Ghostland (2018)

Ghostland
Original:Ghostland / Incident in Ghostland
Ano:2018•País:França
Direção:Pascal Laugier
Roteiro:Pascal Laugier
Produção:Ian Dimerman
Elenco:Emilia Jones, Taylor Hickson, Mylène Farmer, Crystal Reed, Anastasia Phillips

Martyrs (2008), dirigido na ocasião pelo novato Pascal Laugier, chamou atenção para um novo tipo de cinema que estava sendo realizado na França desde o início dos anos 2000: um cinema violento, pesado tanto em sua narrativa quanto em seu visual. O filme foi inserido em um movimento intitulado New French Extremity, que ganhou destaque com outras obras, entre elas, A Invasora e Alta Tensão.

Pauline (a atriz e cantora Mylène Farmer, ótima) está de mudança, com as filhas Beth (Emilia Jones) e Vera (Taylor Hickson), para uma casa herdada de sua falecida tia. Beth é fã de Lovecraft e aspira ser uma escritora de terror, enquanto Vera não parece estar satisfeita em mudar de casa. Logo ao chegarem, uma tragédia afetará a vida das duas garotas a partir daquela noite. Alguns anos se passam, e enquanto, Beth (aqui interpretada por Crystal Reed),se torna uma famosa escritora e tem uma vida estável ao lado de seu marido e filho, Vera (Anastasia Phillips) não superou o trauma daquela noite. Uma ligação da irmã faz com Beth retorne à casa, onde, ao lado da mãe, começa a reviver o trágico passado.

Laugier que também assina o roteiro conduz bem a história, mesmo que simples, proporciona ao espectador uma desoladora surpresa a cerca das personagens e a situação em que se encontram. A ambientação da casa é assustadora, antiga e cheia de bonecas que pertenciam à tia de Pauline; é o cenário perfeito para um filme de horror. O diretor reserva uma bela e singela homenagem ao escritor H. P. Lovecraft, porém as referências ao mesmo param por aí, já que a narrativa do filme opta por rumos totalmente diferentes de suas obras. O filme perde o ritmo no terceiro ato, onde o impacto causado anteriormente já não surte o mesmo efeito, mas não comprometendo o resultado final.

Assim como em Martyrs, são mulheres que protagonizam e sofrem uma violência descomunal, que impactam o expectador desde a brutal sequência de abertura, em um universo que transita entre o real e o imaginário – aliando a extrema violência ao horror psicológico, fazendo com que cada canto da casa se torne um espiral de um pesadelo que parece não ter fim.

(Visited 2.068 times, 3 visits today)
Ivo Costa

Ivo Costa

Estudante de Cinema, fez parte do Juri Popular do Cinefantasy em 2011. Além de crítico do Boca do Inferno, atua como diretor e roteirista de curtas-metragens.

2 comentários em “Ghostland (2018)

  • 21/11/2018 em 22:54
    Permalink

    Um dos melhores de 2018, achei o filme muito bom, esperava só mais um filme fantasma (foi o que pensei que fosse pelo trailler) e tive uma ótima surpresa.

    Resposta
  • 08/08/2018 em 18:50
    Permalink

    Eu simplesmente amei o filme! Faz tempo que nao assisto nada assim.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien