Críticas

Los monstruos del Terror (1970)

Paul Naschy e Michael Rennie em meio a uma invasão alienígena e monstros clássicos!

los-monstruos-del-terror-1970-3

Los Monstruos del Terror
Original:Los Monstruos del Terror
Ano:1970•País:Espanha, Alemanha, Itália
Direção:Tulio Demicheli, Hugo Fregonese, Antonio Isasi-Isasmendi, Eberhard Meichsner
Roteiro:Paul Naschy
Produção:Jaime Prades
Elenco:Michael Rennie, Karin Dor, Craig Hill, Patty Shepard, Paul Naschy, Ángel del Pozo, Manuel de Blas

É preciso um bom enredo para a mistura de personagens populares não se tornar indigesta. Essa sempre foi a preocupação dos realizadores de crossovers, desde o período da Universal, quando o Monstro de Frankenstein encontrou o Lobisomem, até as recentes batalhas entre ícones contemporâneos como Freddy Krueger e Jason Voorhers, assim como a de Alien e Predador. De certa forma, em qualquer situação, um sempre vai assumir as rédeas, tendo destaque para o lado positivo como um anti-herói. Ainda sem o pseudônimo Paul Naschy, Jacinto Molina Alvarez fez de Los monstruos del Terror, de 1970, seu terceiro roteiro, considerado a primeira bola fora de seu “el hombre lobo“.

Na verdade, a culpa não foi somente dele. Por conta de dificuldades financeiras, muitas ideias foram deixadas de lado como o surgimento de naves espaciais e até um Golem, entre as criaturas fantásticas que viriam auxiliar o alienígena no domínio do planeta (ideia vista em Plan 9 From Outer Space). Com recursos reduzidos, é claro que um roteiro cheio de monstros não teria como se desenvolver adequadamente, o que resultou em diversas falhas técnicas, incluindo maquiagem, efeitos especiais e direção (com três envolvidos na função!). Assim, o que era para ser uma divertida produção de ficção científica com elementos de horror acabou tendo apenas o rótulo de comédia involuntária.

los-monstruos-del-terror-1970-2

Los monstruos del Terror – o primeiro dos títulos criativos, incluindo o absurdo Dracula Versus Frankenstein, sendo que nenhuma dessas criatura está presente no filme – começa com dois alienígenas passeando por um parque, já pensando como irão dominar o Planeta. Oriundos de Ummo, Dr. Odo Warnoff (Michael Rennie, de O Dia em que a Terra Parou, em seu último filme) e Maleva (Karin Dor, de Com 007 Só Se Vive Duas Vezes, 1967) planejam ferir a raça humana através de sua principal fraqueza, os sentimentos. Ao observar em um show de horrores a apresentação de um verdadeiro vampiro – na verdade um esqueleto com uma estaca -, em uma ideia chupada de A Casa de Frankenstein, 1944, eles têm a ideia de dar início ao domínio.

Primeiramente, sequestram belas mulheres, a fraqueza masculina, e fazem lavagem cerebral para que elas somente obedeçam a ele. Depois começam a caçar monstros, tirando a estaca que trará de volta o vampiro, Conde Janos de Mialhoff (Manuel de Blas), trazendo de volta o lobisomem Waldemar Daninsky (Paul Naschy) por meio de uma cirurgia de extração de balas de prata de seu coração, resgatando a Múmia Tao-Tet (Gene Reyes) e o Monstro de Farancksalan (Ferdinando Murolo), versão genérica do de Frankenstein. A organização desse exército de monstros já consume mais da metade do filme, com cada um deles tendo seu momento de mostrar sua força ao eliminar alguma vítima.

los-monstruos-del-terror-1970-1

Apesar de ser um humano transformado em lobisomem, Waldemar auxilia o doutor em seu plano maléfico devido a certas dosagens de um soro, aplicado por uma das garotas sequestradas e que acaba se apaixonado pela fera. E ele não é o único a ter um flerte na película: o inspetor Tobermann (Craig Hill), que está investigando o caso, passa a se envolver com uma das vítimas de Waldemar, a belíssima Ilsa (Patty Shepard, de La noche de Walpurgis, 1971). O mesmo acontece com a assistente do doutor Odo, evidenciando sentimentos humanos pelo tempo em excesso na Terra.

No final, ocorre o confronto de todas as criaturas, com o lobisomem dando cabo da Múmia e assumindo o papel de anti-herói, já pensando numa possibilidade dar fim à sua maldição, já que somente o sacrifício de um provável amada pode levá-lo ao descanso eterno. O Dr. Odo, embora tenha a capacidade de prever o futuro, não consegue imaginar que fim terá nessa batalha entre os monstros e os humanos, com a proximidade da polícia.

los-monstruos-del-terror-1970-4

Com direção de Tulio Demicheli (de Um Homem Chamado Sabata, 1970) em parceria dos não-creditados Hugo Fregonese (Terra Selvagem, 1966) e Eberhard Meichsner, ainda é possível curtir Los monstruos del Terror, caso você releve as maquiagens ruins da Múmia e de Farancksalan e o enredo óbvio, cheio de ideias copiadas. Talvez você se flagre admirado pelo laboratório do alienígena, repleto de tubos de ensaios e computadores cheio de botões coloridos, e ache curioso o cenário escolhido para esconder a Múmia. Não vai ficar com a sensação de tempo perdido, como muitas produções atuais nos provoca, até mesmo porque ver em cena Paul Naschy contracenando com Michael Rennie é algo que já vale uma conferida.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *