Críticas

Olhos Famintos 3 (2017)

Simplesmente nada se salva!

Olhos Famintos 3
Original:Jeepers Creepers 3
Ano:2017•País:EUA
Direção:Victor Salva
Roteiro:Victor Salva
Produção:Michael Ohoven
Elenco:Stan Shaw, Gabrielle Haugh, Brandon Smith, Meg Foster, Jordan Salloum, Chester Rushing, Jason Bayle, Ryan Moore, Michael Sirow, Joyce Giraud, Gina Philips, Jonathan Breck

“A cada 23 anos, durante 23 dias, ele sai para comer. E as coisas que ele deixa para trás, como as do condado de Poho naquela noite, no pesadelo das quatro rodas, era um horror por si só.”

Não foram necessárias 23 primaveras para a nova aparição de um dos mais cultuados vilões do horror contemporâneo. A fome do espectador era tamanha que houve quem participasse de petições e enchesse a caixa de correio do diretor Victor Salva com pedidos por um novo filme. Desde então a web foi consumida por boatos, roteiros falsos, títulos provisórios e muitas entrevistas, sem que Olhos Famintos 3 pudesse finalmente ganhar a desejada luz verde. Consciente da responsabilidade, parecia que Salva esperava o enredo perfeito, chegando a espalhar possibilidades de que o terceiro se passaria no Velho Oeste, mostrando o primeiro ataque voraz da criatura e justificando sua aparência de cowboy. Pois, quando o conceito já começava a ganhar raízes e o espectador nem conseguia mais prever uma data de estreia, o cineasta anunciou uma exibição limitada em 26 de setembro para finalmente o longa alcançar sua premiere na TV em 28 de outubro no canal SyFy (!!).

A ansiedade do público pela volta do Creeper não foi muito bem saciada, e Olhos Famintos 3 entrou rapidamente para a galeria das continuações ruins de 2017, ao lado de O Culto de Chucky e Leatherface. Aliás, conseguiu ser ainda pior. Se a proliferação dos Chuckies não foi muito bem digerida e um Leatherface adolescente não teve personalidade, Jeepers Creepers 3 irritou completamente os fãs, que consideraram irreconhecível o trabalho de Victor Salva, como se o diretor tivesse passado o comando para uma outra pessoa durante as filmagens. Mal dirigido, com a edição ruim da TV, não se salva nem mesmo a fotografia ou a caracterização do monstro, abafado pela volta de seu veículo, apresentado como um inimigo com identidade própria.

Também foi visto com olhos desnutridos o uso excessivo de personagens, sem que eles sejam adequadamente desenvolvidos, e a realização exagerada de filmagens à luz do dia, que permitiu que as falhas técnicas fossem evidentes. Até mesmo o Creeper não estava muito inspirado em seus ataques, repetindo gestos e modos de ataque dos filmes anteriores. Há, inclusive, uma cena risível envolvendo o vilão, que anteriormente assustava mais por sua discrição do que a movimentação de suas narinas ao farejar o medo. Mas, antes, é preciso tentar entender o enredo: em que época se passa a trama de Olhos Famintos 3?

Logo nos créditos iniciais, o infernauta acompanha o ataque do monstro a um rapaz, que foge desesperado com um facão, enquanto consegue se esquivar de sua estrela da morte. Ao se aproximar de um veículo para pedir ajuda, ele é apanhado pelo Creeper voador, espantando o motorista, que apenas testemunha a queda da arma e de um braço. Vinte três anos depois, com a narrativa que iniciou este texto, a polícia encontra o caminhão da criatura e corpos presos em sacos, mas são feridos mortalmente pelo modo de defesa do veículo: a parte de trás se fecha como uma boca metálica e o escapamento lança uma corda e um punhal em direção a quem quer que esteja pelo caminho.

Em meio à incompreensão dos agentes, destaca-se o retorno do Sargento Davis Tubbs (Brandon Smith), que acompanhou o desespero de Trisha Jenner (Gina Philips) e seu irmão em Olhos Famintos (2001). Ele comenta com o Xerife Dan Tashtego (Stan Shaw) sobre o sumiço do jovem Darry (Justin Long), permitindo que o público situe a continuação como na mesma época dos dois outros filmes. “Sua irmã está lá dentro a espera de seus pais, que estão vindo de Still Water“. Além dos policiais – que ainda cometem a burrada de tentar levar o caminhão embora -, há a viúva Gaylen Brandon (Meg Foster), que lamenta a perda do marido (Jordan Salloum) conversando com seu fantasma. Ele é o rapaz da caminhonete da cena inicial, que teria levado consigo a mão do Creeper ainda em movimento e enterrado na fazenda.

A pirada Gaylen acredita que o Creeper irá atrás dela para pegar sua mão de volta, para a lamentação de sua neta Addison (Gabrielle Haugh), que logo irá se unir à paquera Buddy (Chester Rushing), na tentativa de compreender o pesadelo que tomou conta da pequena cidade rural. É nessa manhã seguinte que se passará boa parte do enredo, com a criatura atacando uma gangue de jovens motociclistas e sequestrando Addison, mantida viva no interior do veículo. O caminhão com a placa BEATNGU torna-se o principal personagem de Olhos Famintos 3, com sua capacidade de defesa contra armas de fogo e suas armadilhas internas.

Com tantos conflitos e a capacidade indestrutível do caminhão e da criatura, restam apenas algumas boas cenas como a que traz várias pessoas escondidas embaixo de veículos e o confronto entre o Sargento e a criatura no campo. E sobram momentos ruins como toda a sequência envolvendo a mão do Creeper, capturada e mantida num vaso, ou as tentativas frustradas do Creeper de acertar uma determinada vítima – a tal cena risível: é incrível imaginar que Salva tenha achado genial incluir no roteiro dois tropeços que impediram a personagem de ser ferida mortalmente!

O que fica claro, inclusive pela cena final, é que o diretor já planejava fazer um quarto filme e que este seria apenas um complemento para o primeiro e uma ponte para o segundo. No entanto, a baixa receptividade desse terceiro poderá atrasar a realização de uma nova continuação ou até mesmo cancelá-la de vez, o que talvez seja o melhor caminho para evitar que uma franquia interessante possa ser enfraquecida por outros filmes ruins.

Para finalizar, uma nota curiosa, comentada em outras críticas pela internet: Olhos Famintos 3 foi lançado exatamente no período que Hollywood está intitulando de caça às bruxas, trazendo à tona situações de abuso sexual como o citado ator Kevin Spacey. Victor Salva não consegue, de maneira alguma, apagar os seus crimes cometidos na década de 80, enquanto filmava Palhaços Assassinos (e o abuso cometido contra um dos atores mirins). Mas, parece que ele quis aproveitar seu novo filme para explicar sua ação monstruosa. Em dado momento, descobre-se que Addison teria sido abusada por seu padrasto quando tinha 13 anos, o que a fez se afastar da mãe para morar com a avó no campo. Em um dos diálogos da versão completa, um dos motociclistas justifica o que o padrasto dela fez com a infeliz fala: “Você pode culpar o padrasto, afinal? Quero dizer, olhe para ela!“, insinuando que o ato cometido se deve à aparência da vítima e não à doença do infrator. Uma passagem desnecessária e ruim de uma produção que não merecia a luz do dia!

Leia também:

11 Comentários

  1. Guilherme Rodrigues

    Alguem consegue me falar onde esta o Bud, ao qual entra no onibus mas no aegundo filme nao se ve este personagem. Onde ele foi parar?

  2. Alverne

    O filme realmente é pavoroso. Perdi anos esperando por esse filme pra obter um resultado de O ataque dos tomates assassinos.

  3. Anderson

    Gostei do filme

  4. Gabriel Araujo

    O Rapaz fantasma não é marido da Gaylen e sim filho.

  5. esse filme é o pior çixo lançado, fora os efeitos especiais ruins de mais, filme horrivel…

  6. Vini

    Esse filme começa em nada e vai pra lugar nenhum. Achei a história fraca e a montagem deixa tudo mais difícil de aguentar.

    Sem contar o fato dos personagens serem completamente descartáveis, era melhor ter feito um curta só com a cena final e pronto. Ou talvez…TER FEITO O FILME A PARTIR DA CENA FINAL, NÉ?

  7. Murilo

    Nossa nem sabia que isso existia…

  8. Kaio

    Absurdamente pavoroso, medonho, patético e desprezível. Nada absolutamente nada se salva nesse filme. Como o diretor conseguiu fazer uma catástrofe desta? Tanto tempo para lançar esse filme é com certeza é o pior filme em muito tempo.

  9. ed

    Assédios sexuais são sempre abomináveis e animalescos, mas quando uma pessoa, após pagar sua pena, como Salva cumpriu, continuar sendo tratado como se não tivesse cumprido e não conseguir levar uma vida normal, pode-se decretar a falência da fé na humanidade. Uma coisa é um criminoso impune, outra coisa é um ex-criminoso (até prova em contrário).

    • Andy

      Não justifica, Salva já deveria ter passado a franquia para outro ou parar aí, ele pagou mas não muda o fato de ser um abusador doente, não venha justificar os erros dele como pago ELE SEMPRE SERÁ UM PEDÓFILO SUJO e não existe fiança para isso, e a frase que ele pós no filme sobre abuso é injustificável então menos, o filme é tão lixo quanto o ser humano que ele é.

      • Ed

        Porque ele está solto então, se ele ainda é pedófilo???
        E se ele “parar por aí” vai trabalhar com o quê?
        “Justificar os erros dele”? Você é analfabeto funcional?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *