Críticas

American Poltergeist (2015)

Não há dúvidas quanto a culpa de Mike Rutkowski na concepção de uma das piores produções envolvendo a maldição de Lizzie Borden!

american-poltergeist-2015-3

American Poltergeist
Original:American Poltergeist
Ano:2015•País:EUA
Direção:Mike Rutkowski
Roteiro:Nicole Holland, Mike Rutkowski
Produção:Richard Benveniste, Shawn Michael Lukaszewicz, Mike Rutkowski, Donna Spangler
Elenco:Donna Spangler, Simona Fusco, Ashley Green Elizabeth, Aaron Lee, Nikole Howell, Nicole Holland, Luke Brandon Field, Nicholas Talone, Arthur Richardson

american-poltergeist-2015-2A essência de qualquer produção é o seu contexto. Basta saber que filmes que marcaram época e se tornaram clássicos de qualquer gênero vão além de sua sinopse, mas trazem elementos culturais e transmitem as tendências do período. Essa é a única justificativa para você perder tempo com uma bobagem como American Poltergeist: um enredo banal, com elenco ruim e clichês por todos os cantos, pode interessar quem quer saber mais (ou menos) sobre a famosa Lizzie Borden, acusada de assassinar seu pai e madrasta a machadadas em 1892, mas que foi inocentada em seu julgamento. É ela que inspirou o conceito básico do roteiro co-escrito por Nicole Holland e Mike Rutkowski, que devem ter imaginado que uma assombração conhecida já seria suficiente para atrair olhares curiosos.

Um grupo de universitários está procurando uma residência no subúrbio, próximo à faculdade, com divisão do valor do aluguel. O preço atraente é obviamente uma isca para os incautos Michael (Luke Brandon Field), sua irmã Taryn (Ashley Green Elizabeth), e outros estudantes que não valem o desperdício de linhas para descrevê-los. Nem a frieza da dona do casarão, Dianna (a péssima Donna Spangler), e alguns acontecimentos estranhos, como batidas na parede e na porta, pesadelos recorrentes e a catatonia de um dos amigos, são suficientes para fazê-los buscar um outro lugar para morar. Logo Taryn descobre que é a sobrevivente de um massacre ocorrido em 1992, nesse mesmo cenário, no centenários dos crimes de Lizzie Borden, e que a fantasma pode estar a fim de eliminar os que estiverem presentes no local.

Adivinha qual das atrizes é a péssima Donna Spangler!

Adivinha qual das atrizes é a péssima Donna Spangler!

Assim que descobre sua origem trágica, tendo sido conduzida para adoção, Taryn tenta convencer os amigos a sair dali, até decidir por conta própria fugir. Embora ela esteja do lado de fora da casa, em um bairro urbano, o longa, pessimamente dirigido por Mike Rutkowski, perde longos minutos para mostrar a garota tentando acionar o motor dos três veículos dos jovens. Mesmo com essa coincidência bizarra – que faz Michael ainda acreditar que não é nada que um mecânico não resolva -, ela resolve passar mais uma noite na casa. Ora, se você sabe que o ambiente é amaldiçoado e que tem coisas sobrenaturais tentando evitar a sua partida, por que não vai embora a pé? Pede carona, toma ônibus, dorme no vizinho?

Com a chegada da noite, durante a festa de aniversário de uma das jovens, com a presença de mais amigos-vítimas, o fantasma de Lizzie vai começar a sua pilha de cadáveres, com a ajuda de Dianna. Com toda essa bobagem correndo solta, o que dizer do rapaz religioso que é convocado para a realização de um exorcismo? E a regra sobre o fantasma pular de um corpo para outro, sugerida por um dos jovens sem que isso ainda não tenha acontecido? E a caracterização infeliz do fantasma de Lizzie, seguindo a cartilha de produções orientais, mas sem o mesmo peso assustador?

american-poltergeist-2015-1

Assim, American Poltergeist não funciona também pelo contexto. Há versões melhores do enredo, e até uma minissérie, além de um episódio da última temporada de Supernatural. Ou, se preferir, leia a respeito. Não é esse filme ruim que te deixará mais bem informado sobre os crimes que foram relacionados a Lizzie Borden. Curiosamente, o filme You Will Love Me, foi lançado na Alemanha como American Poltergeist 2, mesmo tendo sido feito dois anos antes. Ambos estão disponíveis na Netflix, para os que não tem nada pior para fazer.

Leia também:

3 Comentários

  1. Pior filme que ja vi na vida .. n acredito que perdi tempo com isso kkkk

  2. felipe

    muito ruim, nao assusta em nada!

  3. Ana Paula

    Concordo em gênero, número e grau com tudo o que você escreveu! Esse filme abusa do direito de ser ruim. A história e os personagens/atores são tão ruins que terminei de assistir sentindo raiva de mim mesma por não ter me levantado do sofá e desligado a tv.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *