
    Eu só decidi ficar com esse remake em minha coleção porque sou também colecionador , senão eu não o teria !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien