Críticas

The Devil’s Candy (2015)

Rock e satanismo dialogam nesse horror atmosférico do diretor de Entes Queridos!

The Devil´s Candy
Original:The Devil´s Candy
Ano:2015•País:EUA
Direção:Sean Byrne
Roteiro:Sean Byrne
Produção:Jess Calder, Keith Calder
Elenco:Ethan Embry, Shiri Appleby, Pruitt Taylor Vince, Kiara Glasco, Tony Amendola, Craig Nigh, Leland Orser, Oryan Landa West

Seria estranho se o diretor do filmaço Entes Queridos (2009) simplesmente abandonasse a carreira promissora. Ainda assim, só foi comandar uma nova produção em 2015, para um lançamento apenas em 2017, justamente com o horror roqueiro The Devil´s Candy, mostrando não apenas sua evolução no comando, mas também no desenvolvimento de seus enredos. O longa é uma homenagem justa à relação horror satanista e rock pesado, trazendo uma trilha impecável enquanto mostra a gradual descida ao inferno de uma família em busca de uma nova morada.

Os Hellman (ótimo sobrenome) encontram uma casa com valor acessível por conta de um horrendo crime ocorrido no local, quando um maluco, Ray Smilie (Pruitt Taylor Vince, o também doidão de Identidade, 2003), matou os pais que o incomodavam com sua guitarra alta. A família, composta pelo pai, Jesse (Ethan Embry, de Temos Vagas, 2007), a mãe, Astrid (Shiri Appleby, da série Roswell) e a filha, Zooey (Kiara Glasco, da série Bitten), encontra motivos mais do que financeiros para ocupar a casa, como a possibilidade de abrir um estúdio de arte em um celeiro. Eles estranham que a antiga pintura trazia cruzes de ponta cabeça e gravuras religiosas, mas aceitam camuflá-las para a nova etapa.

As artes de Jesse, inspiradas pelo heavy metal, começam a gradualmente mudarem de tom, por influência do ambiente. Aos poucos, a pintura representa um inferno futuro, e até inclui a filha em uma imagem de desespero. Essa alteração no comportamento, consagrado em O Iluminado, faz com que ele se esqueça de buscar a filha na escola, e ainda permite a aproximação de Ray, disposto a usar a garotinha para um sacrifício de sangue em nome de Satã. O assassino de crianças fica circulando a morada a espera da oportunidade de usar pedras pesadas para esmagar a cabeça daqueles que o impedirem de concluir seu objetivo sangrento.

Com músicas do Metallica, Slayer e Cavalera Conspiracy, The Devil´s Candy não é tão criativo quanto Entes Queridos, apresentando apenas um filme de casa assombrada, misturado com serial killer em uma atmosfera satanista, mas é bem divertido em sua concepção roqueira. Há alguns momentos exagerados como o que acontece na sequência do incêndio, com os realizadores esquecendo que o fogo vem acompanhado de fumaça, ou um ferimento à bala sendo praticamente deixado de lado pela necessidade em forçar um final aceitável, porém proporciona boas cenas de horror climático, com um elenco de rostos conhecidos e talentosos.

Leia também:

1 Comentário

  1. Achei legal .
    Marcelo , está faltando a crítica do ” The Void ” , ninguém do site o assistiu ?
    Estou perguntando porque era um dos filmes mais aguardados pra esse ano juntamente com o ” Raw ” , que pra mim superou o excelente ” Get Out ” se tornando o Melhor filme até agora que eu vi de 2017 !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *