Críticas

O Quarto do Pânico (2002)

Tem o diferenciado David Fincher na direção e Jodie Foster e Forest Whitaker no elenco competente, sendo uma interessante história de suspense e tensão!

O Quarto do Pânico
Original:Panic Room
Ano:2002•País:EUA
Direção:David Fincher
Roteiro:David Koepp
Produção:Ceán Chaffin, Judy Hofflund, Gavin Polone, David Koepp
Elenco:Jodie Foster, Kristen Stewart, Forest Whitaker, Dwight Yoakam, Jared Leto, Patrick Bauchau, Ann Magnuson

Os excelentes atores Jodie Foster e Forest Whitaker contracenam como oponentes na intrigante trama de suspense dirigida por David Fincher (de Seven e Clube da Luta), O Quarto do Pânico (Panic Room), que entrou em cartaz nos cinemas brasileiros em 07/06/02. Já começando com uma diferenciada apresentação dos créditos iniciais, com os nomes dos atores e equipe técnica misturando-se aos enormes e imponentes prédios de New York, num efeito muito interessante, o filme traz Foster como Meg Altman, uma mulher recém divorciada de um marido rico (Stephen, interpretado por Patrick Bauchau), que se muda com sua filha adolescente Sarah (Kristen Stewart) para um casarão de um bairro nobre de New York.

Ao serem apresentadas à casa e seus aposentos, elas conhecem um quarto especial secreto, com paredes reforçadas, linha de telefone própria, sistema eletrônico de monitoramento de segurança com um circuito interno de câmeras, ou seja, uma sala construída para situações de emergência. Na primeira noite na nova casa, mãe e filha já são obrigadas a utilizar o “quarto do pânico” devido à invasão de três homens que pretendiam roubar a mansão.

O grupo de assaltantes é formado por Burnham (Forest Whitaker), um funcionário da empresa construtora dos tais quartos especiais, Raoul (Dwight Yoakam), um perigoso e traiçoeiro marginal armado, e pelo líder Junior (Jared Leto), um jovem parente do milionário ex-proprietário da mansão, que havia morrido mas antes escondido uma fortuna em títulos bancários num cofre localizado exatamente no quarto secreto em que se refugiaram Meg e sua filha Sarah, constituindo-se no objetivo dos homens invasores.

A partir daí, começa uma batalha entre elas e os ladrões, com estes tentando entrar no quarto “impenetrável” e as mulheres tentando se defender e procurar ajuda (para o azar delas a linha telefônica especial estava ainda desligada), com muitas surpresas e reviravoltas culminando em várias situações de suspense, incluindo o fato de Sarah ser diabética e precisar de medicamentos que não existem no quarto secreto e até uma crise entre os próprios ladrões com Burnham demonstrando boa índole e com a finalidade de apenas conseguir o dinheiro escondido, com Raoul sendo um criminoso violento e sem escrúpulos, e com Junior sendo um jovem rebelde e impaciente.

O Quarto do Pânico é um thriller com roteiro de David Koepp (de Homem-Aranha) com muitos momentos de entretenimento, numa história ágil e repleta de situações de tensão, apesar de inevitáveis clichês como principalmente o final previsível e feliz (é difícil imaginar como o ladrão Raoul ainda conseguiu sobreviver e encontrar forças para atacar após um violento golpe de marreta desferido por Meg, seguido de uma queda significativa). Como curiosidade, a atriz Nicole Kidman iria interpretar inicialmente a personagem Meg, mas teve que abandonar o projeto por motivos de saúde e o papel acabou ficando para Jodie Foster.

Uma cena também curiosa é quando Meg Altman demonstra sofrer algum tipo de claustrofobia ao ser apresentada ao “quarto do pânico” num momento em que estava em seu interior confinada (e que no decorrer do filme esse fato é desprezado, numa falha do roteiro), e ela cita o nome de Poe (o escritor Edgar Allan Poe), que foi um dos maiores autores de horror de todos os tempos, muito cultuado até hoje e que utilizava em boa parte de seus contos macabros o tema da claustrofobia e as sensações mórbidas de ser enterrado vivo, e para sua decepção, a corretora de imóveis que a acompanhava no quarto desconhecia Poe e até o confundiu com um astro do rock.

Outros momentos interessantes no filme são as cenas com movimentos ágeis de câmera, criados por efeitos especiais de computadores, onde percorremos em planos incríveis os aposentos da casa, por dentro de suas paredes e até no buraco da fechadura da porta de entrada. Uma outra cena a se destacar por seu tom humorístico é quando a adolescente Sarah diz a sua mãe Meg para ser enérgica ao falar com os ladrões através do interfone do quarto secreto, utilizando “palavrões” na comunicação, sendo um momento engraçado em meio à tensão inevitável que estava no ambiente.

Enfim, O Quarto do Pânico tem o diferenciado David Fincher na direção e Jodie Foster e Forest Whitaker no elenco competente, sendo uma interessante história de suspense e tensão, ingredientes suficientes para garantir nosso maior objetivo com o cinema que é a diversão.

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *