Críticas

When Animals Dream (2014)

When Animals Dreams é uma obra interessante para quem procura uma alternativa poética e um filme de terror sobre o universo feminino

When Animals Dream
Original:Når Dyrene Drømmer
Ano:2014•País:Dinamarca, França
Direção:Jonas Alexander Arnby
Roteiro:Jonas Alexander Arnby, Christoffer Boe, Rasmus Birch
Produção:Dilt Milsted, Caroline Schlüter
Elenco:Sonia Suhl, Lars Mikkelsen, Sonja Richter, Jakob Oftebro, Stig Hoffmeier, Mads Riisom

Vem da Dinamarca este “Quando os animais Sonham” (tradução literal do título original), uma interessante variação de filme de lobisomem.

É num pequeno vilarejo litorâneo da costa da Dinamarca que encontramos Marie (a estreante, Sonia Suhl, ótima), uma adolescente introspectiva, que mora com o pai (Lars Mikkelsen da série “Sherlock”) e com sua mãe doente (Sonja Richter, de Dívida de Honra), uma mulher catatônica em uma cadeira de rodas. Marie vive constantemente sendo examinada pelo Dr. Larsen (Stig Hoffmeier), o médico da família.

Como se não bastasse cuidar da mãe enferma, a garota arranja emprego numa fábrica de pescados, onde é hostilizada pela maioria dos colegas de serviço e sofre bullying constantemente. Neste emprego ela conhece o jovem Daniel (Jakob Oftebro), um jovem de bom caráter que se encanta com ela.

Aos poucos descobrimos que a aversão da população à moça se deve ao passado de sua mãe, que, por causa de uma estranha doença, criou pelos no corpo e comportamento bestial, matando algumas pessoas. E que o estado quase vegetativo da senhora se deve aos medicamentos do Dr. Larsen.

Marie começa então a apresentar crescimento de pelos no corpo, além de sonhos sangrentos. As coisas fogem do controle quando ela não é medicada e começa a fazer vítimas pela cidade, se vingando de seus detratores. Marie começa a seguir os passos da mãe, como um ciclo. Enquanto isso o apaixonado Daniel tem um plano de fuga para os dois.

When Animals Dream tem como ponto original tratar a licantropia (a praga que transforma as pessoas em lobisomem, segundo a crença popular) como uma doença, destituída de qualquer caráter metafísico, e pior, como se fosse hereditária. Agora, a associação da licantropia com as mudanças hormonais do corpo de uma mulher, metáfora do amadurecimento sexual, além do fato da metamorfose em lobo não se dar em um período sazonal, os ciclos da lua, mas em estado permanente, numa transformação gradual,  já foi visto em Possuída (infeliz título nacional para “Ginger Snaps”, 2000), de John Fawcett. Porém, a comparação mais evidente é o com já clássico sueco Deixa Ela Entrar (2008), de Tomas Alfredson, graças ao tom dramático e um viés não maniqueísta, além de similaridades na conclusão. Temos também o italiano La Lupa Mannara (1976) de Rino de Silvestro, com uma mulher que sonha que é lobisomem. Nesse filme, a garota transformada em lobisomem (lembrando que é uma palavra sem definição de sexo), usando o mínimo de maquiagem, nos remete também ao Lobo (1994), de Mike Nichols, com Jack Nicholson caprichando nas caras e bocas e apavorando Michelle Pfeffeir. Outro filme que não exagera na maquiagem é o decepcionante Sinistro: A Maldição do Lobisomem (2013), de William Brent Bell, que não cumpre tudo que promete.

O diretor estreante e também co-roteirista Jonas Alexander Arnby, egresso dos comerciais de TV dinamarqueses, conduz a trama de forma sensível, com ritmo lento, onde a informações vão se desdobrando aos poucos, deixando no final algumas lacunas para a subjetividade do espectador. Do elenco se destaca Sonia Suhl e Lars Mikkelsen, como pai e filha, atormentados por esse peculiar drama familiar. Aliás, Sonia se sai muito bem, tanto como a garota melancólica, como quando a personagem vai para a danceteria e a posterior cena de sexo com Daniel.

O maior senão fica para algumas imagens das paisagens costeira da região, embora lindas, tem um tom pasteurizado que parece ter saído dos comerciais de TV.

When Animals Dream é uma obra interessante para quem procura uma alternativa poética e um filme de terror sobre o universo feminino.

Leia também:

1 Comentário

  1. Augusto

    Gostei da sugestão!
    Fiquei curioso em saber mais sobre esse filme La Lupa Mannara (1976).
    Continuem com os textos de filmes de lobisomem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *