Críticas

Trailer Review #5: Todo mundo vai ouvir você gritar no trailer de Alien: Covenant

Alien está definitivamente de volta, em sua forma tradicional, resgatando raízes da Ficção Científica, sem se esquivar do medo e do horror!

O retorno de Ridley Scott ao subgênero que ajudou a criar“! Uma sentença parecida com essa era destacada no primeiro trailer de Prometheus, como forma de divulgação de uma produção que prometia resgatar o DNA da Ficção Científica, voltando a apresentar um espaço a ser explorado, naves imensas e planetas desconhecidos. Depois, com o passar dos meses, veio o anúncio do próprio cineasta de que o filme seria um prelúdio da franquia Alien e que, mesmo sem a aparição do facehuggers ou dos Xenomorfos, o público sentiria o gene do primeiro longa, embebido de um enredo que traria traços da origem da humanidade. Na verdade, foi além das promessas, principalmente com a cena final, a melhor da produção – ainda que boas ideias e um excelente trato técnico estivessem ali.

Não achei Prometheus ruim, como grande parte do público. Como fã de Ficção Científica crua, por influência das bagaceiras curiosas das décadas de 50 e 60, vi um interessante conceito, mas bem distante da sentença que aparecia no trailer. Faltava no longa a outra metade do subgênero: Horror! Alien, o Oitavo Passageiro foi o divisor de águas de uma mistura perfeita de Ficção e Terror, com doses regulares na criação de uma criatura extremamente bem realizada e assustadora. Assim, antes do lançamento do aguardado Alien 5, a cargo de Neill Blomkamp, com a volta de Sigourney Weaver, o público foi avisado que viria mais uma prequel, desta vez com tudo o que se pode esperar: aliens, peitos explodindo, gosmas ácidas, sangue em profusão e muitos gritos de desespero! A Fox, então, presenteou os fãs, em plena madrugada de Natal, com o trailer oficial de Alien: Covenant! E que presentão!

O trailer red band, pelo conteúdo violento, é tudo isso mesmo: provavelmente os últimos melhores dois minutos que você terá em 2016! O vídeo já começa com rastros de sangue por um corredor mal iluminado, e a correria desesperada de uma garota, não para fugir de algo, mas para evitar que sua parceira saia de uma sala, onde alguém está em processo de transformação. Em menos de trinta segundos, você já estará com palpitações e ansiando para saber por que Katherine Waterston, que interpreta Daniels, não quer ajudar a colega. Ela é uma das líderes da tripulação da nave Covenant, que irá explorar os confins de um planeta sombrio, pisando literalmente em ovos, e encontrará os restos do androide David (mais uma vez interpretado por Michael Fassbender). Aliás, Fassbender também aparecerá em sua versão humana, Walter, como Bishop de Lance Henriksen.

Na exploração, eles encontrarão um facehuggers, e terão problemas para sair de lá, com a explosão da nave. Em meio a correria, quem seria o estranho encapuzado que aparece aos um minuto e trinta segundos? A ação acelerada é atenuada por um momento íntimo de um casal durante o banho, atrapalhado por um passageiro não convidado, aparecendo desfocado sob a fumaça da água quente, culminando numa sequência splatter.

Com estreia prevista para 19 de maio, Alien: Covenant é, a partir de agora, a produção mais aguardada de 2017! Se cumprirá as expectativas, só iremos saber no lançamento, mas essa pequena dose já foi suficiente para levar os fãs aos gritos! Alien está definitivamente de volta, em sua forma tradicional, resgatando raízes da Ficção Científica, sem se esquivar do medo e do horror!

Leia também:

Marcelo Milici

Marcelo Milici

Fundou o Boca do Inferno em 2001. Formado em Letras, fez sua monografia sobre o Horror Gótico na Literatura. Já foi juri de festivais e eventos do gênero! Contato: [email protected]

1 Comentário

  1. Jeff Harish

    Super ansiosos aqui na família !!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *