Críticas

Ao Cair da Noite (2017)

É um terror adulto e um passo a frente de boa parte do que é lançado por aqui, mas você não conseguirá vê-lo nos cinemas

Ao Cair da Noite
Original:It Comes at Night
Ano:2017•País:EUA
Direção:Trey Edward Shults
Roteiro:Trey Edward Shults
Produção:David Kaplan, Andrea Roa
Elenco:Joel Edgerton, Christopher Abbott, Carmen Ejogo, Riley Keough, Kelvin Harrison Jr., Griffin Robert Faulkner, David Pendleton

Quando A Bruxa visitou os cinemas brasileiros em 2016, escrevi um artigo intitulado Não Vá Ver a Bruxa nos Cinemas com o objetivo de mostrar que o filme só serviria a públicos específicos. Aqueles que herdaram a geração Jogos Mortais e Premonição achariam o enredo enfadonho, não entendendo porque tanto era dito a respeito de um terror atmosférico e apenas sugestivo. Dessa mesma safra pode-se recolher o longa Ao Cair da Noite, de Trey Edward Shults, que estreou discretamente nos cinemas brasileiros em 22 de junho e deve desaparecer das praças antes que você decida onde quer vê-lo.

A comparação com o trabalho de Robert Eggers vai além da narrativa cadenciada: aqui também temos uma família isolada por uma floresta fria, com medo de tudo e de todos, a paranoia pelo contexto envolvido, e por vezes tentamos decifrar quais seriam os verdadeiros inimigos, embora A Bruxa envolva aspectos religiosos de um horror satânico. Ao Cair da Noite camufla melhor as suas simbologias, mas é menos eficaz em causar desconforto no espectador. E o novo filme ainda perde na comparação pelo final abrupto, deixando o público com uma sensação de que ficaram faltando filmar algumas páginas do roteiro de Shults.

Sem créditos explicativos, o longa começa com o rosto sofrido de um homem idoso com feridas pustulentas, sendo julgado pelos seus familiares devido ao estado terminal. Com máscaras de oxigênio e roupas de proteção, ele é conduzido por Paul (Joel Edgerton, de O Presente) e seu filho Travis (Kelvin Harrison Jr) até uma clareira na floresta, onde será executado com um tiro na cabeça, antes de ter seu corpo queimado, com a câmera destacando a fumaça negra que se eleva de seus restos mortais. É esse sinal que possivelmente trará na madrugada um visitante inesperado, Will (Christopher Abbott), que leva o patriarca a um sistema particular de investigação do estranho: deixa-o amarrado a uma árvore por alguns dias para verificar se há sinais de contágio.

Aparentemente, a humanidade foi varrida por uma peste mortal, restando poucas pessoas e muita paranoia. Paul faz de tudo para proteger sua família, incluindo a esposa Sarah (Carmen Ejogo) e até o mesmo o cão Stanley. Will o convence a buscar sua família há alguns quilômetros dali para uma tentativa de uma união benéfica, algo que sempre deixará a todos com uma constante sensação de perigo iminente e desconfiança. Will é casado com a jovem Kim (Riley Keough), com quem teve o pequeno Andrew (Griffin Robert Faulkner), e demonstra o interesse comum de manutenção do bem estar, mas sabe que está convivendo com pessoas diferentes.

Paul apresenta as regras da casa, como a de nunca sair à noite, e evitar a todo custo abrir uma porta vermelha. Localizada nos fundos da residência rural, ela é um dos poucos acessos à área externa e representa os principais indícios de que até as pessoas mais sinceras escondem segredos em seu interior. Nesse ponto, o espectador se identifica com Travis, o garoto que apresenta os elementos de horror da produção através de pesadelos que evidenciam seu estado de espírito. Ele representa a alma do filme e da família, e promove as situações extremas que culminarão com os gestos drásticos do terceiro ato.

Ao Cair da Noite é um filme simples de conteúdo, mas com argumentos pessimistas em uma atmosfera claustrofóbica. Não é tão ousado como se poderia imaginar, nem apela para sequências de sustos fáceis ou violência extrema – o que está ocasionando vaias por todas as sessões onde é exibido. Ainda assim é um terror adulto e um passo a frente de boa parte do que é lançado por aqui, mas você não conseguirá vê-lo nos cinemas. A própria distribuidora não acreditou no filme.

Leia também:

11 Comentários

  1. Leandson

    Acabei de ver este filme, e simplesmente achei excelente, poderia listar nos 20 melhores deste ano. Tem um clima bem tenso e paranóico, amei.

  2. Tiago Ricardo Charão

    Quando Paul e Will estão na caminhonete seguindo em direção a localidade onde morava o último, é possível perceber ao fundo no meio da floresta, uma criatura estranha com forma humanoide, sentada como se estivesse em pensamento. É uma cena sútil que pode passar desapercebida por muitos, porém, é importante para a compreensão do principal motivo a ter levado Stanley (o cachorro) a fugir de casa.

  3. José Fernando

    Ando meio entojado desses filmes de horror ‘cabeça’… ‘Good Night Mommy’… ‘It Comes At Night’… Sinto falta da porra-louquice dos filmes antigos, que eram no-brainers mas eram bem mais divertidos de assistir.

    • Mas esses filmes continuam sendo feitos. Tem espaço pra todo mundo!

  4. Daniel

    Sabe depois te fazerem Lixos como Rec,Jogos Mortais,e por fim o filme que o Boca do inferno empurrou a guela baixo A Bruxa esperar o que de um filme de terror ? o que espero é que cada um Vê uma coisa e acha aquilo bom no ponto de vista dela e acha que aquela ideia que ela teve a pessoa vai ter também errado!!!! as maiores bombas do cinema que ja vi em especial a Bruxa só que o que ela tem em comum com Rec e Jogos Mortais trata-se de um filme cansativo ,Ruim e no mesmo cenário mas todo mundo vai vender a ideia que é terror assim como os discos Recentes do iron maiden são igual aos clássicos e nada a ver infelizmente o cinema de terror tomou outro rumo já sabia que desde o inicio dos anos 80 que já tinha esses filmes sem pé e sem cabela com bodes e bruxas ou aquele mesmo cenário que nada acontece iria um dia se alastrar e já fazer você ter uma ideia como começou e como vai terminar ou seja a mesma bomba Geralmente até recomendo você a assistir ainda mais se você não estiver como sono pois tenho certeza que você vai dormir em seguida!!!

    • Silvana Perez Silvana Perez

      Oxe, a gente não empurra nada goela abaixo, Daniel. Você é livre pra assistir o que quiser 😉

    • Daniel

      Querida Silvana a expressão empurrar Guela Abaixo quer dizer você Faz a propaganda de um filme enfeita ele e diz que ainda cuidado com a Bruxa não quis ser Grosseiro de jeito nenhum apenas expor i que vi do filme e não vi nada de terror apenas uma Floresta e Fanatismo Religioso de todos os lados que o Roteirista quis dar enfase no duas guampas como vitorioso e pior aonde aparece A Bruxa ? Achei tipo uma historia mais Terror Clássico Tipo uma entidade de bruxas dominava a floresta e exterminasse a Família e depois sei la haveria um acerto de contas com algum sobrevivente apenas uma ideia é claro,mas o que vi foi um filme chato e parado só acho que foi muita propaganda e não foi só o site do Boca e mais querida assim como Boca empurra filmes modernos chatos também faz Resenha de filmes clássicos de horror que nem veio pra nós mas com o titulo em inglês a gente acha Fácil no You tube as vezes e assistimos não quis ser Drástico apenas expressar meu ponto de vista sem desmerecer ninguém pois se você gosto do Filme a Bruxa eu respeito a sua opinião,Certo?

      • Como assim? Empurramos os filmes novos e resenhamos os filmes clássicos? Que tal resenhamos os filmes novos e empurramos os filmes clássicos? Ou empurramos os filmes novos e clássicos? Ou, o meu preferido, resenhamos os filmes novos e clássicos e cada um escolhe aquilo que quer, deixando espaço para todos escolherem?

        • Daniel

          Rodrigão Apenas dei enfase no filme a Bruxa, que fizeram uma enorme propaganda,assisti cara porem tentei gostar do filme cara,mas achei ruim demais, com um final que nem da para dizer que é final, mas é aquilo cara tem que entender que as vezes vemos o mesmo filme e as vezes não por isso cada um tem sua Resenha Sinopse do filme certo cara e mais uma vez, cara achei muito filme legal ai no Boca como Death Trap um meio Slasher, com Sanguera, muito bom cara, esta de Parabéns a pessoa que achou este filme, pôr que é difícil achar um site que fale de filmes Desconhecidos e vocês tem muita boa vontade e competencia em conseguir filmes assim só tenho a Agradecer cara

  5. Consegui uma sessão única no sábado à noite em um pequeno cinema no interior. A reação das pessoas ao término do filme foi hilária! Pra quem aprecia o gênero, mesmo sendo um filme tão diferente, vai até curtir, mas quem foi ver por conta do trailer ou do maravilhoso cartaz, com certeza vai se decepcionar.

  6. Alexander Cruz

    Aqui no Rio ele foi exibido e sim boa parte do pessoal que viu não gostou

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *