Críticas

Sendero (2015)

Vale pela curiosidade geográfica e por alguns bons momentos de tensão que farão você ter saudades do Texas!

Sendero
Original:Sendero
Ano:2015•País:Chile
Direção:Lucio A. Rojas
Roteiro:Lucio A. Rojas
Produção:
Elenco:Andrea García-Huidobro, Diego Casanueva, Sofía García, Tomás Vidiella, Javiera Hernández, Guillermo Alfaro, Daniel Antivilo, Claudio Brizuela

Se o túmulo do avô de Sally (Marilyn Burns) e seu irmão Franklin (Paul A. Partain) fosse no interior do Chile, talvez eles tivessem problema com uma família com atitudes violentas na região. É um exagero, claro, comparar esta produção de Lucio A. Rojas com o clássico da década de 70, mas a inspiração é bastante evidente, embora o diretor aponte outras fontes: “O enredo foi inspirado em crimes reais ocorridos na área após o governo de Pinochet. Nos anos 90, dúzias de sequestros foram registrados no Chile e o que aconteceu com essas pessoas nunca foi descoberto. E esses crimes não podem ser atribuídos ao contexto político das décadas anteriores. Um inquérito de 1996 concluiu que tudo foi realizado por um grupo altamente influente, tanto politica quanto economicamente, e que, durante anos, subsistiu à sombra de uma pequena cidade na zona central do Chile.

Com essa base verídica, fica até mais interessante acompanhar a viagem da universitária Ana (Andrea García-Huidobro), seu ex-namorado Alfredo (Diego Casanueva) e dos demais amigos por uma estrada empoeirada para uma curtição de fim de semana. O local ermo provém algumas imagens curiosas como o encontro com a carcaça de um animal e uma garota subjugada a um estranho motorista. Ele ajuda a fazer o motor voltar a funcionar e já os previne dos perigos que poderão encontrar nos lugares mais desertos. O grupo encontra dois rapazes em uma caminhonete, são agredidos e conduzidos a uma fazenda nas proximidades, local onde o pesadelo se desenvolverá a partir daí.

Almoço em família como no Massacre do Texas, abuso sexual e a promessa de que eles serão úteis com a chegada de algumas pessoas. Fugir é a única opção provável, e eles terão várias oportunidades de sair dali, mas seguirão a cartilha dos sobreviventes de qualquer slasher: não terminarão o serviço com a queda do vilão, não irão usar a arma no momento certo, e esquecerão que eles são em maioria, em relação aos sequestradores. Apesar dos clichês evidentes, Sendero tem boas doses de violência e sangue, com dedos decepados, um tórax aberto e a retirada dos olhos de uma garota.

Não está entre as melhores opções da Netflix, mas vale pela curiosidade geográfica e por alguns bons momentos de tensão que farão você ter saudades do Texas, a melhor opção de viagem para quem procura problemas no cinema de horror!

Leia também:

3 Comentários

  1. Lucio A, Rojas

    Gracias por tu review.
    Saludos desde Chile

  2. Paulinha

    Queria mto conferir…será que podem me passar um lik?

    • Silvana Perez Silvana Perez

      Tem na Netflix 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *