Críticas

Aniversário Maldito (2016)

Uma viagem de comemoração para o México vai para o inferno com uma inesperada ponta do vocalista do Aerosmith

Aniversário Maldito
Original:Happy Birthday
Ano:2016•País:EUA
Direção:Casey Tebo
Roteiro:Casey Tebo
Produção:Edward H. Hamm Jr., Sean McKittrick, Vince Palomino, Sheila R. Rose
Elenco:Tristin Mays, Vanessa Lengies, Jeff Daniel Phillips, Matthew Willig, Erik Palladino, Steven Tyler, Matt Bush, Britne Oldford, Inanna Sarkis, Juan Jose Dubon, Riley Litman

Road trips que dão errado são um tema frequente do cinema de horror, embora a maioria das protagonistas sejam do sexo feminino (muito atrelado ao rape and revenge). Desde os idos tempos pessoas tentam viajar para férias relaxantes e acabam passando por lugares esquisitos, saindo completamente da zona de conforto e desaparecendo sem deixar traços. Com um protagonista masculino, Aniversário Maldito é um despretensioso passeio na montanha russa, muito inspirada nas obras de Robert Rodriguez e uma boa pedida para uma tarde preguiçosa regada a cervejas.

Nosso protagonista é Brady (Matt Bush, Piranha 2), um operário da indústria de cinema de Hollywood que tem uma vida relativamente comum. É seu aniversário e logo pela manhã ele descobre que sua namorada lhe traiu na noite anterior. Transtornado, ele conversa com seu amigo descolado Tommy (Riley Litman) durante o almoço e ele sugere que Brady  despiroque de vez o acompanhando em uma viagem ao México, recheada pelo consumo de drogas e sexo selvagem com prostitutas para tornar o aniversário memorável e apagar a imagem da namorada traidora.

Chegando ea seu destino barra pesada – a cidade é tomada por um cartel mexicano comandado por um perigoso bandido conhecido somente por “El Gato” – eles são abordados por um texicano mal encarado (Erik Palladino, Suits) e seu amigo enorme chamado de El Caballo (o ex-jogador da NFL Matthew Willig, de Marvel Agents of S.H.I.E.L.D.), que lhes prometem proteção, uma tour completa pela noite e substâncias ilícitas de sua fonte mais pura, o “xamãKasape Suka (Steven Tyler). Um tratamento de resort all inclusive pelo módico valor de 500 dólares.

No meio do caminho eles conhecem duas lindas garotas que se dizem comissárias de bordo de uma companhia aérea das redondezas. Movidos pela luxúria, a sedução os leva para um quarto imundo de um hotel barato no meio do nada. Os amigos não sabem ainda, mas na verdade as garotas trabalham para “El Gato” e sua investida é na realidade um sequestro, porém o que era para ser um típico pedido de resgate, acaba saindo de controle rapidamente.

Infelizmente não é possível detalhar mais para não entregar surpresas, mas o filme tem algumas boas reviravoltas e consegue balancear muito bem os momentos tensos com as partes de humor. Não é descabida a comparação entre Aniversário Maldito e uma mistura de Se Beber, Não Case e Um Drink no Inferno, muito mais do que com O Albergue. Os personagens são carismáticos, sua reação idiota e estereotipada faz parte do tom despretensioso da produção, apoiados no competente trabalho de elenco.

Como uma produção de baixíssimo orçamento (cerca de 500 mil dólares), o diretor e roteirista Casey Tebo ter conseguido uma participação do vocalista do Aerosmith, Steven Tyler, é estelar. Steven se diverte tanto com seu personagem excêntrico e pirado que contagia o público. O envolvimento de Tyler é outro fato curioso: Casey havia filmado um show da banda para um documentário quando ele abordou o vocalista perguntando se ele poderia emprestar seu carro e seu sofá para dormir na sua casa em Los Angeles para economizar no orçamento de seu primeiro filme. Tyler concordou, desde que ele mesmo pudesse participar como ator.

Aniversário Maldito não é perfeito; há aparentes problemas de continuidade, certos exageros no roteiro e no meio do filme alguns clichês tentam tomar conta (ainda bem que são desconsiderados pouco tempo depois), porém não dá para negar que este foi um projeto feito com carinho, cuja única preocupação é divertir o público. Este objetivo certamente foi atingido com louvor, denotando um grande começo para Casey Tebo.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *