Críticas

Planeta Terror (2007)

É um daqueles filmes simples e propositadamente ruins cada vez mais raros, mas capazes de proporcionar entretenimento para os fãs de horror!

Planeta Terror (2007) (3)

Planeta Terror
Original:Planet Terror
Ano:2007•País:EUA
Direção:Robert Rodriguez
Roteiro:Robert Rodriguez
Produção:Elizabeth Avellan, Quentin Tarantino, Robert Rodriguez
Elenco:Rose McGowan, Marley Shelton, Freddy Rodriguez, Bruce Willis, Michael Biehn, Josh Brolin, Rebel Rodriguez, Jeff Fahey, Naveen Andrews, Julio Oscar Mechoso, Fergie, Nicky Katt, Hung Nguyen, Cecilia Conti, Tommy Nix, Tom Savini, Carlos Gallardo, Skip Reissig, Electra Avellan, Elise Avellan, Quentin Tarantino, Gregory Kelly, Troy Robinson, Felix Sabates, Danny Trejo, Cheech Marin

Embora possamos afirmar que o projeto Grindhouse, dos cineastas Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, não tenha atingido seu objetivo original – incluindo aí um baixo desempenho nas bilheterias – é igualmente inegável que a parceria, ao mesmo tempo ambiciosa e simples em seu conceito, foi capaz de ser vitrine de boas ideias, demonstradas através dos trailers falsos que permeavam os dois longas na proposta original (alguns dos quais viraram longas), e também a produção de dois filmes no mínimo interessantes. Prestando homenagem ao cinema drive-in e ao gênero exploitation em específico, Planeta Terror é também uma revitalização do subgênero zumbis, uma vez que seu roteiro original foi escrito anos antes da explosão que os mortos-vivos tiveram nos anos 2000. Filmado em película e com um trabalhoso processo de deixá-lo com aspecto de filme antigo e danificado, o longa-metragem de Rodriguez também leva a sério a forma independente de se fazer cinema, com Rodriguez assinando, além da direção, o roteiro, montagem, música, supervisão de efeitos especiais e direção de fotografia, além da operação de câmera (ufa!). O controle sobre todo o processo ajudou a transformar Planeta Terror num produto autoral e que funciona bem, mesmo se o desvencilharmos de Grindhouse.

Planeta Terror (2007) (1)

Apresentando-nos primeiramente aos personagens antes de qualquer desenvolvimento, a trama, que se passa no Texas, é centrada na dançarina de boate Cherry (McGowan), que, após pedir demissão e sofrer um acidente na estrada, vai afogar suas mágoas na churrascaria de J.T. (Fahey), onde encontra por acaso o misterioso Wray (Rodriguez) com quem teve um caso mal resolvido no passado. Nesse meio tempo Abby (Andrews), um engenheiro bioquímico, parece ter negócios muito escusos com um batalhão de soldados liderado pelo Tenente Muldoon (Willis). Ainda há espaço no roteiro para uma nada saudável relação de casal entre a anestesista Dakota (Shelton) e o Dr. Block (Brolin), e para policiais nada eficientes (Biehn, Savini e Gallardo). Todos se veem em apuros quando uma invasão de zumbis se propaga na cidade, devido ao vazamento de um estranho gás no início do filme. Diante disso, os personagens acabam se unindo para achar a cura e destruir os zumbis que aparecerem no caminho.

Planeta Terror (2007) (2)

Embora a trama acima não pareça apresentar nada de novo, e se o excesso de personagens não permite que nenhum deles seja desenvolvido com mais cuidado, o cineasta Rodriguez recheia o roteiro de situações hilárias e de diálogos impagáveis, além de conferir uma ótima fluidez através da montagem que também presta homenagem às produções antigas. E para dar vida a personagens que soam propositadamente como caricaturas, o elenco não poderia ser melhor, destacando-se a boa química entre McGowan e Rodriguez, bem como a divertida atuação de Fahey que acaba criando o papel mais querido do longa. Ainda há elementos tão exagerados, como uma metralhadora no lugar de uma perna amputada, que não funcionariam caso o longa se levasse a sério.

Planeta Terror (2007) (4)

Prestando atenção igualmente ao gore, Rodriguez também não decepciona quando o assunto são nojeiras, destacando-se nesse aspecto a carnificina que ocorre no hospital local. E se o terceiro ato do longa acaba soando arrastado, em sua maior parte Planeta Terror é um daqueles filmes simples e propositadamente ruins cada vez mais raros, mas que justamente em função de sua auto-indulgência é capaz de proporcionar um excelente entretenimento para fãs de horror.

Leia também:

2 Comentários

  1. Carlos Dente

    Gosto é gosto, claro, mas pessoalmente achei este um péssimo filme.

  2. Esse filme é muito foda , pra mim vale a nota máxima !
    ” Planeta Terror ” orgulhosamente está na minha coleção !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *